sábado, 19 de agosto de 2017

NÚNCIO APOSTÓLICO ESTEVE HOJE EM BOM JESUS DO ITABAPOANA (RJ)



Esteve hoje, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ), o Exmo. Sr. Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni D'Annielo, representante do Papa no Brasil, para as comemorações dos 15 Anos da Ereção Canônica da Administração Apostólica Pessoal S. João Maria Vianney. Ele esteve acompanhado de Dom Fernando Arêas Rifan, Bispo da Administração Apostólica. Sua Excelência manifestou seu encanto com o que viu em nossa cidade e disse que transmitirá isso ao Papa.
Após a recepção na Igreja do Senhor Bom Jesus Crucificado e do Imaculado Coração de Maria, o Núncio visitou o Abrigo dos Idosos José Lima, mantido pela Paróquia Pessoal, que completará 47 anos de fundação no dia 22 de agosto. Em seguida, foi oferecido almoço no Convento do Instituto Religioso Imaculado Coração de Maria e São Miguel Arcanjo.
Vejam algumas imagens deste evento histórico.


ASSISTA À COLOCAÇÃO DA ÚLTIMA TELHA DO FORNO INDÍGENA DE CALHEIROS







Restauração do Forno Indígena de Calheiros, distrito de Bom Jesus do Itabapoana: dia 5 de agosto de 2017.


Administração: Associação dos Amigos do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira




Vídeo: Edilene Peris









sexta-feira, 18 de agosto de 2017

ASSISTA À 1ª AULA DE MÚSICA DA LIRA CALHEIRENSE COM O MAESTRO ÁUREO FIORI









A Corporação Musical Lira Calheirense Governadores Roberto e Badger Silveira foi fundada no dia 12 de agosto de 2017, na Escola Municipalizada Cel. Luiz Vieira de Rezende, no distrito de Calheiros. 

 A Corporação foi resultado de parceria entre a Associação dos Amigos do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira,  o Jornal O Norte Fluminense  e a Escola Municipalizada Cel. Luiz Vieira de Rezende, dirigida por Samia de Oliveira Linhares.

A Lira é administrada pela Associação e conta com o apoio do consagrado Maestro Áureo Fiori, que possui 83 anos de idade, e irá ministrar gratuitamente as aulas. 

Áureo Nunes Fiori nasceu no distrito de Rosal, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ), no dia 07 de dezembro de 1933, e é filho dos músicos Walter Fiori e Zenith Nunes Fiori.

Foi Maestro da Lira Operária Bonjesuense por cerca de 22 anos, da Lira 26 de Julho, de Apiacá (ES), onde atuou por cerca de 8 anos, da Banda do Colégio Ari Parreira, de Laje do Muriaé (RJ), e da Lira 19 de Março, de São José do Calçado (ES), até 2010, quando, devido a uma queda, fraturou o fêmur, o que o impossibilitou de continuar seu trabalho.

Colaborou na fundação da Banda de Música do Colégio Estadual Padre Mello, de Bom Jesus do Itabapoana, da Banda Marcial Terezinha Juliana, em São José do Calçado, da Banda do Colégio Zélia Gisner e da Banda do Colégio Antonio Honório, em Bom Jesus do Norte (ES).


Áureo Fiori dirigiu a Lira Operária por cerca de 22 anos

Áureo Fiori comandou Lira na antiga réplica da Usina Franco Amaral localizada na Praça Governador Portela

Áureo Fiori e o cantor Orlando Silva no Big Hotel, na década de 1970

A primeira aula, em Calheiros, foi teórica. "Teoria é a base de tudo", assinalou o mestre, que  abordou o tema "Elementos de Escrituração Musical". Na oportunidade, Áureo Fiori explicou  que "o importante é apreender o conceito e não decorar". Salientou, ainda, uma das definições de música: "a arte de manifestação de todos os diversos afetos de nossa alma, mediante sons". Mencionou, também, sobre a divisão da música em "melodia, harmonia e ritmo". Linhas e espaços naturais, pauta e claves foram outros temas abordados na aula.

O mestre ministrará duas aulas semanais. "Apesar de minha idade e estar adoentado, atuarei até o fim dando o melhor de mim para construir um mundo melhor", assinalou.

A Lira Calheirense aceita doações dos seguintes instrumentos:
2 clarinetas, 2 pistons, 2 trombones de vara, 1 barítono si bemol, 1 bombardino dó, 2 sax orni, 1 saxofone tenor, 1 saxofone bi bemol, 1 bombardão si, 1 bombardão mi, 1 tarol, 1 tambor, 1 bombo e 1 par de pratos.

Contatos com André Luiz de Oliveira pelo celular: 022- 998317343.



Samia de Oliveira Linhares, dr. Gino Martins Borges Bastos, André Luiz de Oliveira e Áureo Fiori






Áureo Fiori desenvolveu um método próprio para o ensino da teoria musical


Samia de Oliveira Linhares: uma diretora idealista


ALGUNS DOS JOVENS QUE ESTIVERAM NA INAUGURAÇÃO DA LIRA CALHEIRENSE


























Maestro Áureo Fiori: idealismo juvenil aos 83 anos de idade


Pauta de Áureo Fiori, quando aprendeu teoria musical em 1957 com o Prof. Sebastião Gomes Filho (alfaiate), conhecido como Fio Bernardo, em Rosal


Áureo Fiori e o seu tradicional fusquinha


O BRILHO DA JEMAJ MUSICAL NO 8º CIRCUITO CULTURAL ARTE ENTRE POVOS


O cineasta Phillip Johnston realizou gravações para documentário a ser exibido no próximo ano

A JEMAJ Musical comemorou seus 20 anos de atividades durante o 8º Circuito Cultural Arte Entre Povos, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ).

A comemoração foi realizada no ECLB (Espaço Cultural Luciano Bastos),  no último dia 4 de agosto, momento em que os alunos e professores da escola de música fizeram belas apresentações musicais no piano, nos violinos, no canto coral e na viola sertaneja.

Na oportunidade, ocorreu uma exibição do vídeo-documentário "Uma viagem musical", com uma retrospectiva cultural da escola e com as perspectivas dos novos projetos em desenvolvimento. 

A maior parte do público constituiu-se de ex-alunos, ex-professores, amigos e familiares, além de autoridades locais que prestigiaram o evento do começo ao fim.

Entre os professores que ajudaram a abrilhantar a comemoração estavam Daniel Galdino, Cristóvão Fernandes, Cris Cantaluz, Alexandre Bartholazzi e Anízia Maria, fundadora e diretora da Escola JEJAJ Musical.
















Secretária de Cultura, Luciara Amil (D), homenageou a JEMAJ Musical, através de sua diretora Anízia Maria

CIRCUITO CULTURAL TEM INÍCIO EM GUAÇUÍ (ES)



quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pedido de ajuda para pesquisar o passado


Meu nome é Glória Cristina Pereira de Souza, sou professora e atriz. Minha mãe nasceu aí em Bom Jejus do Itabapoana, em uma família descendente de italianos. Eles tiveram oito filhos, sendo que minha mãe era a mais nova com 4 anos de idade. Os irmão foram espalhados e ela ficou com uma mulher que a criou para ser sua empregada. Minha mãe nunca estudou e nem se registrou quando criança, somente o fez quando adulta com o nome que ela se lembrava.