sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

A MENSAGEM DE ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

 Olá pessoa amiga e do bem. 


Família nem sempre é aquela de sangue, mas sim aquela que faz parte da sua vida e caminha com você, lado a lado. 


Segue Definição perfeita de Família!!!


"Família é um grupo de pessoas, cheios de defeitos, que Deus reúne para que convivam com as diferenças e desenvolvam a tolerância, a benevolência, a caridade, o perdão, o respeito, a gratidão, a paciência, direito e dever, limites, enfim, que aprendam a AMAR: fazendo ao outro o que quer que o outro lhe faça. Sem exigir deles a perfeição que ainda não temos. Nós não nascemos onde merecemos, mas onde necessitamos evoluir."


"Cultive o amor... Tristeza não dá flor."


Roger LX




quinta-feira, 3 de dezembro de 2020


terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Busto de Elcio Xavier é fixado no ECLB

 Um busto de Elcio Xavier, em comemoração aos seus 100 anos, foi fixado no ECLB.

A obra é do escultor carioca Valdieri Martin e foi custeada por Rogério Loureiro Xavier, filho do consagrado poeta.




Agradecimento de Natal & Fim de Ano, por Rogério Loureiro Xavier

 Olá pessoa amiga e do bem.


Agradecimento de Natal & Fim de Ano.


Desejo a vocês um maravilhoso Natal e um ano novo cheio de saúde, paz e harmonia e realizações. Que Deus abençõe seu lar e suas vidas. Que o menino Jesus esteja sempre em seus corações.

É tempo de Natal! É tempo de encontros. É tempo de perdoar e estender as mãos. É tempo de refletir e agradecer. É tempo de amar e respeitar o próximo. E tempo de rezar e agradecer a Deus por sermos capazes de ensinar e de aprender. É tempo de construir um mundo em que o amor prevaleça e a paz acalente corações. Enfim, é tempo de voltar-se para o presépio e nele reencontrar a centralidade da Vida.

A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida...

Senhor, meu Deus, quero dar graças por todos os dias que vivi neste ano que já está terminando. Em muitos momentos pude sentir sua presença muito próxima de mim, eu pude ver suas mãos me conduzindo, seus olhos me observando e sou muito grato por tudo isso. Dou graças pela família, pelos amigos, belas bênçãos que trouxe para minha vida. Com tua presença o Natal será feliz e o próximo ano muito próspero. Obrigado Senhor.


“Chega de velhas desculpas e velhas atitudes! Que o ano novo traga vida nova, como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa.”


Feliz Natal abençoado e um Próspero Ano Novo! 


Roger LX









Centenário de Elcio Xavier (continuação)

 

O BAILE DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Elcio Xavier

         Bom Jesus era um pequeno Arraial com forte espírito republicano, razão pela qual a Proclamação da República em 1889 foi motivo de grande júbilo para a população local, comemorada de maneira muito especial: forte agitação cívica, grande queima de fogos de artifício e um estrondoso baile, realizado na bela residência do Tenente José Teixeira e sua esposa Dona Roza Alves Teixeira, em prédio construído na Praça Governador Portela, no ano de 1875 (atualmente ocupado pelo Big Hotel).
         Para esse baile foram abertos três salões do imponente solar, onde recebeu as famílias dos habitantes do Arraial e das fazendas do Vale do Itabapoana, que dançaram até o raiar do dia ao som de valsas, polcas (“2 de março” – “Uma coisa que rói”), tangos brasileiros (“Quem comeu da vaca...” – “Partindo para Mato Grosso”), executados pelo Conjunto Musical organizado pelo competente professor de música do Arraial, Maestro Feliz (Feliz Joaquim de Souza).
         É de se ressaltar que as moças usavam graciosos vestidos azuis com enfeites vermelhos ou vestidos brancos com adornos vermelhos ou azuis. Os jovens, bem aprumados, levavam sobre o paletó um cuidadoso laço de fita vermelho ou azul, dentre os quais se destacavam Dr. Abreu Lima, Coronel Pedroca, Arthur Vitorino, os irmãos Vieira de Rezende – Luiz, Pedro e Oscar, Francisco Bifano, Carlos Xavier, seu filho Carlos Xavier Júnior e seus genros os irmãos Joaquim e José Bastos.

Prédio do Big Hotel foi construído em 1875, pelo Tenente José Teixeira, proprietário de uma área, no entorno, muito religioso, e pai de numerosa prole

Histórias de Bom Jesus - A primeira emancipação de Bom Jesus do Itabapoana

 

(Do blog espacoculturallucianobastos)

A biblioteca do Espaço Cultural Luciano Bastos possui uma seção destinada à Bom Jesus e região. Composta de vários títulos em diversas áreas temáticas, abrange principalmente as áreas de literatura e história.
 
Esse rico material está a disposição para consulta local, e é uma ótima oportunidade para se conhecer um pouco mais sobre a história de Bom Jesus e região.


No mês em que completaria 92 anos, destacamos aqui o livro de autoria de Luciano Augusto Bastos "De Município a Distrito: primeira emancipação de Bom Jesus do Itabapoana (1890-1892)".



No livro, que é uma coletânea de artigos publicados por Luciano Bastos no jornal "O Norte Fluminense" quando do centenário dessa primeira emancipação, encontram-se trechos das atas da Intendência desse período, bem como considerações do autor sobre os acontecimentos de então.


Destacamos, abaixo, alguns trechos do livro:


A emancipação:


A instalação do município de Itabapoana ocorreu no dia 25 de dezembro de 1890, em decorrência do Decreto nº 150 de 24 de novembro de 1890, assinado pelo Governador Francisco Portela.
É bom lembrar aos leitores que estávamos apenas a um ano da República, implantada pelo Marechal Deodoro da Fonseca, chefe do Governo Provisório, instalado pelo golpe que derrubou a Monarquia. Não havia uma Constituição Republicana. (p.15)


Estamos trazendo para conhecimento da comunidade, fatos históricos da maior relevância, quase que desconhecidos de nossa gente, referentes a primeira emancipação de Bom Jesus, efetivada em 24/11/1890. (p.23)

Esses bravos que há cem anos lutaram e conseguiram a emancipação, plantaram novas ideias. Essas germinaram, pois nossa gente, mesmo com o revés da cassação de 1892, não se entregou ao desânimo, e a luta continuou, incorporando novos idealistas, até chegar à emancipação definitiva de 1938. (p. 36)

Como se sabe, posteriormente, em 1892, foi cassada a emancipação por motivos políticos decorrentes da renúncia do Marechal Deodoro da Fonseca ao poder presidencial e como consequência também a renúncia do Governador Francisco Portela, em solidariedade ao Marechal.  (p. 37) 


A epidemia de cólera:

No expediente foi lido ofício do Governador Portela, autorizando a Intendência a promover despesas que fossem necessárias para o tratamento dos indigentes acometidos de "febres de mau caráter", que grassam no município, pedindo, entretanto, a maior economia nos gastos. (p. 39)



Doação da cópia das atas da Intendência:
 
Devo dizer aos leitores que nossas pesquisas e publicações visam perpetuar fatos históricos da maior importância para nossa comunidade. Devo confessar que de certo modo estou desobrigando-me do compromisso feito comigo mesmo, quando meu velho amigo Professor Pedro Gonçalves Dutra confiou-me o valioso acervo histórico deixado pelo seu pai, historiador Antonio de Souza Dutra. (p.77)


A importância da preservação da história:

Essas histórias dos que lutaram pela emancipação primeira não pode ser relegada e é necessário que se evidenciem os fatos, os nomes, tudo que representa o elo do passado com o presente, preservando a memória do nosso povo. (p. 24)