domingo, 29 de março de 2015

A LIRA DO LADO DE LÁ E A LIRA DO LADO DE CÁ



A LIRA DO LADO DE LÁ 
(Laje do Muriaé/RJ)

Tarde do dia 28 de março de 2015











Maestro Araceli de Resende Silva: idealismo à frente da Lira há 33 anos






Sociedade Musical Lira da Esperança de Laje do Muriaé (RJ) brilhou e alcançou o 1º lugar na categoria Melhor Banda  na Categoria de Pequeno e Porte Médio do Estado do Rio de Janeiro, no dia 8 de março no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro


A LIRA DO LADO DE CÁ 

(Lira Operária Bonjesuense, Bom Jesus do Itabapoana/RJ)


Sede da Lira Operária Bonjesuense só abre as portas para ensaios nas proximidades dos festejos de julho em Apiacá (ES), e de agosto, em Bom Jesus do Itabapoana (RJ)



A Lira do lado de lá conta com cerca de sessenta instrumentistas, incluindo jovens.
A Lira do lado de cá talvez consiga arregimentar cerca de vinte instrumentistas, mas sem contar com qualquer jovem.

A Lira do lado de lá participa de competições, incluindo no Rio de Janeiro, estimulando o desenvolvimento dos instrumentistas.
A Lira do lado de cá não participa de  nenhuma competição.

A Lira do lado de lá convida a sociedade para ajudar em sua administração.
A Lira do lado de cá mantém a sociedade alheia ao que ocorre em sua administração.
 

A Lira do lado de lá informa à sociedade o nome do presidente escolhido conforme o regimento interno. 
A Lira do lado de cá até agora não informou à sociedade bonjesuense se realizou eleição para o triênio 2015/2017 e, em caso afirmativo, qual o nome escolhido para presidente.

A Lira do lado de lá pode ser vista ensaiando durante todo o ano, especialmente nas tardes dos sábados, em sua sede.
A Lira do lado de cá mantém suas portas fechadas em praticamente todo o primeiro semestre, só retornando aos ensaios quando se aproximam os festejos de Apiacá (ES), em julho, e de Bom Jesus do Itabapoana (RJ), em agosto, ocasião em que as respectivas prefeituras pagam a entidade pelos serviços prestados.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Oficina literária revela talento

                                                                                     
                                                                        Fotos de André Luiz de Oliveira
Oficina literária de Tarcísio Borges foi disputada

O consagrado escritor bonjesuense Tarcísio Borges, autor de livros de sucesso como "A GUERRA DA INTRIGA (OU DE CANUDOS)" e "SEM DEFEITOS",  realizou, hoje, oficina literária na Biblioteca do ECLB, que teve lotação completa, sendo necessária a redução do número de interessados ao limite de quinze participantes.

A oficina foi levada a efeito nos períodos da manhã e da tarde. 



Borges atuou em parceria com o ECLB sem cobrar cachê, imbuído do espírito de apoiar o desenvolvimento da cultura em nosso município. Considerou, ao final, um evento "acima das expectativas. O objetivo é estimular a leitura e o gosto pelo livro, assim como descobrir novos talentos", assinalou. Os participantes, por sua vez, além de aprovarem a oficina, solicitaram a realização de outra.


Tarcísio Borges: idealismo e paixão pela literatura e por Bom Jesus


A jovem Luisa Rocha de Oliveira, da Usina Santa Isabel, foi considerada um dos destaques da oficina, com futuro promissor na literatura.

Filha de Tânia Barroso Rocha e José Maximiniano de Oliveira, nasceu em Bom Jesus do Itabapoana no dia 03/10/1994. Ela conta que "apaixonei-me por literatura quando cursava a 6ª série, no Colégio Estadual Alcinda Lopes Pereira Pinto, da Usina Santa Isabel, com a professora Alba Lívia. Em 2011, venci o concurso realizado pelo ILA (Instituto de Letras e Artes dr. José Ronaldo do Canto Cyrillo)". 

Segundo Luisa "a oficina literária foi magnífica, porque fomos estimulados a escrever uma página de um livro. A troca de conhecimentos com Tarcísio Borges foi também enriquecedora".

O NORTE FLUMINENSE convidou Lúcia Rocha para publicar alguns de seus textos em nosso periódico, o que foi aceito pela jovem escritora.  


Luisa Rocha de Oliveira, talento bonjesuense revelado na oficina literária








 LIRA 14 DE JULHO
        O RECOMEÇO - "THE BEGIN AGAIN"



                               Anselmo Júnior Borges Nunes

                                     



 
Ontem, 23 de março de 2015, demos um basta numa pausa interminável que calava os nossos instrumentos e, sobretudo, os nossos corações.
A Lira 14 de Julho não morreu!!!


Depois de décadas de descaso e de comodismo, temos a esperança de que ela, brevemente, preencherá as ruas de nossa vila com sua música que nunca deveria ter ficado no esquecimento....


Sabemos das inúmeras dificuldades que iremos
encontrar nesse recomeço, todavia temos confiança em Deus, no povo altaneiro de Rosal e, sobretudo, nos amigos da 14 de Julho. 


Necessitaremos mais do que meros aplausos! Mas sim, de uma comunhão de ações, por parte de todos que nela depositam sua esperança!

 


O nosso trabalho inicial será lançar as redes para
"pescar" novos alunos. Para tanto, vamos precisar
do apoio irrestrito das famílias rosalenses e também dos professores do ensino municipal e estadual, que deverão contribuir nessa estratégia inicial de reconquista.


Temos carências humanas - músicos - e materiais -
instrumentos -, porém isso não nos impedirá de pularmos o compasso daquela enorme pausa que tanto nos entristeceu nesses anos.


Para início das atividades, foi composta uma
diretoria interina, formada por Fabiana Morais - presidente - e por mim, na direção de patrimônio. O maestro Cely Tinoco continuará regendo a Lira 14 de Julho e também ministrando suas aulas práticas aos alunos.


Avante 14 de Julho, pois você faz parte da história
de Rosal!



quinta-feira, 26 de março de 2015

Móvel de Boanerges e Biluca é preservado



Atalíbia Boechat Borges e a caixa de fósforo de 1959, com foto de Roberto Silveira



Atalíbia Boechat Borges nasceu em 24/11/1945, em Bom Jesus do Itabapoana. Filha de Amélia Boechat Borges e Antônio José Borges, da Barra do Pirapetinga, são quatro os irmãos: Marciano, Maria das Graças, Ana Carolina, Cyrillo e Carolina. Casada com Wilson Miranda, teve dois filhos: Roulien Boechat e Ruth Boechat.

Seus avós maternos são Marciano José Domingues e Atalíbia Herdy Boechat, enquanto os paternos são Roselmira Maria Martins e Venceslau Ferreira Borges. 

Estudou na Escola Felicíssimo Leite, na Braúna, zona rural de nosso município e, posteriormente, no Colégio Zélia Gisner, na cidade. Posteriormente, formou-se professora em Itaperuna (RJ) e em São Gonçalo (RJ), realizando diversos cursos de especialização no Rio de Janeiro e Muriaé (MG). Lecionou no Colégio Estadual Padre Mello, no Colégio Zélia Gisner e no Colégio Antônio Honório, em Bom Jesus do Norte (ES). 


Caixa de Fósforo distribuída durante a campanha de Roberto Silveira em 1959 


Ela diz que "Roberto Silveira mudou a face de Bom Jesus do Itabapoana. Por aqui, muita gente só vivia do café, tendo renda anualmente. Roberto Silveira conseguiu emprego para muitos bonjesuenses, fazendo com que a realidade do município se modificasse. Seus pais Boanerges e Biluca costumavam dar o encaminhamento a estes empregos. Gostaria de ressaltar aqui o papel decisivo de Biluca, que foi uma mulher além do seu tempo. Ela opinava em tudo o que Boanerges fazia e tinha visão objetiva das coisas. Isso, certamente, influenciou no fato de ter tido dois filhos governadores", assinala.

Continua Atalíbia: " Meu avô, Marciano Domingues, era companheiro de Boanerges em negócios envolvendo café. Ele era chamado de Pai Eta. O apelido se deu pelo fato de vovô morar na Fazenda do Leite, próximo a Mirindiba. Como nós, quando crianças, não sabíamos pronunciar a palavra 'leite' corretamente, acabávamos dizendo 'eta'. Assim, passamos a chamar nosso avô de Pai Eta e nossa avó de Mãe Eta. Recordo-me que Pai Eta era integralista, da camisa-verde. Ele foi agredido em duas oportunidades, por causa disso. Na época, Getúlio Vargas tinha determinado a queima de plantações de café, para que o produto aumentasse de preço. Minha avó tinha muito medo de meu avô ser integralista. Antes de morrer, contudo, Pai Eta pediu para que fosse enterrado com a camisa verde.


Atalíbia diz que sua mãe Amélia gostava de contar histórias para ela e sua irmã Ana. "Mamãe contava que meu avô Marciano comprou, certa vez, a Fazenda do Meio, que ficava entre Barra do Pirapetinga e Calheiros, e que pertenceu a Boanerges Borges da Silveira, pais dos governadores Roberto e Badger Silveira. A compra foi feita 'com porteira fechada' , o que significa dizer que tudo o que estava dentro da fazenda foi adquirida. No primeiro dia em que minha mãe foi dormir na Fazenda do Meio com os doze irmãozinhos, juntamente com os avós, todos ficaram muito contentes, pois cada um passou a ter seu quarto. Por volta das duas horas da manhã, contudo, alguns irmãos disseram que viram assombração. Foi uma gritaria geral na fazenda e todos acabaram indo dormir no quarto dos meus avós".


E prossegue: "Assim que a  Fazenda do Meio foi vendida para meu avô Domingues, minha madrinha Carolina Domingues Boechat, que era minha tia, acabou ganhando um guarda-louça que pertencia a Boanerges e Biluca. Como, posteriormente, fui morar com minha madrinha, esta, ao final de sua vida, doou-me este móvel, assim como o almofariz que foi uma lembrança de Biluca e Boarnerges".




ALMOFARIZ E GUARDA-LOUÇA DE BOARNERGES E BILUCA




Almofariz pertenceu a Bonaerges e Biluca




Guarda-louça que pertenceu a Boanerges e Biluca







 Retornando a Roberto Silveira, ela diz que "quando vinha a Bom Jesus fazer campanha, ele deixava com meu pai material de campanha. Entre este material constavam muitas caixas de fósforo, que foram guardadas. Sobrou uma, que estou doando, agora, ao ECLBRecordo-me das maravilhosas Festas de Agosto quando Roberto Silveira era governador. Ele colocava holofotes na Praça Governador Portela, cujas luzes eram vistas até em Braúna, a cerca de 15 km de Bom Jesus. Ele trazia, também, bandas de músicas com qualidade, que era o que o povo queria. Havia ainda as espetaculares esquadrilhas da fumaça, que eram lindas."

Atalíbia diz que, após a morte de Roberto Silveira, Bom Jesus do Itabapoana e as Festas de Agostos nunca mais foram as mesmas.  "Perdemos nosso maior líder. Hoje, olho para a política e me pergunto: 'Onde está a essência da política de Roberto Silveira?'


Segundo Atalíbia, "apreciei ser professora, mas meu sonho, desde jovem, era ser funcionária do Banco do Brasil que, na época, era uma profissão de destaque. Mas não pude prestar concurso, pois só homens eram admitidos nos bancos. Além disso, por minha avó paterna, eu não sairia da Braúna, pois ela queria que eu me dedicasse à costura e bordados.

Sempre fui uma sonhadora que, contudo, não conseguiu realizar os sonhos. Hoje, continuo sonhadora, mas de outra natureza, preocupada com o futuro dos meus netos.


Repentinamente, os olhos de Atalíbia se entristecem: "Olho para o Monte do Calvário, região vizinha, e vejo algumas situações de miséria extrema.  Neste ambiente, viaturas da PM costumam aparecer, nos fins de semana, e levarem jovens presos por tráfico de droga. Jovens que, desde cedo, não possuem perspectiva de vida. Vejo, por outro lado, na televisão, falarem do projeto Criança Esperança, mas nunca vi isso em Bom Jesus do ItabapoanaApesar disso, entendo que devemos confiar na juventude. Acreditar que, através da educação desde o berço, poderemos transformar as crianças. Há grandes exemplos disso em Bom Jesus do Itabapoana e acredito que isso pode ser levado a todos os nossos jovens".

Atalíbia: esperança, apesar de tudo


domingo, 22 de março de 2015

Laje do Muriaé (RJ) planeja cursos profissionalizantes para jovens


  
Maria Beatriz Silva (E) e demais participantes da reunião do Pronatec

A diretora da Casa da Cultura Dr. Manoel Ligiéro, de Laje do Muriaé (RJ), Maria Beatriz Silva, representou a Secretaria Municipal de Cultura na reunião do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) ocorrida no dia 19/03 nas dependências do SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) em Campos dos Goytacazes (RJ). A iniciativa teve como objetivo discutir o planejamento das vagas para os municípios, no segundo semestre de 2015.

O Pronatec foi criado pelo Governo Federal, em 2011, por meio da Lei 11.513/2011, com o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país, além de contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público.



Segundo Maria Beatriz, "foi um encontro enriquecedor e muito importante para o nosso município. Pudemos perceber com mais clareza os meios de como se relacionar permanentemente com os Ministérios".

De acordo, ainda, com a diretora, " uma das boas novidades é que vamos poder definir e articular diretamente com os Mistérios os cursos oferecidos, de acordo com as nossas necessidades de mão de obra. Assim, poderemos direcionar melhor as ofertas de cursos para as vagas de emprego, dando oportunidade para todos. Nosso objetivo é buscar cada vez mais uma melhor qualidade na educação dos nossos jovens, com capacitação e qualificação de mão de obra", finalizou.



Flagrante da reunião do Pronatec





















A educação em Minas Gerais


Texto enviado por Elizete Maria da Silva, diretora da Escola Estadual de São Sebastião do Sacramento, no distrito de Sacramento (Manhuaçu-MG)




A educação em Minas Gerais sempre foi considerada um referencial para todo país, motivo de orgulho para todos os mineiros, claro. O que não pode ser confundido com as condições dos profissionais da educação. Os salários são baixos e hoje enfrenta um dos maiores problemas de toda sua história.

Em 2007, havia um grande número de profissionais da educação, professores, ajudantes de serviços gerais, assistentes técnicos (auxiliar de secretaria), especialistas, inspetores, que eram designados, ou seja, todo ano eram contratados e dispensados ao final do ano letivo. 

O governo sancionou a chamada Lei 100/2007 e EFETIVOU 98 MIL SERVIDORES.  Na data de publicação da lei, todas as pessoas que estavam atuando sem concurso, passaram a ser EFETIVADAS, não necessitariam mais passar por designações. Estavam automaticamente contratadas. 

Por um lado, muitas pessoas ficaram alegres porque não precisariam mais ficar na correria no início de ano, procurando emprego, por outro lado, essa estabilidade manteria todos no nível em que se encontrava no momento da efetivação. Por exemplo, um professor que estava terminando a faculdade, e tinha contrato, teria seu emprego mantido, mas ficaria com o salário de não habilitado, mesmo depois da conclusão do curso.

Muitas pessoas se queixaram também, porque mesmo tendo muito tempo de trabalho, pelo fato de não estar trabalhado no dia da publicação da lei, perdeu a efetivação.

Essa lei perdurou até ano passado, quando essa foi julgada e considerada inconstitucional pelo STF, tendo em vista que a única forma de ingresso no serviço público se dá através de CONCURSO PÚBLICO. 

Desde então, estamos vivenciando um problema na educação de Minas Gerais. As pessoas que foram aprovadas nos concursos públicos de 2012 querem a posse mesmo nas vagas além daquelas que foram divulgadas no edital, tendo em vista que são ocupadas por ex-efetivados. Esses por sua vez, vivem a angústia de não saberem que rumo seguirão. A data limite estabelecida pelo STF é 1º de abril de 2015, a partir da qual os servidores deverão ser demitidos. O novo governador buscou junto ao STF um adiamento dessa data, mas como não obteve resposta, fez uma emenda prorrogando até 31 de dezembro o contrato de todos esses funcionários, pois todas essas demissões causariam transtornos e a paralisação das aulas, além de deixar milhares de pessoas desempregadas.

Calcula-se que os ex-efetivados são hoje cerca de 72 mil funcionários considerando os profissionais que já se aposentaram e outros que foram aprovados em concurso e empossados. Com certeza essa insegurança prejudica o andamento do trabalho e dos projetos desenvolvidos nas escolas. Espera-se que toda essa situação seja resolvida o mais rápido possível.

No momento só nos resta aguardar os próximos acontecimentos para ver o rumo da educação em Minas Gerais.








Engenheiro visita local onde será construída a sede do Memorial Governadores Roberto e Badger SIlveira




O engenheiro Paulo Sèrgio do Canto Cyrillo fará o projeto do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira

O dia 16 de março de 2015 foi um dia histórico para o Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira. Nesse dia, o engenheiro Paulo Sérgio do Canto Cyrillo visitou o Sítio Rio Preto, onde nasceram os governadores e seus irmãos Zequinha, Dinah e Maria da Penha, e onde será edificada a sede da entidade. Ele fará o projeto do prédio e o acompanhamento das obras, sem cobrar qualquer valor. "Quero dar minha contribuição para a preservação da memória dos governadores Roberto e Badger Silveira", assinalou Paulo Sérgio.


Paulo Sérgio e Georgina de Oliveira Santos, presidenta da Associação dos Amigos do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira. Atrás, a área onde será edificado o Memorial

A área para a construção do Memorial, com dimensões de 10 x 20 m2, foi doada  por Cíntia Oliveira Santos Nunes, filha caçula de Manoel dos Santos Araújo, o Neneco, o amigo de infância de Roberto, Badger e Zequinha Silveira. O marido de Cíntia, Alessandro Nunes, também deu sua autorização, assim como Georgina de Oliveira Santos, viúva de Neneco.


Cíntia de Oliveira Santos Nunes doou a área para a construção do Memorial

Após a elaboração do projeto, a Associação promoverá campanha para arrecadar os recursos objetivando o início da construção do prédio.


Verificação da área do Sítio Rio Preto onde será construído o Memorial
  
O projeto deve prever uma edificação em dois pavimentos. "No térreo, pretendo estabelecer um salão onde ficará exposto o acervo permanente do Memorial, além de uma sala para venda de produtos relativos ao Memorial e, também, de produtos da região. Na parte de cima, devo estimar um auditório para palestras, exibição de filmes e outras apresentações culturais", assinalou Paulo Sérgio. 


O engenheiro Paulo Sérgio  na reunião com André Luís de Oliveira (esquerda),  Georgina de Oliveira e Eraldo Rezende, membros da direção da Associação





sábado, 21 de março de 2015

Um homem que foi elevado ao céu


Foi ontem, à noite, que foi elevado ao céu o sr. Walter Rodrigues Coutinho, aos 73 anos de idade,, após cinco anos de luta contra o câncer.

Sua esposa Zeni Dias Coutinho conta que seu esposo era um exemplo de marido, pai e avô. "Homem trabalhador e de fé, devoto de Nossa Senhora Aparecida, faleceu segurando as mãos de sua nora, Regina, com quem cantava, por ocasião de seu último suspiro, a música "O que é que eu sou sem Jesus?", do padre cantor sertanejo Alessandro " diz ela.

O casal residia no Sítio Laranjeiras, em Aré, distrito de Itaperuna (RJ) e completaria 49 anos de casamento no mês de julho. 

"Seu" Walter, como era conhecido, era pecuarista e pessoa bondosa e estimada por todos. "Durante todo o período de doença, jamais teve uma palavra para reclamar de nada nem ninguém. Ao contrário, sempre estava alegre e contente com a vida. Quando foi internado no Hospital São José do Avaí, em Itaperuna, seu quarto não parou de ser visitado. Ele agradecia o tempo inteiro aos médicos, aos enfermeiros, aos funcionários e a todos os que o visitavam", assinala Zeni.

Deixa, além da viúva, quatro filhos: Arimatéia, Crélia, Iara e Karla, além de oito netos. Deixa também, grande saudade e um exemplo de amor a Deus e ao próximo.

O velório está ocorrendo na capela de Aré e seu sepultamento ocorrerá hoje, às 16h, no cemitério de Itaperuna.

WALTER RODRIGUES COUTINHO PRESENTE!




domingo, 15 de março de 2015

O encanto do antiquário de Italva (RJ)






Erenilson Pacheco sempre foi um apaixonado por antiguidades. Há 17 anos estabeleceu um belo antiquário em Italva, sua cidade natal, localizada no norte do estado do Rio de Janeiro.






Juntamente com os antiquários de Rio Novo do Sul e de São Pedro do Itabapoana, ambos localizados no sul do estado do Espírito Santo, o antiquário de Italva constitui mais uma opção para os amantes de antiguidades da região. Contato: 22-999045764.










Asfalto é solicitado ao governador Paulo Hartung




Moradores de São Pedro do Itabapoana têm esperança de que o governador Paulo Hartung atenda ao anseio da comunidade


Participantes de evento festivo na Fazenda Rio Doce, localizada entre os municípios capixabas de Apiacá e Mimoso do Sul resolveram realizar, hoje, dia 15, um manifesto direcionado ao governador Paulo Hartung, solicitando o asfaltamento de 9 km da Rodovia Antônio Baptista Poubel que liga Apiacá ao distrito de São Pedro do Itabapoana, patrimônio histórico do estado.

A sede da Fazenda Rio Doce


O movimento foi encabeçado pelo proprietário  Ernesto Tavares Borges, que ressaltou que o governador capitaneou, anteriormente, com êxito, o projeto Caminhos do Campos. "O asfaltamento de 9 km não constituiria ônus relevante para o estado e teria grande repercussão no seio dos moradores da região, que há anos vêm lutando por esta obra", salientou. 

O distrito de São Pedro possui diversos prédios centenários


Os moradores de São Pedro presentes, registraram  que, por ocasião das  Festas de Sanfona e Viola, que ocorrem no mês de julho, visitantes acabam desistindo de chegarem ao distrito, quando verificam o estado lastimável da pista.
 
Todos manifestaram, contudo, a esperança de que Paulo Hartung atenderá o anseio da comunidade.


Rodovia Antônio Baptista Poubel

Manifestação contra Dilma em Bom Jesus




Urubatan Rabelo e o professor Ricardo Freire foram os únicos a protestarem contra a presidenta Dilma





Foram apenas dois os manifestantes que apareceram na Praça Governador Portela, na tarde deste domingo, para protestarem contra a presidenta Dilma Russef: Urubatan Rabelo e o professor Ricardo Freire.

Segundo o professor Ricardo, "isso significa que o povo está satisfeito com o governo. As pessoas falam mal pelas ruas, mas não comparecem.  Tive informação, contudo, que um blogueiro teria avisado que o movimento teria sido transferido para as 18h, o que teria desarticulado as pessoas. Se isso for verdade, terá sido uma ideia infeliz, porque neste horário as pessoas estão se preparando para irem à missa. Quero registrar, contudo, que este movimento é também contra a prefeita municipal. Considero que as pessoas tiveram medo de mostrarem suas caras e isso também colaborou para que não viessem protestar", salientou.

Urubatan, por sua vez, registrou que "há falta de interesse, de conhecimento e de vontade de pressionar o governo. Continuarei, contudo, denunciando o que considero errado", no que foi acompanhado pelo professor Ricardo.

sábado, 14 de março de 2015

QUASE MEIO SÉCULO DE EXERCÍCIO DE ADVOCACIA




Sebastião Freire Rodrigues, o Patané


No final deste ano, Sebastião Freire Rodrigues, conhecido como Patané, completará 49 anos ininterruptos no exercício de advocacia e de relevantes serviços à sociedade bonjesuense.

Nascido em 23/12/1943, filho de Genaro Rodrigues e Geraldina Freire Rodrigues, Patané estudou com a professora conhecida como dona Mariquinha e cursou o Ginásio e o Técnico em Contabilidade no Colégio Rio Branco.

Com 16 anos, fundou a Federação dos Estudantes Secundaristas no município, representando o estado do Rio de Janeiro no Congresso Nacional em Pelotas (RJ). Formou-se em Direito, em 1966, pela UFF (Universidade Federal Fluminense), em Niterói.

Foi Secretário do Aero Clube e membro do Centro Popular Pró-Melhoramentos, tendo sido secretário da entidade. Foi secretário, também, do Instituto de Menores Roberto SIlveira. Exerceu a presidência da Associação Comercial e Industrial de Bom Jesus por dois mandatos, restaurando e reorganizando a entidade.

Atuou também como presidente do MOBRAL, alfabetizando cerca de 4 mil cidadãos. Foi presidente da Lira Operária de Bom Jesus, ocasião em que a Furiosa participou de um concorrido Encontro de Bandas no Rio de Janeiro.

Ex-membro efetivo do Rotary Club, exerceu o cargo de Secretário de Obras do Município, oportunidade em que estabeleceu a obrigatoriedade de fornecimento de cafés da manhã e da tarde para todos os servidores. Além disso, instituiu a folga dos funcionários no dia de seus aniversários, com entrega de uma cesta básica a cada servidor.

Foi presidente da 17ª subseção da OAB-RJ por dois mandatos e, juntamente com os advogados Dr. Eliezer Reis e Dr.Nilton Serpa Kelly, construíram a sede própria da entidade.

Exerceu a presidência da Comissão de Festa de Agosto, foi vereador e presidente da Câmara com inúmeros projetos, inclusive o destacado  "Cidadania, um direito de todos".


Promoveu a execução, no projeto "A Nova Bom Jesus", da instalação da reciclagem de lixo, assim como a instalação de 200 empresas e 1000 (mil) casas populares.

Foi Chefe de Gabinete e, posteriormente, Chefe do Controle Interno, durante o Governo do Prefeito Miguel Motta.

Como advogado, concluiu um processo de inventário em duas horas e vinte e dois minutos, processo tramitado nesta comarca no Cartório do 1º ofício, com a colaboração dos serventuários da Justiça e do Poder Judiciário.

Lançará, brevemente, em dia histórico para o município, os livros de autoria de PADRE MELLO, OCTACÍLIO DE AQUINO e ATHOS FERNANDES, obras selecionadas pelo professor bonjesuense Delton de Mattos, ocasião em que serão distribuídos gratuitamente 1.500 (mil e quinhentos) livros.  Todos os encargos das publicações e lançamentos dos livros estão sob a responsabilidade de Patané, o que revela que o espírito juvenil está, mais que nunca presente nesta personalidade que poderia sintetizar sua vida, dizendo: "vivo para servir".
  



DEZENOVE HERÓIS BONJESUENSES LUTARAM NA 2a. GUERRA MUNDIAL (1ª parte)



Da Série Entrevistas de O Norte Fluminense



Homenagem aos heróis bonjesuenses fixou placa no pátio da Prefeitura Municipal no dia 08/05/1981


Cerca de 25. 334 soldados brasileiros foram enviados à Itália para lutar na 2a. Guerra Mundial. Desses, 19 eram bonjesuenses. Morreram em batalha, 465 soldados.  O expedicionário bonjesuense Paulo Moreira foi um desses.



O bonjesuense Jorge Jabôr foi à 2a. Guerra Mundial, juntamente com outros 18 heróis bonjesuenses


Genilda Jabôr, viúva de Jorge Jabôr, um dos heróis bonjesuenses, e seu filho Jorge Borges Jabôr, guardam um importante acervo sobre sua atuação na guerra.


Jorge Jabôr é filho de Nahim Jabôr, libanês nascido em Beirute. Veio com 14 anos de idade para o Rio de Janeiro e, posteriormente, se fixou em Bom Jesus do Itabapoana.


Jorge Jabôr e os preparativos para a tomada do Monte Castelo, na Itália




Segundo Genilda,  "Jorge ficou traumatizado com a guerra. Ele contava que viu Paulo Moreira morrer na guerra, com tiros. Jorge era muito quieto".


Paulo Moreira morou na rua localizada atrás da Igreja Matriz, que leva seu nome: "Rua Expedicionário Paulo Moreira".


Genilda Jabôr, viúva do herói bonjesuense




  (continua)

quarta-feira, 11 de março de 2015

A PAZ COMEÇA EM CASA: CAMPANHA EXITOSA DO PODER JUDICIÁRIO


Magistrado dr. Luiz Alberto Nunes da Silva e a camiseta da campanha Justiça pela paz em casa (foto: André Luiz de Oliveira)


O  Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro está desenvolvendo, entre os dias 09 a 13 de março, a Campanha deflagrada pelo Supremo Tribunal Federal, denominada "Justiça pela Paz em Casa", liderada pela Ministra Cármen Lúcia. A campanha objetiva dar visibilidade a ações do Poder Judiciário em demonstrar a efetividade da Lei Maria da Penha e o combate à violência doméstica e familiar contra a mulher. Nesse mês, o TJRJ promoverá uma semana de intensificação de julgamento de júris e audiências de instrução e julgamento, de modo a estimular em todas as comarcas do estado, a dinamização do combate à violência doméstica e familiar contra a mulher.


Em nossa comarca, o Poder Judiciário, através do dr. Luiz Alberto da Silva Nunes, diretor do Fórum, tem se destacado na implementação dos objetivos desta campanha. 

A PAZ COMEÇA EM CASA!


(foto: André Luiz de Oliveira)
 

 

1ª EMANCIPAÇÃO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA


terça-feira, 10 de março de 2015

Aniversário de Lavinya


Lavinya (D) completou 6 anos de idade, no dia 4 de março, em grande estilo, na Panificadora Família Borges, ao lado dos irmãos Emily e Asaf. Eles são filhos de Luis Fernando e Cintia de Souza do Nascimento.

Distrito mineiro de Sacramento se destaca na educação



Elizete Maria da Silva, a nova diretora da Escola Estadual de São Sebastião do Sacramento



O distrito de São Sebastião de Sacramento, do município de Manhuaçu, foi criado em 21 de outubro de 1878, mas foi a partir de 1842 que passou a ser habitado, a partir da chegada de combatentes revoltosos da Revolução Liberal, derrotados por Duque de Caxias.


Sacramento tem, portanto, em suas origens, pessoas cultas e idealistas. Esta tradição se mantém ao longo dos anos, com vários membros da comunidade se projetando no estado e no país. 

A Escola Estadual de São Sebastião do Sacramento, por exemplo, foi fundada em 1907 e sempre se destacou pelo compromisso com a comunidade.
Em 2002, recebeu o prêmio RENAGESTE, obtendo o 1º lugar dentro da região da Superintendência Regional de Ensino Manhuaçu, que abrange 18 municípios e mais de 70 escolas.
Em 2007, a festa do centenário foi momento ímpar para essa instituição.
A nova diretora da escola,
Elizete Maria da Silva, 44 anos, natural de Sacramento/ Manhuaçu, acaba de assumir suas funções com o compromisso de dar continuidade à trajetória de êxito da instituição, e de coordenar um projeto de desenvolvimento da comunidade, para enfrentar os novos desafios da era moderna. 
Pedagoga atuando como Especialista da Educação básica e regente de turma nos iniciais, cursou o ensino fundamental na escola onde agora exerce a direção. O ensino médio e o magistério foram cursados na Escola Estadual Dr. Eloy Werner, em Realeza. Posteriormente, formou-se em Pedagogia pela FAFILE (Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Carangola), com especialização em matérias pedagógicas e supervisão escolar. É pós-graduada em Psicopedagogia na FAFIC (Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Caratinga), tendo cursado, ainda, a pós-graduação em Gestão e Docência no Ensino Superior pela PUC Minas, em Belo Horizonte.
A posse da nova diretora
A nova diretora faz um relato exclusivo para O NORTE FLUMINENSE.

"Nos últimos anos, vários alunos da escola têm alcançado aprovação em Universidades Federais, em especial  na Universidade Federal de Viçosa, que é a mais próxima, além da Universidade Federal de Juiz de Fora, a Universidade Federal de Minas Gerais e aUniversidade Federal de Ouro Preto.

Neste ano, 4 alunos do 9º ano da escola no passaram na prova de seleção, para cursar o Ensino Médio no Instituto Federal de Ouro Preto.
Vários alunos seguem carreira acadêmica, cursando mestrado e doutorado, mas sempre retornando, visitando a escola e revendo alguns professores.
A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas tem sido um ponto forte no trabalho pedagógico. Vários alunos já foram premiados com menção honrosa, além da medalha de bronze e prata. Os pais se envolvem e os alunos aprovados para a segunda fase se dedicam mesmo.
Uma aluna, por exemplo, foi selecionada por dois anos consecutivos para participar de um curso de
uma semana que acontece a nível nacional, promovido pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada. Neste ano, foi aprovada em matemática na UFV e selecionada para receber uma bolsa para se dedicar aos estudos. Deve-se assinalar que somente 50 alunos se destacaram na OBMEP, aprovados em Matemática e selecionados em todo país. Motivo de muita alegria para todos da comunidade de Sacramento. 
Quando a escola solicita  a ajuda da comunidade, tem sempre uma resposta positiva. Já foi construído um muro em torno de toda a escola com a colaboração dos pais e, em outro momento, foi necessária a construção de um salão, com urgência. A campanha foi lançada e o salão construído dentro do período solicitado.
A escola enfrenta os mesmos problemas de todas as escolas contemporâneas. Algumas salas superlotadas, alguns alunos indisciplinados, falta e acompanhamento de alguns pais e um sistema irresponsável que deixa os profissionais da educação totalmente inseguros em relação ao seu futuro profissional, como é o caso dos ex- efetivados, que ainda não sabem se serão  demitidos ou não no dia 1º de abril.
Enfim, novo desafio!"
 
 
 
 
                  





 





"RIO CIGANO", dia 11/03/2015, às 19h30min, no ECLB




Prezado(a), bom dia!
O Espaço Cultural Luciano Bastos convida para a exibição, nesta quarta-feira, do filme “Rio Cigano”, de Júlia Zakia, classificação 14 anos. A sessão integra a 9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos – Democratizando, que acontece até março no ECLB. Após
Exibição do filme, 11/03/2015 (4ª-feira) às 19h30min
Após o filme, debate com o público, com a presença do jornalista Pedro Salim Jr. e Eduardo Moreira, Professor de Sociologia do IFF Bom Jesus. 
Prestigie com sua presença e convide os seus amigos.
Entrada franca. 

O filme, resultado de uma pesquisa de campo de dez anos, sobre famílias de ciganos espalhadas pelo Brasil, conta a história de Kaia e Reka, duas meninas ciganas que se separam na infância e são criadas em mundos diferentes.
Saiba mais sobre o filme em: http://semema.com/rio-cigano/


RIO CIGANO, direção de Julia Zákia, ficção, 80 min, 2013, Brasil
Dia e horário: 11/03 (4ª-feira), às 19h30min
Classificação indicativa – 14 anos
Bate papo com Pedro Salim e Eduardo Moreira
Local: Espaço Cultural Luciano Bastos


                      
​ 

    Espaço Cultural Luciano Bastos
   Pça. Amaral Peixoto 13, Centro
   Bom Jesus do Itabapoana, RJ


   Nas redes sociais: