quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

A melhor comida de Bom Jesus do Itabapoana



A melhor comida de Bom Jesus do Itabapoana pode ser encontrada no Restaurante Marrom Glacê, estabelecido por José Roberto dos Santos, conhecido como Zezinho do Marrom, há cerca de 35 anos.

Localizado na Avenida Geraldo Magela, próximo à sede da CAVIL (Cooperativa Vale do Itabapoana Litada), o Restaurante oferece, ainda, um local tranquilo e um bom atendimento. 


Nascido em Rosal, no dia 14/05/1944, Zezinho trabalhou, por anos, no Hospital São Vicente de Paulo e na Mug Lanchonete, totalizando 60 anos de trabalho.

Essa experiência permite que Bom Jesus possa oferecer ao visitante o melhor de sua culinária.











terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Mimoso do Sul e o encanto de seus antiquários


História e cultura podem ser constatadas, por um olhar atento, por quem visita Mimoso do Sul (ES), terra de Cleber Coimbra, um das grandes personalidades de nossa região, hoje residente em Brasília.

Além dos prédios históricos e devotados à cultura, três antiquários chamam a atenção por seu encanto.

Um deles é o Antiquário do Fernando, localizado em sua residência, próximo ao Banco do Brasil. Entre inúmeras preciosidades, pode-se encontrar uma sopeira de 1760, que pertenceu à Cia. das Índias.



















Sopeira de 1780, da Companhia das Índias, é a peça mais clássica do Antiquário do Fernando

Reunião com Representantes dos Blocos Carnavalescos



(Do setor de comunicação da Prefeitura Municipal de Bom Jesus do Itabapoana)



Nesta terça-feira (30/01/2018), a Prefeitura Municipal por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Urbanismo realizou uma reunião no auditório da PMBJI com os representantes dos Blocos Carnavalescos.

O encontro abriu o diálogo com os representantes sobre o apoio da PMBJI aos blocos. A secretária, Luciara Amil Nunes, ouviu as reivindicações dos presentes e prestou esclarecimentos sobre questões burocráticas e orçamentárias, que impedem que algumas decisões sejam realizadas de imediato.

Algumas regras também foram apresentadas como: disposição das barracas, percurso dos blocos e venda dos abadás. Os representantes dos blocos apresentaram suas considerações e manifestaram posições favoráveis à iniciativa da PMBJI de discutir, democraticamente, o apoio oferecido.

A secretária destacou a disposição da Prefeitura em apoiar e organizar o Carnaval de Rua. "O Carnaval 2018 em nosso município oferecerá atrações para todos as faixas etárias, além de algumas novidades com atenção especial ao público infantil, com duas matinês, pinturas faciais, bailinho de fantasia e brincadeiras. Queremos que aconteça de maneira segura, alegre e organizada", disse Luciara.


Outro ponto de grande entusiasmo foi o debate de novas ideias e sugestões, já para o carnaval de 2019.



BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ESPERANÇA DO CCMB RECEBE DOAÇÕES

Do CCMB



A Biblioteca Comunitária Esperança do CCMB de Laje do Muriaé (RJ) recebeu doação de livros de autoria da ilustre escritora Luzia Stella Dias Carneiro de Souza Mello, radicada em Ribeirão Preto (SP).

Títulos dos livros:

- Amor Sem Fronteiras
- A Velha Fazenda
- Ponto & Vírgula
- As Quatro Estações
- Eulália

Sinceros agradecimentos Luzia Stella, pela preciosa colaboração!

 A Biblioteca Comunitária Esperança encontra-se localizada no Centro Cultural Maria Beatriz, Rua Ferreira César, nº 149 – Bairro Pindoba – Laje do Muriaé (RJ).

Contatos:
E-mail: centroculturalmariabeatriz@gmail.com
Celular: (22) 996142995

O CCMB é mantido através de doações.

“Quem é generoso progride na vida e quem dá de beber jamais passará sede." - Prov. 11,25.




LAJENSES FAZEM DOAÇÕES PARA A BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ESPERANÇA DO CCMB




Do CCMB



A Biblioteca Comunitária Esperança do CCMB de Laje do Muriaé (RJ) recebeu dos lajenses Drª Jane Freitas (bioquímica) e seu esposo José Clóvis, doação de um precioso acervo contendo importantes obras literárias de autores consagrados nacionais e internacionais. Os livros já se encontram catalogados e expostos nas prateleiras da Biblioteca para uso da comunidade.

Recebemos ainda, de Cida Cabeleireira, significativa doação de livros de diversos autores.

Sinceros agradecimentos aos lajenses Drª Jane e José Clóvis e Cida Cabeleireira pela preciosa colaboração!

 A Biblioteca Comunitária Esperança encontra-se localizada no Centro Cultural Maria Beatriz, Rua Ferreira César, nº 149 – Bairro Pindoba – Laje do Muriaé (RJ).

Contatos:
E-mail: centroculturalmariabeatriz@gmail.com
Celular: (22) 996142995

O CCMB é mantido através de doações.
“Quem é generoso progride na vida e quem dá de beber jamais passará sede." - Prov. 11,25.




A BIBLIOTECA COMUNITÁRIA ESPERANÇA RECEBE LIVROS DE BELO HORIZONTE (MG)


Do CCMB



A Biblioteca Comunitária Esperança do CCMB de Laje do Muriaé (RJ), recebeu do casal Sebastião Luiz da Silva e Rosângela Maria Fontoura Andrade da Silva doação de um importante acervo, contendo jornais e revistas a partir do no de 1901, edições raras e algumas já extintas, além de livros de vários autores, constituindo em uma grande soma para a nossa Biblioteca. O casal, radicado em Belo Horizonte (MG), vem colaborando com doações de livros, jornais e revistas ao longo dos anos. Sincero agradecimento por esta grande colaboração!

A Biblioteca Comunitária Esperança encontra-se localizada no Centro Cultural Maria Beatriz, Rua Ferreira César, nº 149 – Bairro Pindoba – Laje do Muriaé (RJ).

Contatos:
E-mail: centroculturalmariabeatriz@gmail.com
Celular: (22) 996142995

O CCMB é mantido através de doações.
“Quem é generoso progride na vida e quem dá de beber jamais passará sede." - Prov. 11,25.







domingo, 28 de janeiro de 2018

Mutum deve participar do campeonato de malha


Raia de Malhas "João Gonçalves de Almeida" foi fundada em 28 de junho de 1987

Segundo o administrador da raia de malhas de Mutum, Roberto Carlos Possoli, há boas possibilidades de Mutum participar do campeonato de malha neste ano. "O telhado foi recuperado e estamos com as condições exigidas pelo regulamento da competição. Estamos diligenciando, agora, para a formação da equipe", salientou.

Por outro lado, o administrador de Mutum, Valdemiro Andrade, afirmou que está apoiando a iniciativa de Roberto. "Estamos colaborando para que o time de Mutum retorne à competição", finalizou.



Roberto Carlos Possoli é administrador da Raia de Malha desde sua fundação, ou seja, há 31 anos

Valdemiro Andrade, o Miro, administrador de Mutum de Cima e de Mutum de Baixo, está apoiando o retorno do time à competição








ÚLTIMO DIA PARA A INSCRIÇÃO DO 7º CONCURSO LITERATURA DA NATUREZA



7º CONCURSO LITERATURA DA NATUREZA

(COM E-BOOK REUNINDO TODOS OS TEXTOS SUBMETIDOS AO CONCURSO) 

Das inscrições



1. A inscrição será aberta a todos os(as) autores(as) que entreguem seus textos em língua portuguesa de  27 DE DEZEMBRO DE 2017 A 28 DE JANEIRO DE 2018, através do envio dos dados do autor seguidos do(s) texto(s) para oliveira.caruso@gmail.comO prazo poderá ser prorrogado, passando a ter como advento final o dia 4 DE MARÇO DE 2018, caso o número de inscrições seja considerado insuficiente.

2. O tema é a NATUREZA (fauna, flora, recursos naturais, natureza humana, lendas da natureza como o boto e sereias etc). Todavia, não serão aceitos textos que ofendam crenças, orientação sexual, cor / raça e que denotem outros tipos de ofensas.

3. Não há necessidade de os textos inscritos serem inéditos, desde que não tenham se sagrado vencedores de outros concursos que hajam exigido a cessão de direitos autorais. Se os textos tiverem sido vencedores, mas não haja sido exigida a cessão aludida, serão perfeitamente aceitos.

4. A participação neste concurso significará a aceitação irrestrita do regulamento presente, sendo irrecorrível e soberana a decisão do júri no que tange a dirimir quaisquer dúvidas não esclarecidas neste mesmo regulamento.



Da taxa de inscrição



5. No caso de pessoas residentes no Brasil deve ser efetuado o depósito no valor de R$30,00 (trinta reais) por texto inscrito, com limite máximo de até 5 (cinco) textos por  categoria (as categorias são prosa e poesia):

- no banco BRADESCO, na conta de POUPANÇA nº 0203752-1 da agência 3434-7 (Paulo O. Caruso) ou

- no banco ITAÚ, na conta corrente nº 14906-8 da agência 6134 (Paulo O. Caruso).


Já no caso de pessoas residentes no exterior, as contas bancárias são as mesmas, mas o valor da taxa de inscrição é de R$50,00 (cinquenta reais) por texto inscrito, com igual limite máximo de inscrições. O valor da inscrição é mais alto devido ao maior custo de envio da premiação.

LEMBRETE: O TRADICIONAL CONCURSO COBRA TAXA DE INSCRIÇÃO, PORQUE NÃO TEM PATROCINADORES.

6. Não será devolvido o valor depositado no caso de desclassificação de textos.

7. A cópia do comprovante de depósito bancário da taxa de inscrição deverá ser enviada por e-mail, podendo ela ser digitalizada ou fotografada. Em caso de o(a) participante  não puder digitalizar ou fotografar o comprovante, é necessário enviar ao menos os dados do depósito, incluindo a data e o horário.



Dos dados necessários do(a) participante



8. No e-mail deverão constar:

o nome que o(a) autor(a) deseja ver impresso no seu diploma e no e-book;
- a(s) categoria(s) a que concorre (prosa / poesia);
- o endereço completo (com CEP) para o envio do prêmio;
- currículo do autor;
- o número do telefone residencial e do telefone celular, para eventuais esclarecimentos.



Da premiação



9. A premiação consistirá de:

- para o primeiro lugar em cada categoria: a medalha de ouro e o certificado da conquista respectiva;

- para o segundo lugar em cada categoria: a medalha de prata e o certificado da conquista respectiva;

- para o terceiro lugar em cada categoria: a medalha de bronze e o certificado da conquista respectiva;

- para outros que se destacarem: certificado de menção honrosa e até mesmo menção especial;

- para os demais: certificado de participação.

10. Normalmente há mais de um participante em cada medalha e com menção honrosa, visto que não há desempate. Seguimos o mesmo critério de importantes associações que realizam salões de literatura e artes plásticas.



Do julgamento



11. A comissão julgadora será composta por membros ligados à literatura brasileira e atuantes na mesma cena.

12. Considerar-se-ão no julgamento: correção de linguagem; beleza das imagens poéticas (no caso da categoria "poesia"); originalidade; criatividade; coesão e coerência.



Da publicação dos resultados



13. A data de publicação da lista dos vencedores está prevista a princípio para o dia 8 de abril de 2018 (inclusive no caso de prorrogação), sendo certo que se dará no site www.reinodosconcursos.com.br, com aviso por e-mail enviado para todos os participantes de cada categoria.



Do envio da premiação por correio e do e-book por correio eletrônico



14. As medalhas e os certificados serão enviados por correio para o endereço informado(a) pelos(as) concorrentes até quatro semanas após a publicação da lista de vencedores.

15. O e-book que será gerado englobará todos os textos trazidos a concurso e será enviado aos participantes por meio de correio eletrônico (e-mail) até o dia 1º de junho de 2018, sendo de vital importância que os participantes mantenham atualizado o seu endereço eletrônico, avisando acerca de qualquer eventual mudança de endereço virtual e físico por meio de mensagem ao endereço oliveira.caruso@gmail.com.

16. No caso de tentativa frustrada de envio do e-book a participantes, o organizador do concurso entrará em contato com os mesmos por meio de ligação telefônica, avisando-os acerca do ocorrido e solicitando um novo endereço eletrônico para o envio. 



Das disposições finais



17. Os(as) participantes, em caso de serem premiados, autorizam desde já a publicação de seu texto agraciado no referido site para meros fins de promoção dos próprios autores e do concurso cultural, NÃO havendo qualquer cessão de seus direitos de autor em prol do concurso, ficando os(as) autores(as) livres para utilizar suas crias em outras situações.

18. O(a) concorrente é plenamente responsável pela veracidade das informações prestadas e pela eventual prática de plágio total ou parcial, sendo que tal prática acarretará a eliminação imediata do(a) concorrente.

19. Serão desclassificados do concurso os(as) candidatos(as) que não efetuarem o pagamento da taxa de inscrição, não obedecerem aos critérios para a inscrição dos textos ou não enviarem os dados pedidos no regulamento.

19. A decisão do júri é irrecorrível, sendo ele mesmo quem decidirá situações não especificadas no presente regulamento.

20. É expressamente vedada a participação dos membros do júri no aludido concurso, ou seja, os mesmos são expressamente proibidos de concorrer a medalhas, podendo somente e tão somente ter textos publicados na antologia virtual (e-book).


Rio de Janeiro (RJ), dezembro de 2017.




Há 310 anos, D. João VI abria os portos do Brasil às nações amigas

No dia 28 de janeiro de 1808, D. João VI assinava Carta Régia abrindo os portos do Brasil às nações amigas.(Enviado por Antonio Soares Borges)

sábado, 27 de janeiro de 2018

MAESTRO JOSÉ CARLOS DE FIGUEIREDO: UM SOM QUE ECOA PELA ETERNIDADE


                         Rita de Cássia Côgo


  

No dia 28 de janeiro de 2012, membros da família Figueiredo, descendentes dos portugueses Carlos Pereira de Figueiredo e Maria Rosa de Jesus, realizaram o seu 1º Encontro, na comunidade de Menino Jesus, em Muniz Freire (ES).

O casal português se fixara inicialmente em Divino de Carangola (MG), mudando-se, em seguida, para a localidade de Santa Rita, atualmente conhecida como Menino Jesus, onde ocorreu o encontro histórico.

O motivo do encontro foi a homenagem ao grande maestro, músico e compositor José Carlos de Figueiredo, que completaria 118 anos, no dia 28 de janeiro deste ano. Desde então, realizamos o encontro de família todo o ano.


Há cerca de 135 a 140 anos, nossos antepassados,   Carlos Pereira e Maria Rosa,  vieram de Portugal, chegando a São Fidélis (RJ) e a Divino Carangola (MG).

Carlos Pereira de Figueiredo e Maria Rosa de Jesus são pais de oito filhos, e, após residirem em Divino Carangola (MG), se estabeleceram em Santa Rita. Os seis filhos do casal são: Antonio Carlos de Figueiredo, João Pereira de Figueiredo, Manoel Carlos de Figueiredo, Purcina Maria de Figueiredo, Verediana Rosa de Jesus e Maria Jovelina de Jesus, que se mudaram para Santa Rita. Dois irmãos, contudo, permaneceram em Minas Gerais: Américo Figueiredo e Júlia Pereira Figueiredo.

Quando José Carlos tinha dois anos de idade, seus pais mudaram-se para  a área de terra que tinham recebido do Governo, localizada na Fazenda Menino Jesus. Vieram em tropa, levando José Carlos na cabeça do arreio. Foi nesta fazenda que nasceram seus irmãos Pedro, Antônio Carlos, Rosa e Francisca

Certa vez, quando José Carlos tinha 8 anos de idade, apareceu um homem na fazenda e o ensinou a tocar as primeiras notas musicais. Assim, aprendeu a tocar flauta e clarinete, quando vivia no distrito de Menino Jesus, em Muniz Freire.

José Carlos cresceu na roça, mas comprou vários livros de música. A partir daí, passou a tocar instrumentos musicais. O seu preferido era o bombardino. Mais tarde, ele formou a Banda de Música Euterpe Figueiredo, com integrantes da família e agregados, da qual era maestro. Esta banda abrilhantava as festas religiosas e aniversários. Ele era seleiro e carcereiro. Foi, então, convidado, em 1934, a mudar-se para Muniz Freire, para ser maestro da Lira Muniz-Freirense.

José Carlos de Figueiredo casou-se com Maria Lina Ribeiro Soares, tendo os seguintes filhos: Júlia, Cecília, Hercília (freira), Maria da Penha, Inês e Mário.

Hoje, o nome da Lira de Muniz Freire é uma homenagem a ele: Lira Muniz-Freirense Maestro José Carlos Figueiredo, um som que ecoa pela eternidade.





Banda Eutepe Figueiredo (1921). José Carlos Figueiredo é o segundo do primeiro plano, da esquerda para a direita

 Foto do 6º Encontro da Família Figueiredo em Muniz Freire (ES)

GAUTHIER PONTES DE FIGUEIREDO

                                            
                                  Antonio Carlos de Figueiredo


Gauthier Figueiredo

     O Sr. Gauthier Pontes de Figueiredo, pelo que me foi dito, teve ascendência portuguesa, igualmente aos demais membros da família Figueiredo, contudo, seus ancestrais  chegaram a Bom Jesus posteriormente.

     O Sr. Gauthier foi uma pessoa que prestou grandes serviços a Bom Jesus, durante suas administrações à frente da Prefeitura.  Era uma pessoa que tinha uma visão extraordinária de todos as questões políticas, sociais, econômicas e administrativas que enfrentou durante sua vida pública.

   Imprimia sua seriedade luterana (ele pertencia à Igreja Presbiteriana), a toda sua visão moral e social dos acontecimentos.

     Os primeiros membros da família Figueiredo que chegaram ao Brasil, pelo que me foi permitido apurar, colonizaram uma região situada a aproximadamente 70 quilômetros de Salvador, Bahia,, onde hoje se acha a chamada Praia do Forte.

     Posteriormente, os membros da família se dirigiram para todo o País.

     Os Figueiredo de Bom Jesus vieram de Minas Gerais, conforme menciona o Sr. Zico Camargo.

   A Srª  Francisca Paula de Figueiredo, que foi casada com o Alferes Silva Pinto, era sobrinha do deputado e ex-Ministro do Império, Afonso Celso de Assis Figueiredo, que residiu em Ouro Preto.  Sua casa ainda se encontra naquela cidade mineira, na Praça Tiradentes.

     A Srª  Francisca também residiu em Ouro Preto.

   O ex-Ministro do Império, Afonso Celso de Assis Figueiredo, logo que os militares proclamaram a República, refugiou-se em um navio espanhol, no Porto do Rio de Janeiro, e ficou no exílio, em Santa Cruz de Tenerife, a maior das Ilhas do arquipélago das Canárias, pertencente à Espanha, durante um ano, aproximadamente.  Minha avó materna relatava esse fato.

   Quando estive em Tenerife, cheguei a procurar a localização do prédio onde o ex-Ministro ficou abrigado, que era um sonho de meu Pai, contudo, numa viagem turística é difícil conseguir  realizar um trabalho dessa natureza.

   Do lado de minha mãe, a família é Diniz e também foram mineiros que colonizaram o sul do Espírito Santo.

     Durante uma entrevista dada a alguns anos passados, o produtor e diretor de cinema Ruy Guerra fez uma afirmação que me parece correta:  O império Otomano ocupou a Península Ibérica por mais de 700 anos.  Dessa forma, todos aqueles que de lá vieram, são descendestes de árabes ou judeus.