sábado, 31 de março de 2018

Consagrado escultor carioca estará presente na inauguração da exposição sobre Pe. Mello

Monumento em homenagem ao Padre Negro está sendo finalizado pelo escultor Valdieri Martin


Valdieri Martin, o consagrado escultor carioca, radicado em Cachoeiro de Itapemirim (ES), confirmou presença na abertura da exposição "Pe. Mello, um Gênio da Civilização e da Cultura", na próxima segunda-feira, no ECLB, às 9h. Após o evento, ele visitará o distrito de Calheiros.

Valdieri está finalizando um monumento em memória do Pe. João Mendes Ribeiro, conhecido como Padre Negro, que foi alvo de preconceito racial no referido distrito, no período escravocrata.

A escultura será inaugurada pela Associação dos Amigos do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira, no dia 5 de agosto, às 16h.


                                                                 Valdieri Martin

COLAR DE TROVAS: TEMA LIVRE


Neiva Fernandes
🙏💐🙏💐🙏💐🙏💐🙏

               01
Na cruz aos ombros,  chagados,
Tu carregaste,  Senhor,
o peso dos meus pecados
e o meu vazio... de amor!
Lucilia Decarli/ PR

             02
O meu vazio de amor
sei que nunca existirá:
 eu tenho a paz do Senhor
que sempre me guardará!
Neiva Fernandes
Campos/ RJ

                  03
E sempre me guardará
pois sou Sua filha amada,
se o  perdão Ele me dá
não devo temer mais nada!
Aurineide Alencar/MS

                04
Não devo temer mais nada
se tenho Jesus comigo,
pois se Ele em mim faz morada,
venço qualquer inimigo.
M. Zilnete de M. Gomes
Campos/RJ

                 05
 Venço qualquer inimigo
e venço o mar de aflição
porque Jesus vem comigo
mostando-me a direção.
Maria Beatriz Silva
Laje do Muriaé/RJ


                    06
Mostrando-me a direção,
e o caminho para o amor,
está Jesus,  meu irmão
e meu Deus Nosso Senhor!
Gleyde Costa - Campos/RJ

               07
A meu Deus, nosso Senhor,
que nos trouxe a salvação,
estendo glória e louvor
de todo o meu coração!
Lucília Decarli/PR

                08
De todo o meu coração
ao Jesus ressuscitado,
dou graças com  devoção:
Seu amor, maior legado!
Marleide Canedo

               09
 Seu amor, maior legado,
à salvação nos conduz,
pois é sempre abençoado
quem segue o nosso Jesus!
Talita Batista - Campos/RJ

             10
Quem segue o nosso Jesus,
em tudo será capaz,
pois só Ele nos conduz
para o caminho da paz.
               Ester

                    11
Para o caminho da paz
eu sigo, mesmo na dor.
Quem crê em Deus é capaz
de andar nas trilhas do amor.
Dáguima Verônica

                  12
Andar nas trilhas do amor
vou em constante ousadia,
pois eu sei que  meu Senhor
troca a dor por alegria.
Luciana Pessanha Pires
Itaperuna/RJ

                13
Troca a dor por alegria!
Deus te quer sempre feliz!
Recomeça , todo dia,
segue conforme Ele diz!
    Janilce- Campos-RJ

                14
 Siga conforme Ele diz,
pratique o bem ao irmão,
sendo sempre um aprendiz
e tendo um bom coração!
Danusa Almeida
Campos /RJ

                15
 Quem tem um bom coração
tem a graça  de Jesus...
Praticando boa ação
ora sempre aos pés  da cruz!
Amália  Marins

                  16
 Ora sempre aos pés da cruz
quem tem fé e devoção;
a nossa crença em Jesus
nos coloca em   oração.
Melanialudwig

              17
 Nos coloca em oração,
 a fé com felicidade...
Faz bem para o coração,
sempre lhe mostra  a verdade!
Evaneide Lourenço/CE
 
                  18
Sempre lhe mostra a verdade
uma oração,  uma prece.
Se  um erro foi sem maldade,
peça perdão,  recomece.
Ariete Regina - Rio/RJ

           19
 Peça  perdão,  recomece,
viva sempre sem maldade:
e a Jesus faça  uma prece,
por sua felicidade!
Agostinho Rodrigues

              20
Por sua felicidade
e também pela dos seus,
se revista de humildade,
e não se afaste de Deus.
 Raimundo Salles


                   21
*E não se afaste de Deus.*
Jesus carregou  pecados
de cristãos e até  de ateus
*na cruz aos ombros chagados.*
Ariete Regina
💝🌟💝🌟💝🌟💝🌟💝

Repercute postagem de O Norte Fluminense sobre "A Rua do Amanhã"

Feira Portas Abertas, em Varre-Sai (RJ), conquistou aprovação popular

A postagem de O Norte Fluminense sobre "A Rua do Amanhã", em Varre-Sai (RJ), teve ampla repercussão. Os expositores ficaram satisfeitos com a reportagem e afirmaram que ela "ajudou a fortalecer o movimento".

Neste fim de semana, ocorreram novidades. 

Adilson Rodrigues da Silva expôs uma máquina de fabricar fubá, construída há cerca de 70 anos. Segundo ele, as duas pedras, que são utilizadas para produzir o fubá, vieram de Cabo Verde para uma fazenda da região. O fubá é feito na hora, e custa R$3,00 o quilo. "A procura é grande, e acabou todo o milho que eu trouxe", assinalou.

Jailson José Soares, por sua vez, apresentou sua produção de artesanato, enquanto Vanda Aparecida expôs sua coleção de canecos relativos à Festa do Vinho.

A expositora de massas Roseana Bendia ampliou o número de "pães de jacaré", incrementando com os "pães de tartaruga". Em breve, virão os "pães de coelho", assinalou.

A exposição de antiguidade também foi ampliada, com várias novidades.

O artista e produtor de vinhos Francisco de Sales Bendia anunciou, para o mês de maio, a inauguração de um monumento em homenagem aos 100 anos da Adega Bendia e ao centenário da Lira Santa Cecília, ocorrido no ano passado. A Lira, aliás, se apresentou na feira, na semana passada, fortalecendo o clima cultural.

Sentimento geral é que a feira veio para ficar e para fazer sonhar.








Multiplicaram-se os "pães de jacaré" e surgiram os "pães de tartaruga"


Vanda Aparecida e sua coleção de canecos da Festa do Vinho






Adilson Rodrigues da Silva e a máquina de fazer fubá, com pedras centenárias


Novas peças incrementaram a exposição de antiguidades

















As cores das 9 ilhas do Arquipélago dos Açores

Enviado por Antonio Soares Borges

Guerra e paz


Enviado por Antonio Soares Borges

ESCRITOR SE EMOCIONA COM ARTIGO DE SEU PAI PUBLICADO EM 1955, NO JORNAL O NORTE FLUMINENSE


O escritor Saulo Soares reproduz, emocionado, em seu blog, artigo de seu pai, Cyro Monteiro, publicado em O Norte Fluminense em 1955, por ocasião da Páscoa.
Leiam no seu blog:

http://saulosoares.blogspot.com.br/2010/04/vinde-benditos-de-meu-pai.html


Saulo Monteiro é neto de Lao Monteiro, que foi Diretor-Gerente do jornal O Norte Fluminense, quando de sua criação por Esio Bastos, em 25/12/1946.

Saulo Soares ao lado da estátua de Machado de Assis, na Academia Brasileira de Letras
  
Lao Monteiro foi também eleito, juntamente com Esio Bastos, para a 1ª Câmara de Vereadores de Bom Jesus do Itabapoana, após a sua 2ª emancipação, tendo sido o 1º vice-presidente do Legislativo Municipal em 04/101946.

Lao Monteiro: avô de Saulo Soares

























Páscoa é amor

Enviado por Antonio Soares Borges

sexta-feira, 30 de março de 2018

A PRINCESA ISABEL E O CRISTO REDENTOR



O Mundo deve a ideia de uma de suas 7 Novas Maravilhas à Princesa Imperial e a um Padre. Em 1859 o Padre Pedro Maria Boss sugeriu à Princesa Imperial Dona Isabel a criação de um monumento religioso no topo do Corcovado, a Princesa Isabel animou-se com a ideia dando apoio oficial, porém o plano ficou em hiato.

Em 1884 Dom Pedro II inaugurou a Estrada de Ferro do Corcovado, considerado um “milagre” da engenharia por percorrer 3.824 metros em terreno extremamente íngreme. Décadas depois quando o Cristo Redentor começou a ser construído foi esta linha férrea que possibilitou sua construção.

Após a assinatura da Lei Áurea a Princesa Isabel retomou a ideia de 1859, que era um de seus sonhos desde então. O intuito de sua construção seria uma homenagem à libertação de todos os escravos do Brasil.

Ofereceram à Princesa Isabel uma estátua sua, ela recusou e no dia 2 de Agosto de 1888 a Princesa Imperial propôs a construção de uma estátua simbolizando o Coração de Cristo, o coração que assim como os escravos tanto havia sofrido. O Golpe de 15 de Novembro fez com que o sonho da Princesa Dona Isabel caísse por terra.

Anos depois, em 1921, agora tendo como foco o centenário da Independência, o projeto da Princesa foi retomado pelo General Pedro Carolino Pinto de Almeida, com a aprovação de Dom Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, o primeiro Cardeal do Brasil e da América Latina.

Mais de 20 mil assinaturas enviadas ao Presidente Epitácio Pessoa, o mesmo que revogou o banimento Imperial, pediam que o monumento a Jesus Cristo abençoando o Rio de Janeiro do alto fosse construído.

Na cerimônia de bênção da pedra fundamental em 4 de Abril de 1922 quem lançou a pedra fundamental foi a Princesa Maria Pia das Duas-Sicílias, viúva do Príncipe Imperial Dom Luís Maria, avô do atual Chefe da Casa Imperial do Brasil, Dom Luiz Gastão.

Curta TV Imperial - Siga no Instagram: @oficialtvimperial

Enviado por Antonio Soares Borges
DOM OBÁ II DA ÁFRICA: NEGRO, HERÓI DA GUERRA DO PARAGUAI E MONARQUISTA




Cândido da Fonseca Galvão foi um brasileiro filho de escravos libertos. Seu pai, embora escravizado, foi rei do Império Oyo na África, atualmente na região da Nigéria. Cândido intitulou seu pai de Dom Obá I, e a si mesmo de Dom Obá II. Revogando a si os títulos de governante de seus ancestrais na África.

Cândido se alistou voluntariamente para combater na Guerra do Paraguai, e ganhou muitas medalhas por sua bravura em combate, inclusive, chegando a patente de alferes - que corresponderia ao atual tenente na hierarquia atual do exército brasileiro. Tornou-se uma figura muito conhecida e querida na sociedade carioca e, como um monarquista fervoroso, um amigo pessoal de Dom Pedro II. Era recebido no bairro imperial de São Cristovão como um legítimo príncipe.

O príncipe africano, que usava roupas e armas de acordo com essa posição, foi um importante aliado do processo de abolição no Brasil. Seus discursos e artigos nos jornais da corte misturavam português e dialetos africanos, e por isso eram mais bem aceitos do que as empoladas falas de uma elite intelectual branca que nem sempre sabia ser inteligível entre uma população marginalizada de mulatos, negros escravizados e libertos.

O golpe militar de 1889 e a instauração da República seria um duro golpe para o herói. Conhecido pela forte amizade com Dom Pedro II e pelos fervorosos artigos favoráveis à abolição, seria hostilizado pelas autoridades republicanas. Morreu em 1900, poucos meses depois do 15 de novembro, com título de alferes cassado pelos republicanos.

Enviado por Antonio Soares Borges

A História é absolutamente fundamental...

Enviado por Antonio Soares Borges

Pesquisador deu início ao resgate da vida e obra de Pe. Mello


Há cerca de quatro anos, o pesquisador  Antonio Soares Borges, conhecido como o Embaixador Bonjesuense, escreveu artigo histórico - (RE)DESCOBRINDO O PADRE MELLO - em que divulgou ao mundo a certidão de nascimento do padre lusitano, considerado um gênio da civilização e da cultura, que nasceu na ilha de São Miguel (Arquipélago dos Açores/Portugal) e chegou a Bom Jesus do Itabapoana em 1899.

Na próxima segunda-feira, às 9h, no ECLB,  por ocasião da abertura da exposição sobre o pároco açoriano, o público poderá constatar os avanços realizados no resgate de sua vida e obra.







Sexta-feira: Paixão de Cristo


quinta-feira, 29 de março de 2018

O destaque de um poeta bonjesuense


"A Bola de Pano" é um dos poemas de realce de Onofre Nunes da Silva


Um dos poetas de destaque de Bom Jesus do Itabapoana é Onofre Nunes da Silva. 

A Editora O Norte Fluminense lançou o livro "Flores do Perdão", contendo algumas de suas poesias, e que compõe o terceiro volume da Coleção Literatura Bonjesuense.

"A Bola de Pano" e "Bom Jesus" são dois dos seus poemas mais festejados.



Poema "Bom Jesus" 




O poeta Onofre Nunes da Silva




Comunidade libanesa deseja Feliz Páscoa!

Fonte: Eliane Chalhoub

ANGRA DO HEROÍSMO (ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES)




O concelho de Angra do Heroísmo, com 35 065 habitantes e 239.88 Km2, tem cerca de 60% da área total da Ilha Terceira, uma ilha do grupo central do Arquipélago dos Açores. O concelho é constituído por 19 freguesias, cinco das quais - Sé, Nossa Senhora da Conceição, São Pedro, São Bento e Santa Luzia - compõem a sede do Concelho, sendo as restantes 14, freguesias rurais. A riqueza do solo e a relativa segurança oferecida pela sua baía fizeram de Angra o porto militar dos Açores, onde as armadas da Índia se reabasteciam e navios de outras proveniências demandavam com intuitos comerciais. 

Nestas condições, rápido foi o desenvolvimento do pequeno burgo, que era Vila desde 1474. Angra do Heroísmo foi capital do reino de Portugal em circunstâncias críticas, por duas vezes. A primeira, entre 5 de agosto de 1580 e 5 de agosto de 1582, quando D. António, Prior do Crato, ali estabeleceu o seu governo. Após a instalação da Junta Provisória, em nome de D. Maria II de Portugal, em 1828, a cidade foi uma vez mais nomeada capital do reino, por Decreto de 15 de março de 1830. As honras e os títulos que lhe foram outorgados, “Sempre leal cidade”, em 1641, e “mui nobre, leal e sempre constante cidade de Angra do Heroísmo”, em 1837, atestam a nobreza de caráter e o sentido de lealdade das suas gentes. 

Angra do Heroísmo foi pioneira em muitos domínios: primeira povoação do arquipélago a ser elevada à condição de cidade, em 1534, primeira cidade europeia do Atlântico, em 1831, a sua Câmara Municipal foi a primeira do país a ser eleita e, finalmente, em 1983, a primeira cidade portuguesa a ser inscrita na Lista do Património Mundial da UNESCO. Angra do Heroísmo tem acordos de geminação com a cidade de Salvador da Bahia, Brasil, e com a cidade de Porto Novo, na Ilha de Santo Antão, Cabo Verde. Conheça Angra do Heroísmo pela voz da ex-presidente da Câmara, Sofia Machado do Couto Gonçalves, através do link http://www.cm-ah.pt/uccla/uccla.wmv

Terceira

A ilha Terceira foi, como o próprio nome indica, a terceira ilha do arquipélago a ser descoberta. Esta ilha desempenhou um importante papel na evolução dos Açores desde a sua descoberta até aos dias de hoje. A sua capital, a cidade de Angra do Heroísmo já chegou a ser capital do arquipélago e mesmo do reino de Portugal num período em que este esteve sob o domínio espanhol e quando em São Miguel já todos se tinham rendido a esse domínio. Para tal contribuiu a posição estratégica que a ilha assume, praticamente no centro do arquipélago e com um porto intercontinental, e o facto de lá se ter instalado uma certa elite cultural e intelectual que tinha bem apurados os sentidos político e urbano. Como reflexo da sua importância, Angra do Heroísmo foi a única cidade dos Açores onde, para além de protegida pelos habituais fortes ou fortins, foi lançada a construção de uma muralha (que, apesar disso, não chegou a ser concluída).
Durante os conflitos liberais foi aqui que D. Pedro IV organizou a reconquista do trono, instituindo a regência da Terceira e nomeando Angra como capital do reino. Na sequência disso a sua filha, D. Maria II acrescentou do Heroísmo ao topónimo Angra.
A ilha Terceira, a primeira do Grupo Central (no sentido Este – Oeste) conta actualmente com cerca de 56.000 habitantes o que, juntamente com a população de São Miguel, perfaz cerca de 2/3 da população total dos Açores. As suas maiores dimensões rondam os 30 km no sentido Nascente – Poente e 20 km no Sentido Norte – Sul. O seu ponto mais alto está na Serra de Santa Bárbara, nos 1.022 metros acima do nível do mar, serra a partir da qual se abrange um domínio visual magnífico sobre as ilhas vizinhas – Graciosa, Pico, Faial e São Jorge. Todavia, a ilha Terceira não é propriamente conhecida pelos seus encantos naturais, apesar de também ostentar alguns numa paisagem, no mínimo, invejável: são, no entanto as suas cidades e o seu património cultural a sua grande mais-valia.
O centro histórico da cidade de Angra do Heroísmo é hoje considerado Património Mundial da UNESCO. É também a cidade mais antiga dos Açores, datando o seu alvará de 1534 (o de Ponta Delgada é de 1546). O seu  Com a crescente importância do comércio e do seu importante porto, Angra foi alvo de um notável, mas também pensado e regular  desenvolvimento, ímpar no arquipélago. Daí também o reconhecimento por parte da UNESCO. No entanto, o forte sismo de 1980 abalou a cidade, deixando-a parcialmente destruída. A recuperação foi árdua mas gratificante, tendo sido possível o restauro de muitos notáveis edifícios como a Sé Catedral ou a Praça de Toiros. Hoje em dia Angra do Heroísmo é talvez a cidade mais dinâmica do arquipélago.
A segunda cidade da ilha Terceira é a Praia da Vitória. Situa-se a NE da ilha e desde cedo disputou a hegemonia da ilha com Angra do Heroísmo, tendo o seu povoado chegado a ser capital da ilha em 1474. Durante as lutas liberais, Praia da Vitória permaneceu fiel a D. Maria II, tendo vencido as tropas de D. Miguel numa batalha naval ocorrida na sua baía em 1829, a qual acabou por dar o nome actual à cidade. Próximo da Praia da Vitória está localizado aeroporto civil da ilha Terceira, que foi também uma base militar instaurada durante a Segunda Guerra Mundial pelas forças aliadas e é, ainda hoje, uma base militar americana –  a conhecida Base das Lajes.
Angra do Heroísmo e Praia da Vitória oferecem hoje excelentes condições turísticas. Na sua ligação com o mar, as suas baías estão aptas a receber actividades de vela, windsurf ou ski aquático. Mais para o interior da ilha a curiosidade dos espeleólogos aguça-se com uma visita a alguns dos mais curiosos fenómenos vulcânicos dos Açores como é o caso do Algar do Carvão e uma grande diversidade de percursos e grutas ligadas àqueles fenómenos. Para outros tipo de entusiastas a Serra de Santa Bárbara oferece um conjunto de caminhadas a partir das quais se pode desfrutar das magníficas paisagens da ilha Terceira e ilhas vizinhas. De qualquer modo, para o visitante em geral, a ilha oferece a tranquilidade dos seus vários tons de verde dispersos pelos campos e pastagens, repartidos numa modulação quase geométrica pelos abrigos de pedra ou de sebe.
angra heroismo

terceira

terceira

Terceira destagues

Vilas e Cultura
- Angra do Heroísmo – sem dúvida, uma das cidades mais interessantes dos Açores – Paços do Concelho, Sé Catedral, Igreja de São Gonçalo, Convento da Esperança, Palácio Bettencourt, Palácio dos Capitães-Generais, Museu Municipal, Forte de São João Baptista, Monte Brasil, Marina, Castelo de São Sebastião...
- Praia da Vitória – Paços do Concelho, Igreja Matriz de Santa Cruz, Igreja da Misericórdia, Marina...
- Biscoitos – Capela do Santo Cristo, Igreja do Sagrado Coração de Jesus, campos da Vinha e Museu do Vinho...
Natureza
- Caldeira de Guilherme Moniz – a maior caldeira dos Açores;
- Praia da Praia da Vitória;
- Doze Ribeiras – em parte considerada Parque Natural devido ao seu valor botânico, científico e cénico;
- Picos do Cabrito e da Bagacina;
- Zona balnear dos Biscoitos – uma zona extensa de calhau rés-vés com o mar aproveitada pelas várias poças abrigadas que alberga, onde é possível tomar banho ou ficar simplesmente deitado ao sol;
- Reserva Natural do Monte Brasil – o monte que se eleva ao flanco da cidade de Angra e que noutros tempos foi decisivo para a sua protecção militar oferece uma panorâmica única sobre a cidade bem como convida a um pic-nic;
- Algar do Carvão – um dos mais interessantes do género nos Açores. Por algar entenda-se um sistema de túneis e galerias subterrâneos que foram, noutros tempos, canais de escoamento de lava.


Fontes: Antonio Soares Borges e internet

COLAR DE TROVAS: HUMILDADE

Neiva Fernandes

01
São Francisco, na humildade,
foi exemplo e confiança:
semeou na humanidade
*amor, ternura e esperança.*
(Mirtes Polacchi)

02
Amor, ternura e esperança
são três sentimentos bons,
humildade na bonança
*perseverando nos dons.*
(Maria Zilnete de M. Gomes)

03
Perseverando nos dons
dando ênfase a humildade,
quaisquer sentimentos bons
*trazem também liberdade.*
(Aurineide Alencar)

04
Trazem também liberdade
às asas, a independência,
e a brandura da humildade,
*faz melhor nossa  existência.*
(Raimundo Salles)

05
Faz melhor nossa existência
deixar toda pretensão,
agir com benevolência,
 *humildade e correção.*
(Luciana Pessanha Pires - Itaperuna/RJ)

06
Humildade e correção
são qualidades sutis
desse santo coração
*de S.Francisco de Assis!*
(Janilce Simões- Campos/RJ)

07
De São Francisco de Assis,
quero imitar a humildade;
dos outros não ser juiz,
*prestar solidariedade!*
(Lucília Decarli/ PR)

08
Prestar solidariedade
faz nossa alma renascer...
De mãos dadas a humildade,
*mais sentido no viver!*
(Marleide Canedo - MG)

09       
Mais sentido no viver
mais amor para  espalhar
humildade faz crescer
*e bondade está no ar!*
      (Ester Figueiredo)

10
A bondade está no  ar,
basta apenas perceber.
Quem com ela se apegar,
*melhor cristão há de ser.*
(Melanialudwig)

11
Melhor cristão há de ser,
quem só transmite bondade;
faz o bem acontecer
*e busca, sempre, a humildade!*
(Evaneide Lourenço/CE)

12
E busca sempre humildade,
quem quer viver plenamente
demostrando que a vaidade,
*atrapalha muito a gente !*
(Gleyde Costa - Campos/RJ)

13
Atrapalha muita gente,
se o sujeito quer crescer
difamando um inocente,
*para si louros trazer.*
(Ariete Regina)

14
Para si louros trazer,
é  uma atitude egoísta,
humildade há  de se ter,
*viver de forma altruísta.*
(Marta Codeco)

15
Viver de forma altruísta,
sem egoísmo ou ganância
é nossa maior conquista
*sobre o lodo da ignorância.*
(Dáguima Verônica)

16
Sobre o lodo da ignorância,
ninguém  consegue  saber...
Que humildade e tolerância
*alegram nosso viver.*
(Neiva Fernandes
Campos/ RJ)

17
Alegram nosso viver
e nos dão  felicidade...
se soubermos  entender
*que a fé  nos traz humildade.*
(Amália  Marins)

18
Que a fé no traz humildade
todos sabem,dá pra ver:
pois nossa felicidade
*tá no jeito de viver.*
(José Monteiro
 Bom Jardim/ RJ)

19
Tá no jeito de viver...
Respeitando nosso irmão,
humildade pra crescer
*com amor, paz e união.*
Maria Beatriz Silva
(Laje do Muriaé/RJ)

20
Com amor, paz e união
na prática da irmandade,
eu vou seguir por opção
*São Francisco na humildade.*
(Aurineide Alencar/MS)
🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹🌹

quarta-feira, 28 de março de 2018

Clube Recreativo de São Pedro




Um pouco de nossa história... Um município chamado São Pedro do Itabapoana.   


Atualmente utilizado como clube recreativo do distrito de São Pedro do Itabapoana, é dotado de significativo valor histórico e arquitetônico para o acervo cultural do município e para o sítio histórico de São Pedro do Itabapoana.

Sua obra foi inaugurada em 15 de novembro 1896, período em que a estrutura política e econômica da então sede do município estava bastante consolidada e vivia seu período áureo. O imóvel foi erguido para a função de Câmara e Cadeia.

 A primeira reforma do imóvel ocorreu na década de 1920, com a transferência da cadeia para uma edificação independente. Na década de 1930 a câmara foi desativada, uma vez que a sede do município foi transferida para Mimoso. Assim como observado em muitas edificações de São Pedro do Itabapoana, este evento acarretou no abandono e conseqüentemente na degradação de muitos imóveis, refletindo a crise econômica e evasão populacional do distrito.

O bem permaneceu desocupado e sem uso até o início da década de 1960, quando uma nova reforma, realizada pela Prefeitura de Mimoso do Sul, transformou a edificação em Clube Recreativo.

Durante a década de 1980, o pavimento térreo foi utilizado como bar, e depois como restaurante. Atualmente, o pavimento térreo é utilizado como depósito e bar, enquanto o pavimento superior é local de realização de oficinas de sanfona e viola, além de sediar, eventualmente, reuniões comunitárias e seminários. 

João Odilo Guedes Faria

Fonte: IPHAN
Foto: 1 - Acervo Adelino Perciano C. M. Martins - +ou- 1920. 
Foto 2 - Acervo João Odilio G. Faria - 2015

                           O prédio atual

Enviado por Antonio Soares Borges