terça-feira, 24 de abril de 2018

O ANIVERSÁRIO DE ANA MARIA TEIXEIRA BAPTISTA







Aniversaria, hoje, dia 25 de abril, a renomada musicista bonjesuense Ana Maria Teixeira Baptista.

Autora do clássico "Rio de Minha Terra", juntamente com seus pais, Oliveiro Teixeira e Tertuliana Simão Teixeira, ela é fundadora do consagrado Grupo Musical Amantes da Arte.

Resultado de imagem para ana maria amantes da arte bom jesus
Ana Maria Baptista e o Grupo Musical Amantes da Arte

O Norte Fluminense parabeniza Ana Maria, desejando-lhe muitos anos de vida!



TROVADORES EM CONSTRUCÃO

COLAR DE TROVAS
TEMA: LIVRE

Organização:Neiva Fernandes
         
              01
Em silêncio, a verde mata
na paisagem rotineira...
Nós dois, o luar em prata
e o cantar da cachoeira!...
Lucília Decarli/PR
             02
E o cantar da cachoeira
que nos enche de emoção
é a prova verdadeira
do poder da criação.
Abia-Itaperuna/RJ
               03
Do poder da criação
a gente entende tão pouco!
Vem primeiro a inspiração
ou nasce o poeta louco?
   Janilce Simões-Campos/RJ
               04
 Quem nasce poeta louco
já  nasce fazendo trova,
porque seu tempo é  tão  pouco
para colocar à  prova!
Amália  Marins
               05
Para colocar à  prova
numa rima com encanto,
o Trovador faz a Trova
ser estrela canto a canto!
Marleide Canedo
                06
Sê estrela canto a canto
e sem desistir de amar,
derrama na trova o pranto,
rindo, prossegue a sonhar.
Luciana Pessanha Pires/Itaperuna/RJ.
                 07
Rindo prossegue a sonhar,
mesmo segurando o pranto.
Vive quem sabe enfrentar
*o dia com seu  encanto*.
Melanialudwig
                08
O dia com seu  encanto
 ensina pensar no Amor,
esquecer tristeza e pranto
na beleza de uma flor!
Neiva Fernandes-Campos RJ
                 09
Na beleza de uma flor
sinto a presença de Deus
porque Deus é puro amor
e ama a  todos filhos Seus.
Maria Zilnete de M. Gomes
Campos dos Goytacazes/RJ
                10
Ama a  todos filhos Seus,
o bom Pai onipotente.
Agradecemos, meu Deus,
esse amor,  principalmente !
Gleyde Costa-Campos/ RJ
                11
Esse amor,  principalmente,
é que me dá garantia
de viver serenamente
momentos do dia a dia .
  Marialice A.Velloso- São Gonçalo/RJ
                12
Momentos do dia a dia
vêm e vão, tal qual  o vento,
trazendo a paz, a harmonia,
levando a dor e o tormento.
Ariete Regina
                13
Levando a dor e o tormento
eu posso encontrar a luz,
porque sempre encontra alento
quem carrega a sua cruz.
Dáguima Verônica
                 14
Quem carrega a sua cruz
não deve nada temer,
segue o exemplo de Jesus
que sofreu sem merecer.
Aurineide Alencar
                 15
Quem sofreu sem merecer;
teve sede de justiça...
não irá  permanecer,
para sempre na injustiça!
Thais-UBT/Campos
                 16
Para sempre na injustiça
nunca jamais estarei
pois Jesus logo me atiça
pra nesse mundo ser rei.
Jessé  Maia de Oliveira
                 17
Pra nesse mundo ser rei,
preciso de uma rainha.
Aparece e eu te direi:
 - Sê bem vinda, amada minha!
João Costa
                 18
És  bem vinda, amada minha,
dona do meu coração,
voltastes toda certinha
te darei o meu perdão!
Agostinho Rodrigues
                 19
Dar-te-ei o meu perdão,
oh sabiá cor de prata!
Por deixares, sem razão
em silêncio, a verde mata!
    Janilce-Campos/RJ

Casa da Cultura, de Itaperuna (RJ), confirma presença na Feira Literária de Pirapetinga


A Casa da Cultura Livraria, de Itaperuna (RJ), confirmou presença na Feira Literária de Pirapetinga que ocorrerá nos dias 27 e 28 de abril.

O evento inédito, organizado pelos "Resgatadores da Cultura, Pirapetinga de Coração", será um marco no desenvolvimento cultural no município.













Almoço para Padres e Freiras no Dia de Padre Mello





Padres e freiras almoçarão, no Dia de Padre Mello (próxima sexta-feira), no Bistrô Histórico, localizado em um dos prédios mais antigos de Bom Jesus do Itabapoana.

O imóvel, construído em 1908, está situado na Praça Governador Portela, nº. 140, altos. Em 1940, o português Manoel Seródio, amigo de Pe Mello, adquiriu-o e reformou-o, passando a morar ali o dr. José Vieira Seródio. Posteriormente, o imóvel foi transmitido, por herança, a sua filha Alzira Seródio Amin, esposa do dr. Aníbal Amin.

Graças ao empreendedorismo de Marília Almeida, a parte alta foi recentemente transformada no Bistrô Histórico.

Bistrôs são pequenos restaurantes ou bares muito populares na França, com característica de possuir um ambiente acolhedor, uma culinária qualificada e um atendimento personalizado. 

É neste ambiente permeado de história, que ocorrerá, no Dia de Padre Mello, o almoço dedicado a padres e freiras. Marília adianta o cardápio: cozido à portuguesa, arroz e pirão, torta de bacalhau e salada. A sobremesa será ambrosia com queijo branco, uma sobremesa portuguesa, com certeza. Tudo acompanhado de vinho português.


Contatos: 022 999435154. E-mail: mmacri17@yahoo.com.br












Marília Almeida está preparando o almoço para Padres e Freiras


Bristô Histórico está localizado na parte alta do prédio construído em 1908, na Praça Governador Portela 

Moradores de Rosal estão indignados com falta de policiamento ostensivo


Distrito de Rosal cobra policiamento ostensivo


O Norte Fluminense posta a seguinte nota encaminhada à sua redação:

Moradores de Rosal estão indignados com a falta de um ostensivo policiamento militar na vila e que tem possibilitado diversos problemas como o crescimento do tráfico de drogas ilícitas, o crescimento de motociclistas, muitas vezes menores de idade, com velocidade acima do permitido nas vias principais, a incessante perturbação ao sossego dos moradores, sobretudo, os do bairro Pantanal, que mais sofrem com esse tipo de problema; as constantes brigas nos bares do citado bairro e o descontrolado consumo de bebida alcoólica por parte de menores de idade.

E, na noite do último sábado, os moradores do bairro Pantanal, já esgotados com tanto descaso, sofreram, novamente, com o uso desmedido de aparelhos de som pela noite adentro e, principalmente, por brigas que começaram no bairro e, uma delas, terminou na praça principal, acordando os moradores do entorno.

Assim, toda a comunidade clama por medidas urgentes para que cessem os problemas e Rosal volte a ser uma comunidade pacata como sempre o foi.

PALESTRA: PSICOLOGIA POSITIVA


29 de abril: TORNEIO DE XADREZ


segunda-feira, 23 de abril de 2018

Irresponsabilidade ao volante quase resulta em tragédia na rodovia Rosal-Calheiros


Informação trazida à redação de O Norte Fluminense dá conta que, na noite passada, na estrada entre Calheiros e Rosal, cinco motociclistas realizaram um racha, ocasião em que um deles acabou colidindo com um veículo que voltava de Rosal, causando risco de morte para a família que estava no carro, incluindo uma criança.

É necessária punição exemplar para os motoristas irresponsáveis, para que não voltem a violar as normas de trânsito, e para que ocorra um fator inibidor para outros que planejem repetir a condução criminosa de veículos.

Em entrevista, autor Sergio Rosa apresenta 'A Lenda da Guerreira'


TROVADORES EM CONSTRUÇÃO


TROVAS SOLTAS
PARA TREINAMENTO

Organização: Neiva Fernandes


               01
Descompassado assim fico
nessa treva repentina
em meu íntimo futrico
pois assim é minha sina!
Jessé
               02
A ser mais  desapegado,
eu desisto de uma vez,
pois estou acorrentado
ao bem que você me fez.
Dodora Galinari
               03
Não se atenha em desespero
ante a missão que lhe assusta.
Em Deus, não há exagero,
nem cruz que nos seja injusta.               
 Marialice Velloso
                04
Na luta voraz da história
o meu prêmio é a liberdade
e a moldura da memória
traz a cor da honestidade!
Dáguima Verônica
                05
Pois assim é minha sina
e não me dou por rogado
aliás a vida ensina
a ser mais desapegado.
Jessé
               06
Do amor ficou a saudade
e, no retrato, a lembrança,
da janela eternidade...
só nos resta a esperança!
Marleide Canedo
               07
Viver a vida sem medo
sem se esconder de ninguém,
só quem não tiver segredo
é que essa alergia tem!
Aurineide Alencar
                08
Lutemos pela verdade,
para o bem do nosso povo,
só assim a sociedade
terá um futuro novo!
Gleyde Costa - Campos/RJ
                  09
No peito do trovador
sempre tem inspiração...
Inspirado pelo amor
faz trovas com emoção.
Neiva Fernandes
Campos/RJ
                  10
A ser mais desapegados
todos nós  devemos ser...
Pois seremos mais amados
e Deus vai nos proteger!
Leila M Machado Alves Travaglia
Castelo/ES
                   11
Quem lê aumenta a visão
deste mundo emaranhado
e melhora a profissão
por estar mais preparado!
Talita Batista
UBT Campos dos Goytacazes/RJ
                   12
Busque sempre persistir
na sua sã caminhada;
jamais pense em desistir
ante os riscos da jornada.
Agostinho Rodrigues/RJ
                   13
Feliz sob o mesmo teto
com você vivo a paixão.
Por isso, nem por decreto,
eu saio dessa prisão.
Ariete Regina
                  14
Pão de queijo e goiabada
lá em Minas eu provei
e fiquei tāo encantada...
Nunca mais me esquecerei.
Ester
                  15
TERRA, que é meu abrigo,
devoto a ti gratidão.
Tão generosa  comigo:
és parede, teto e chão!
Abia
                  16
De coração sou mineira.
É aqui que fiz meu chão!
Nessa terra hospitaleira,
tenho muita gratidão!
Marleide Canedo
                  17
Dia do planeta Terra,
vamos todos refletir;
do nosso cuidado encerra
a fértil Terra existir.
Maria Zilnete de M. Gomes
                   18
A Terra, em própria defesa,
ao mal que lhe é  concedido,
pode torná-lo uma presa
por nada ter aprendido.                     
Marialice Velloso - São Gonçalo
                    19
Por ser o dia da terra
e por näo ter outra opçäo
me resta declarar guerra
com toda essa corrupção.
José Monteiro/BJ
                     20
Todo lixo reciclar
é dever do ser humano,
todo verde preservar
pois viver é nosso plano!
Danusa Almeida
                     21
Sou feliz na minha terra,
meu pedacinho de chão...
Aqui não  existe  guerra,
Deus é  minha proteção!
Neiva Fernandes
                     22
Tenho fé no coração,
ela é minha fortaleza;
traz - me grande  reação,
e sempre mostra a beleza!
Thais - UBT Campos/RJ
                    23
Em silêncio a verde mata
na paisagem rotineira...
Nós dois,o luar em prata
e o cantar da cachoeira!...
Lucília Decarli/PR

domingo, 22 de abril de 2018

Escultura será um marco em Bom Jesus


Obra do consagrado escultor Valdieri Martin foi doada à cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES)


O distrito de Calheiros, de Bom Jesus do Itabapoana, terá o privilégio de receber, no próximo dia 5 de agosto, uma escultura do consagrado escultor carioca Valdir Valdieri Martin Martins, conhecido como Valdieri Martin, radicado em Cachoeiro de Itapemirim (ES). 

No ano de 1994, o artista doou uma escultura à cidade capixaba que o acolheu, e que está fixada na entrada do Fórum Desembargador Horta de Araújo, localizado no Bairro Independência, juntamente com a herma do magistrado Alexandre Martins de Castro Filho.

O monumento homenageará o Padre João Mendes Ribeiro, que foi o primeiro pároco do distrito em 1867. Por ser negro, foi discriminado e, segundo a história, lançado em um bote, sem remos, no rio Itabapoana, para que morresse na Cachoeira da Fumaça. Após, contudo, segundo a mesma história oral, rezar em seu livro de orações, o barco acabou retornando milagrosamente à margem de origem.

Valdieri é escultor formado pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, e é premiado com a Medalha de Ouro em exposição na instituição, que é referência nacional em escultura, fundada em 1873.

Filho do português Adriano Antônio Ferreira Martins, oriundo de Santa Comba, e da carioca Dulce Gonçalves Moraes Martins, Valdieri nasceu no Rio de Janeiro, no dia 12 de dezembro de 1941, e, com três anos de idade, foi residir em Santos (SP), com os dois irmãos: Ivan e Luís, hoje, respectivamente, engenheiro civil e engenheiro químico.

Com 5 anos de idade, já manifestava o dom para a escultura. Quando tinha 12, seu pai estabeleceu um bar e mercearia e, ao preparar o balcão, chegou até ele uma peça do precioso mármore carrara, que tinha pertencido a um antigo bar demolido. Usando um prego, Valdieri transformou parte da peça em um livro.  A partir daí, entusiasmou-se e passou a fazer peças em madeira, não parando mais na arte da escultura. "Todos os presentes dados à minha namorada foram feitos por mim. Jamais comprei um", salienta.


Posteriormente, mudou-se para a cidade de São Paulo. Certo dia, aceitou o convite de um empresário para conhecer o mármore de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Dirigiu-se, então, para a cidade capixaba e, impressionado, resolveu elaborar um projeto para que o município pudesse desenvolver a arte da escultura,

Para sua satisfação, o projeto foi aprovado e a prefeitura inaugurou, em 1996, uma Fundação Municipal, onde Valdieri passou a lecionar, chegando a atingir a marca de 128 alunos. Ele construiu todos os instrumentos utilizados pela entidade.

Ocorre que, após três anos, e com a mudança de prefeito, o projeto foi cancelado. Valdieri fundou, então o Instituto Arte Total, que durou um ano. Resolveu, então, manter suas atividades em sua residência, localizada em Monte Belo. onde atua com idealismo e determinação, desde então.

No dia 23 de junho de 2005, recebeu o título de Cidadão Cachoeirense.

Valdieri possui uma filha: Fabiana, residente em Santos, e 4 netos: Giovana, Mariana, Murilo e Guilherme. 

Foi Valdieri Martin quem formatou a ideia para homenagear o Padre João Mendes. Segundo ele, "fui consultado sobre a possibilidade de realizar um monumento em sua memória. Li, então, sobre sua história e tive a ideia de materializá-la em uma escultura", salienta.






Obra de Valdieri Martins está fixada na entrada do Fórum Desembargador Horta de Araújo, em Cachoeiro de Itapemirim (ES)







Valdieri Martin idealizando a escultura em homenagem ao Padre João Mendes Ribeiro




O início da obra de Valdieri Martin, que será fixada no distrito de Calheiros, no dia 5 de agosto próximo 











O consagrado escultor Valdieri Martin em seu ateliê, em Cachoeiro de Itapemirim (ES)






Campeonato de Xadrez: dias 3, 4 e 5 de agosto


Sarau Libanês marcará início do resgate da história libanesa em Bom Jesus


Mônica Saad Sauma e Dora Saad Silveira: Sarau e resgate da história da imigração libanesa em Bom Jesus

Um Sarau Libanês, que ocorrerá no dia 4 de agosto de 2018, às 16h, será o marco inicial do resgate da história libanesa em Bom Jesus.

O evento histórico ocorrerá no casarão do saudoso casal Merhige Hanna Saad e Alzira Sauma Saad, ocasião em que o piano da família será tocado pela primeira vez, após dezenas de anos de inatividade. 

Dora Saad Silveira, neta de Merhige e Alzira, filha de Ismélia e do saudoso ex-governador Roberto Silveira, está à frente da organização, juntamente com a prima Simone Sauma Saad. 

Dora está realizando, também, uma pesquisa sobre a imigração libanesa em Bom Jesus, que resultará em mais um importante livro de resgate de nossa história e cultura.

Marian Sauma Saad, mãe de Mônica e tia de Dora, acompanha  a filha e a sobrinha na visita à sua terra natal.



Dora Silveira está pesquisando sobre a imigração libanesa em Bom Jesus 

Mariam Sauma Saad acompanha sua filha  Mônica e a sobrinha Dora

Acervo: IFF
Secretaria Estadual de Cultura anunciou, no ano passado, parceria com a Secretaria Municipal de Cultura para a possessão do Cine Monte Líbano. Até hoje, não se sabe o desfecho da anunciada tratativa

Acervo: IFF
Autoridades costumam ser céleres em divulgar para a sociedade seus projetos, e céleres, também, em silenciar sobre o tema, após a divulgação dos mesmos

        Gino, Mônica, Marian e Dora Silveira

                                    
    O LIBANÊS MERHIGE HANNA SAAD


O libanês Merhige Hanna Saad nasceu no dia 18 de março de 1895, e contribuiu decisivamente para o progresso de Bom Jesus do Itabapoana. Em 2015, recebeu significativa homenagem, por parte do cenógrafo, restaurador e artista plástico Raul Travassos, durante a Feira da Providência realizada na Praça Governador Portela.

Merhige Hanna Saad foi homenageado no dia 18 de setembro de 2015, por ocasião da Festa da Providência, na Praça Governador Portela


Preciosidade arquitetônica da Praça Governador Portela foi preservada por Merhige Hanna Saad


Michel Saad, Maria Cristina, Patrícia, Ismélia, Maura, Eunice e Marian Saad Sauma vieram a Bom Jesus para a homenagem a Merhige Hanna Saad (Foto: 2015)

Ismélia Silveira, a nossa Eterna e Única Primeira Dama, viúva do ex-governador Roberto Silveira, afirmou ao O Norte Fluminense, por ocasião de homenagem: "Agradeço a Raul Travassos pela homenagem. Todos ficamos emocionados com a lembrança de meu pai, porque com ele aprendemos a ter o amor à família de uma forma sólida. Ao nosso pai, só temos palavras de agradecimento por tudo o que ele foi para nós".


Edifício Monte Líbano foi inaugurado por Merhige no dia 14 de agosto de 1950, com cinema com capacidade para mil pessoas

De acordo com Marian Saad, irmã de Ismélia,  "meu pai era um homem idealista e sonhador, que lutava pelo desenvolvimento de Bom Jesus do Itabapoana. Por isso, sempre luto para que o prédio do edifício Monte Líbano seja destinado a um fim útil para a comunidade. Recordo-me que minha mãe recusou a proposta de uma igreja que desejava comprar o prédio, pois ela também desejava que o imóvel tivesse uma finalidade pública, conforme o desejo de meu pai".

Prossegue Marian: "Recentemente, ao desfazer-me de livros para um sebo, observei um que me chamou a atenção: tratava-se de uma obra sobre  'Stonehenge', que é uma estrutura de pedras gigantes dispostas em círculos concêntricos e que foram encontradas nas Ilhas Britânicas. Estas pedras são, até hoje, alvo de estudos sobre sua origem. Este livro chamou-me atenção e decidi lê-lo. Ao folheá-lo, contudo, encontrei, para minha surpresa, um papel contendo uma "Prece Árabe", que eu desconhecia. Ao lê-la, observei que ela retratava tudo o que meu pai foi em vida. E me emocionei muito.

Prece Árabe

"Deus, não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas, nem uma ovelha nas mãos dos algozes.

Ajuda-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes, e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.

Meu Deus, se me deres a fortuna, não me tires a felicidade; se me deres a força, não me tires a sensatez; se me for dado prosperar, não permita que eu perca a modéstia, conservando apenas o orgulho da dignidade.


Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas, para não acusar meus adversários com mais severidade do que a mim mesmo.

Não me deixes ser atingido pela ilusão da glória, quando bem sucedido, e nem pelo desespero, quando derrotado. Lembra-me que a experiência de uma queda poderá proporcionar uma visão diferente do mundo.

Ó Deus! Faça-me sentir que o perdão demonstra força, e que a vingança é prova de fraqueza.

Se me tirares a fortuna, deixe-me a esperança. Se me faltar a saúde, conforta-me com a graça da fé. E, quando me ferirem a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria em minha alma a força da desculpa e do perdão.

Finalmente Senhor, se eu Te esquecer,  Te rogo que nunca Te esqueças de mim".


Maria Cristina assentou, por sua vez: " Nosso pai nos deu exemplo de vida, de amor à família. E essa é uma preciosidade que levamos a cada momento em nossas vidas".


Michel Saadex-deputado estadual e diretor de A Voz do Povo

Michel Saad, ex-deputado estadual e diretor de A Voz do Povo, assinalou: "quando propuseram a Merhige investir seus lucros em Niterói, ele respondeu: - Vou investir em Bom Jesus o que ganhei em Bom Jesus. Isso revela o amor que ele tinha pela cidade. Na época, ele poderia ter comprado cerca de 9 (nove) apartamentos em Niterói, mas preferiu construir o edifício Monte Líbano em Bom Jesus. Ele era um homem desprendido e exemplo de dignidade ", salientou.

Para Maura Saad, "a palavra principal que tenho de utilizar, quando me recordo de Merhige, é 'gratidão'. Merhige esteve sempre presente em nossas vidas, apoiando-nos em todas as circunstâncias, sempre com um gesto de proteção e de amor, que incluiu meu saudoso marido Antônio Merhige. Isso é muito raro, hoje em dia".


Patrícia Saad: neta de Merhige e Alzira Saad

A neta Patrícia Saad, filha dos saudosos José Saad, ex-deputado estadual, e Olga Saad, esteve em Bom Jesus para a homenagem a seu avô. São 3 irmãos: Elizabeth, magistrada, e os empresários José (Zeca) e Ricardo, com 8 bisnetos de Merhige e Alzira. Ela assinalou ao O Norte Fluminense:  "meus avós eram discretos, carinhosos e honrados. Vejo em nossas famílias uma imagem de continuidade do que foram nossos pais e avós. A união de nossa família é fruto do legado de nossos avós".


UM POUCO DA HISTÓRIA DE MERHIGE HANNA SAAD

Da Série Famílias Tradicionais

Merhige Hanna Saad e Alzira Sauma Saad 
(Do livro "RESGATANDO O PASSADO, IMPORTANTE DOCUMENTÁRIO DE BOM JESUS - LEMBRANÇAS E RECORDAÇÕES", de Heliton de Oliveira Almeida e João Batista Ferreira Borges, Almeida Artes Gráficas, 2000) 


Merhige Hanna Saad nasceu nas montanhas do Líbano, na localidade de Remahala em 18 de março de 1985, filho de Hanna Merhige Saad e Bader Saad. Casou-se em 24 de janeiro de 1927, na cidade de Tombos, MG, com Alzira Sauma, nascida em Santa Clara do Carangola, RJ, em 17 de setembro de 1908, filha de José Sauma e Marian Feres Sauma.


Em 1912, aos 17 anos, e já estando seus irmãos mais velhos Jarim Hanna Saad, no Brasil, e Salim Hanna Saad, na Argentina, embarca para o Rio de Janeiro em um navio de bandeira italiana. Aqui chegando, após passar poucos dias na capital segue com Karim para o lugarejo chamado "Matinada", na "Encruzilhada dos Turcos", como era conhecida a pequena casa misto de residência e loja comercial naquela área cafeeira, onde atualmente encontra-se a fazenda do Dr. Francelino França, em Natividade.


Porém, o jovem Merhige, ou "Jorge" como era conhecido, não sabia nenhuma palavra em português e tinha pouca instrução em árabe. Entretanto, com uma determinação surpreendente e ajudado por um carreiro que ali passava regularmente, aprende a ler e a escrever em português.


Em 1914, transfere-se para Bom Jesus do Itabapoana (RJ) e, já em 1916, abre com seu irmão Karim (ou Quirino como era conhecido) a firma "Quirino Antônio e Irmão", uma loja de armarinhos e tecidos localizada na Rua Buarque de Nazareth. Nesta época, mascateia pelo interior da região montado em um burrinho, levando um baú com as amostras das mercadorias da loja para encomendas, que eram entregues na viagem seguinte.


Em sua primeira viagem, é acolhido pelo casal Amélia e Joaquim Teixeira de Oliveira em um episódio que ficou-lhe na lembrança com demonstração da generosidade brasileira: chegando à tardinha na fazenda e pedindo pouso, é convidado para o jantar. Com vergonha, agradece e diz que já tinha jantado, mas é repreendido pela mentira e por fim levado à mesa do jantar, já que a dona da casa sabia que não havia por ali lugar onde se pudesse comer.


Por volta de 1926, os irmãos começam a negociar com café, comprando e vendendo a mercadoria pois parte do que recebiam ao mascatear tecidos era pago em café à época de safra.


De seu casamento com Alzira, em 1927, nascem seus 6 filhos: Marian Bader, que casou-se com Edmundo Sauma: Ismélia, que casou-se com Roberto Silveira; José Antônio, casado com Olga Borges Saad; Antônio Merhige, o "Pico", falecido em 1991, casou-se com Maura Mury Saad; Geraldo, falecido ainda criança; e Maria Cristina, casada co Luis Roldão de Freitas Gomes.


Com a grande crise econômica de 1929, os negócios com o café sofreram uma queda brutal obrigando-o novamente a mascatear montado em seu burrinho até que a situação se estabilizasse. Em pouco tempo, com trabalho árduo, os irmãos conseguiram construir na vizinha Bom Jesus do Norte, perto da antiga linha do trem, um grande armazém para estocagem do café, negociando já em 1939 mais de 40 mil sacas por ano. Começam também a plantar café em suas fazendas Estrela, São Benedito, e Boa-Fé, em Itaperuna.


Na década de 1940, os irmãos passam a fazer negócios separadamente, quando Merhige passa a investir em novas áreas como as salas de cinema, chegando a ser proprietário de 7 salas de projeção em Bom Jesus, Bom Jesus do Norte (ES), Vila Velha (ES), Colatina (ES) e Baixo Guandu (ES).


Em 14 de agosto de 1950, durante o banquete comemorativo de inauguração do Cine-Teatro Monte Líbano, recebe o título de cidadão bonjesuense do qual sentia grande orgulho. Marco na arquitetura da cidade, foi o primeiro edifício da região, contando com dois andares de salas comerciais e uma construção impecável que nada devia aos melhores teatros da capital. Por ali se apresentaram os maiores nomes do teatro e da música brasileira, que passaram a incluir Bom Jesus em suas turnês. Sete anos mais tarde, instala no segundo andar a Rádio Bom Jesus de sua propriedade que abrigava grande acervo musical.


Em 1951, sua filha Ismélia casa-se com a grande promessa política do Estado do Rio, o então secretário de Justiça e futuro Governador Roberto Silveira. Nesta época, a família se transfere para a casa ao lado do Cinema, em frente à praça Governador Portela, onde recebem grandes personagens da política brasileira.


Em 25 de abril de 1973, morre vítima de um infarto do miocárdio em sua casa em Bom Jesus, cidade que não gostava de sair porque dizia que era ali que queria morrer.

Sua viúva, Alzira Saad, falece em Niterói em 1992.

Em 1999, a família construída por Merhige e Alzira conta ainda com 17 netos e 17 bisnetos. 



OS ÚLTIMOS MOMENTOS DE MERHIGE HANNA SAAD

Quarto de Merhige e Alzira permanece intacto há mais de 60 anos


Marian Saad Sauma relatou ao O Norte Fluminense sobre os momentos que antecederam a morte de seu pai:

"Meu pai, certa vez, estava passando mal de saúde e resolvemos trazer um médico de avião do Rio de Janeiro. Esse médico recomendou a ida dele a Niterói. Recuperou-se na casa de Ismélia. Papai ficou cerca de 3 (três) meses até receber alta. Quando retornou a Bom Jesus, fez questão de ir ao Cine Monte Líbano e cumprimentar seus funcionários. Em seguida, foi até a sua casa e entregou um chinelo que trouxera de presente para a mamãe. Segurou-a, então, pela mão, e andou com ela em cada canto da casa. Ao final, ele disse à mamãe com emoção: '- É aqui que temos de ficar!'. Em seguida, minha mãe foi preparar uma canja para ele. Papai foi tomar banho e, como de costume, não trancou a porta do banheiro. Passado algum tempo, mamãe chamou por ele, que não respondeu. Mamãe resolveu então entrar no banheiro e viu papai caído no chão, envolvido na toalha: ele teve um colapso cardíaco e faleceu"












sábado, 21 de abril de 2018

NOITE PARA PADRE MELLO EMBALOU OS SONHOS DO AMANHÃ




A "Noite Para Padre Mello", ocorrida ontem à noite, no auditório Dona Carmita, do ECLB (Espaço Cultural Luciano Bastos), foi daqueles acontecimentos que marcam época, tocando corações e mentes, embalando os sonhos do amanhã. 

Como eram os eventos em que participava o pároco açoriano.

A solenidade, que integra a programação do mês de Padre Mello, que culminará com os festejos do dia 27, quando ele completaria 155 anos de idade, foi organizado pelo ILA  (Instituto de Letras e Artes dr. José Ronaldo do Canto Cyrillo), dirigido pela dra. Nísia Campos.

Ao público presente foi apresentada, pela primeira vez, a belíssima tela da artista plástica Fânia Ramos Araújo, natural de Rio Novo (MG), mesmo município de onde, há 176 anos, veio Antônio José da Silva Neném desbravar Bom Jesus do Itabapoana.

O concurso de acrósticos promovido pelo ILA conferiu o primeiro lugar a Emanuele Pany Martins, do Centro Educacional Batista. O segundo posto coube a Natiele de Souza Guedes, do CELTA (Colégio Estadual Luiz Tito), do distrito de Rosal, enquanto o terceiro lugar foi outorgado a Rafael Moraes de Abreu, do CMCBO (Colégio Maria da Conceição Baptista de Oliveira. Participaram, também, do concurso David da Silva Neto, do Colégio Estadual Governador Roberto Silveira, e Pedro Venâncio Ribeiro, do Centro Educacional Santa Rita de Cássia. 

A Escola de Música Musicarte, dirigida pelo jovem e brilhante músico Thadeu de Moraes Almeida, conferiu momentos sublimes, através de impecável apresentação de dois de seus alunos: Lucas e Natália, ao piano, além da do próprio mestre, que fez com que o público o acompanhasse na interpretação magistral de "Olho a Rosa na Janela", modinha de autoria de Sérgio Bittencourt.

Como se "A Noite Para Padre Mello" fosse uma canção que atingisse o ápice, ao final, coube ao consagrado Grupo Musical Amantes da Arte coroar a cerimônia com primorosas interpretações de Sonhos Calados, Rio de Minha Terra, Hino do Colégio Rio Branco, Alva Pomba e Marcha a Bom Jesus (Hino de Bom Jesus), contagiando o público.

Ao final, todos saíram emocionados, com o sentimento de que a luta de Padre Mello, que dedicou sua vida à construção de um mundo melhor, resultou em grandes frutos na cidade que ele tornou sua, sendo tarefa de cada um prosseguir nesta edificação que será sempre atual.

O ILA e sua dirigente maior, dra. Nísia Campos, autora do primeiro livreto sobre a vida de Padre Mello, em 1987 ("Padre Mello, o Imortal") promoveram, portanto, um notável evento, que contribuirá não apenas para a reconquista de nossa história e cultura, mas também para o resgate de nossos sonhos.





















Membros da Comissão Julgadora





















  Ex-alunos da saudosa Profa. Mariquinha Baptista

















                  Tela da artista plástica Fânia Ramos Araújo, de Rio Novo (MG), mesma cidade de Antonio José da Silva Nenem, que desbravou Bom Jesus em 1842,  encantou o público presente















Dra Nìsa Campos: destaque da cultura bonjesuense




Dia 27 de abril: 155 anos da data natalícia de Padre Mello