segunda-feira, 30 de junho de 2014








MUSEU DA  SAUDADE

João Bôsco Figueiredo Côgo e as novas instalações do Museu da Saudade, em Guaçuí (ES)


O Museu da Saudade de Guaçuí (ES) foi fundado por João Bôsco Figueiredo Côgo, munizfreirense, que fixou residência em Guaçui no ano de 1988. Suas atividades tiveram início no dia 15 de maio de 2013, em uma pequena sala no Bairro Santa Cecília, sendo inaugurado em agosto de 2013 por ocasião do 4o. Circuito Cultural Arte Entre Povos, ocasião em que o Museu da Saudade recebeu a visita dos participantes.


João Bôsco na abertura do evento

 Após matéria veiculada na Rádio 90.5, local, e na TV GAZETA, de âmbito regional, o Museu da Saudade passou a receber inúmeras doações de peças, o que fez com que o local se tornasse pequeno para comportá-las. Assim, foi necessário alugar um outro local para abrigar o acervo.

Público marcou presença na inauguração das novas dependências do Museu da Saudade
No dia 19 de julho de 2014, foram inauguradas as novas instalações do Museu da Saudade, em novo endereço: às margens da BR 482, em frente à entrada do maior cartão postal do município, o CRISTO. 

Após as bênçãos do Padre Dênis Lesquevis, como parte da programação, o evento contou com a participação do Coral Italiano Veni Creator Spiritus, de Muniz Freire (ES) e da Orquestra de Câmara da Escola de Música Sant`Clair Pinheiro, de Alegre (ES), além de uma Exposição de Carros Antigos, com expositores de Guaçui.


Coral Italiano Veni Creator Spiritus, de Muniz Freire (ES)



Orquestra de Câmara da Escola de Música Sant`Clair Pinheiro, de Alegre (ES)



A paixão de João Bôsco por antiguidades começou ainda na infância, quando sempre conversava com sua avó sobre os “tempos antigos”. A partir daí, passou a ganhar algumas peças. Mais tarde, com o falecimento da avó, veio a herdar muitas outras peças.
 




A paixão foi crescendo, e João Bôsco passou a ler e se informar sobre antiguidades, aumentando a sua coleção através da aquisição, de doação e de muitas peças que tinham sido jogadas no lixo...








Os anos foram passando e o acervo passou a ter um aumento extraordinário. A partir daí, sentiu o desejo de compartilhar a coleção com as pessoas. Surgiu, assim, o grande sonho de transformar sua coleção particular em um Museu...
  
João Bôsco Figueiredo Côgo e as novas instalações do Museu da Saudade, em Guaçuí (ES)



Para nominar o Museu, João Bôsco pensou em muitos nomes, mas não conseguia chegar a nenhuma conclusão. Foi quando teve a idéia de convidar algumas pessoas para verem as peças. Passou, então, a observar a reação de cada uma.


 

A partir de sua observação, constatou que a palavra mais ouvida era "saudade"... De acordo com Bôsco, ele ouvia frases como "Saudade da minha mãe, saudade de meu pai... já tive uma bicicleta dessa, que saudade...igual à televisão que tínhamos em casa, que saudade...e assim  por diante....sem sombra de dúvidas, nascia então o Museu da Saudade...", concluiu.



 

O Museu hoje conta com 1500 peças e possui um acervo que nos remete ao passado,  às nossas lembranças, à nossa saudade...


Ercília Pastore, diretora de cultura de Muniz Freire (ES),  Maria Laura Braga Pastore e Nair Guizardi, do coral italiano


Rita de Cássia Côgo, irmã de João Bosco, e apoiadora do Museu da Saudade

João Bôsco: um sonho realizado e outros a serem sonhados



































































domingo, 29 de junho de 2014


BONJESUENSE QUER HOMENAGEM A BADGER SILVEIRA



O bonjesuense André Luiz de Oliveira encaminhou à Câmara de Vereadores de Bom Jesus do Itabapoana dois ofícios.

O primeiro, remetido no dia 12 de maio, solicita a nomeação de uma rua, homenageando o ex-governador Badger Silveira. No dizer do documento, "Estranhamente, embora Badger Silveira tenha sido uma importante personalidade e injustiçado pelo golpe militar, até hoje não teve seu  nome lembrado na história bonjesuense, o que merece imediato reparo".

No segundo ofício, datado de 25 de junho passado, André solicita à Câmara de Vereadores idêntica homenagem ao libanês Merhige Hanna Saad, que adotou Bom Jesus do Itabapoana como seu lar, assim como a Manoel Araújo dos Santos, ex-vereador, e amigo de infância dos governadores Roberto e Badger Silveira. No mesmo documento, André solicita a concessão de título de cidadão bonjesuense ao espanhol Faustino Ruiz Fernandez, que, há anos, acolheu também Bom Jesus do Itabapoana como lar, assim como a seu filho, Tino Marcos, o consagrado repórter esportivo da TV Globo, que foi criado em Bom Jesus e é casado com uma bonjesuense.

Segue o teor dos dois ofícios.

 

Bom Jesus do Itabapoana, 12 de maio de 2014


Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus do Itabapoana, Dr. Luciano de Souza Nunes,




ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA, brasileiro, casado, residente à rua Itaperuna, no. 175, Bairro Lia Márcia, ..., vem respeitosamente diante de Vossa Excelência sugerir que esta Colenda Câmara de Vereadores apresente e aprove projeto de lei homenageando o ex-governador bonjesuense BADGER SILVEIRA, cassado pela ditadura militar instalada no país em 31 de janeiro de 1964.

Sugerimos, ainda, que a homenagem ocorra dando um nome de rua ao ilustre bonjesuense. Entendemos, outrossim, que seria justa e correta a mudança do nome da rua 15 de Novembro para ser nominada de rua Governador Badger Silveira, uma vez que tal rua desemboca na Praça Amália Teixeira onde residiu Badger e seu irmão Roberto Silveira.

Estranhamente, embora Badger Silveira tenha sido uma importante personalidade e injustiçado pelo golpe militar, até hoje não teve seu  nome lembrado na história bonjesuense, o que merece imediato reparo.


Atenciosamente,


André Luiz de Oliveira

..............................................................................................................................................................

Bom Jesus do Itabapoana, 25 de junho de 2014


Ilmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus do Itabapoana,
Dr. Luciano Nunes,


ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA, brasileiro, casado, residente à rua Itaperuna, n. 175, Bairro Lia Márcia, nesta cidade,..., vem respeitosamente indicar a Vossa Excelência, que, consultando seus pares, realize necessárias homenagens, através de nomes de ruas, às seguintes personalidades:

Merhige Hanna Saad, libanês que aqui se radicou e colaborou para o grande desenvolvimento de nosso município. Foi ele quem construiu com sua capacidade visionária, por exemplo, o prédio Monte Líbano, localizado na Praça Governador Portela, com cinema com capacidade para mil pessoas. Certa vez, quando lhe sugeriram que aplicasse os seus lucros na cidade do Rio de Janeiro, ele replicou: - aplicarei em Bom Jesus do Itabapoana, o que aqui eu ganhei. Deve ser mencionado, ainda, que, ao retornar de Niterói (RJ) onde fora para um tratamento de saúde, dirigiu-se ao cinema, cumprimentou os funcionários; em seguida, entrou em sua casa e, em companhia da mulher, Alzira, percorreu cada cômodo da residência, dizendo à mesma: - aqui é o nosso lugar. Momentos depois, faleceu.

Manoel Araújo dos Santos, conhecido como Neneco, ex-vereador pelo distrito de Calheiros. Foi amigo, desde infância, dos governadores Roberto e Badger Silveira. Quando crianças, todos se deslocavam até a escola da Barra do Pirapetinga, onde estudavam com a professora Olga Ebendinger.

Indica, ainda, que sejam conferidos títulos de cidadãos bonjesuenses a

Faustino Ruiz Fernandez, espanhol radicado em Bom Jesus do Itabapoana há vários anos. Seu pai e tio, oriundos da Espanha, construíram a porta e os bancos da majestosa Igreja Matriz. Casado com a bonjesuense Maria Aparecida Baptista, é pai do famoso jornalista esportivo Tino Marcos. Certa vez, em entrevista a um jornal local, afirmou: “Sempre vou a Madri, rever os parentes. Quando chego lá é tudo uma grande emoção por revê-los e aos amigos mas, passado um mês, já fico com vontade de retornar a Bom Jesus do Itabapoana, ao meu cantinho, onde vivo com tranqüilidade e paz. Aqui é o lugar que adotei para viver” e

Tino Marcos, filho de Faustino Ruiz Fernandez, com a bonjesuense Maria Aparecida Baptista, constitui uma personalidade nacional. Foi criado em Bom Jesus do Itabapoana e é casado com a bonjesuense Virgínia Maria Baptista. Está sempre em nossa cidade, por quem nutre carinho e consideração.

Atenciosamente

ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA





André Luiz de Oliveira: construindo a democracia participativa

sexta-feira, 27 de junho de 2014

O ÚLTIMO ENCONTRO ENTRE BADGER SILVEIRA E O AMIGO NENECO

Há mais de onze anos, o ex-governador Badger Silveira retornou ao Sítio Rio Preto, onde se encontrou com o amigo de infância Manoel de Araújo Santos, o Neneco, que estava cego e adoentado.

Quando Badger gritou, do lado de fora da casa, Neneco disse: "estou reconhecendo essa voz!"

Badger entrou na casa e ajudou a colocar Neneco na poltrona da sala, onde até hoje está afixado o diploma de vereador obtido em campanha política apoiada por Roberto Silveira

Ambos se abraçaram e Neneco chorou muito...
  
É o que relata Georgina de Oliveira Santos, viúva do amigo de Roberto e Badger Silveira. 


Georgina de Oliveira Santos e, na parede, o diploma de vereador de Manoel de Araújo Santos, o Neneco: "Nesta poltrona, Neneco e Badger se encontraram e se abraçaram. Neneco chorou muito..."

Georgina cedeu, de bom grado, juntamente com sua filha Cíntia, uma área do Sítio Rio Preto para a construção do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira:

"Eu devo tudo a Roberto Silveira. Foi ele quem conseguiu um emprego no DER para Neneco. Hoje, eu sobrevivo graças à pensão deixada por meu marido", lembra, emocionada.

"Sempre que vinha ao Sítio Rio Preto, Roberto Silveira costumava almoçar com Neneco", complementa Georgina.

Muitas emoções estão previstas para ocorrerem no dia 10 de agosto, às 14h, quando será lançada, no Sítio Rio Preto, a pedra fundamental do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira. 

Mesa onde o governador Roberto Silveira costumava almoçar, quando visitava seu amigo Neneco


Neneco, cego,  e o neto


sábado, 21 de junho de 2014


HISTORIADOR  BONJESUENSE RESSALTA A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO


Adilson Figueiredo realizará exposição e palestras a partir do dia 07 de agosto


Segundo o historiador e artista plástico bonjesuense, Adilson Figueiredo, o 1o. Conselho da Intendência, equivalente à Prefeitura e à 1a. Câmara de Vereadores, que se estabeleceu com a 1a. emancipação de Bom Jesus do Itabapoana, ocorrida no dia 25 de dezembro de 1890, teve como sede o prédio onde funciona atualmente o Big Hotel.

De acordo com Adilson, "é significativo que o prédio onde funcionou a prefeitura e a Câmara dos Vereadores durante a 1a. Emancipação esteja até hoje preservado, assim como a residência do 1o. prefeito, Pedro Gonçalves da Silva".

Este prédio foi também sede do Paço Municipal por ocasião da 2a. Emancipação de Bom Jesus do Itabapoana, ocorrida no dia 1o. de janeiro de 1939, quando Zezé Borges assumiu o cargo de Prefeito.

Adilson Figueiredo salienta, ainda, que foi no prédio onde está instalado atualmente o Big Hotel que funcionou o 1o. Grupo Escolar Pereira Passos: "Depois ele mudou de local, e hoje, passou a ser chamado de Colégio Estadual Governador Roberto Silveira".

O historiador, que esteve no ECLB articulando a exposição e as palestras que proferirá a partir do dia 7 de agosto, ressaltou a importância da preservação do patrimônio histórico. Além disso, fez conhecer várias fotos históricas de seu acervo pessoal, que serão divulgadas futuramente pelo ECLB e pelo O NORTE FLUMINENSE.



QUATRO PRÉDIOS DO SÉCULO XIX ENCANTAM A CENTENÁRIA PRAÇA GOVERNADOR PORTELA

 











OUTRAS RELÍQUIAS DA PRAÇA GOVERNADOR PORTELA


PRÉDIO DA DÉCADA DE 1920


Prédio da década de 1920: residência do 1o. Prefeito Municipal de Bom Jesus do Itabapoana ( por ocasião da 1a. Emancipação)



Outro prédio construído na década de 1920


Prédio da década de 1950 com cinema com capacidade para mil pessoas: edificado pelo libanés Merhige Hanna Saad










PRÉDIOS HISTÓRICOS DOS AVÓS DOS GOVERNADORES ROBERTO E BADGER SILVEIRA SERÃO PRESERVADOS


Margarida Teixeira Borges é a proprietária da área onde estão dois prédios históricos localizados na região conhecida como Quebrados, e  que pertenceram a Antônio Ignácio da Silveira e Maria Borges da Silveira, e avós paternos dos governadores Roberto e Badger Silveira.

Antônio Ignácio da Silveira participou ativamente para que Bom Jesus do Itabapoana alcançasse a 1a. emancipação ocorrida em 25 de dezembro de 1890. Em 1891, foi nomeado ao cargo de 1o. fiscal do 1o. distrito, por  Pedro Gonçalves da Silva, presidente do Conselho de Intendência, que corresponde ao cargo de prefeito. Em 1906, foi eleito Juiz de Paz.

Um dos prédios históricos é a parte que restou da residência do casal. O outro é a conhecida como Casa do Moinho, localizada em frente à residência.

Margarida e sua filha Carmozina Teixeira Borges lutam para preservar este patrimônio histórico.

 

A RESIDÊNCIA DOS AVÓS PATERNOS DE ROBERTO E BADGER SILVEIRA



Parte da casa onde residiram os avós paternos dos governadores Roberto e Badger Silveira



Jorge Souza Neves, 62 anos, nasceu na Fazenda São Tomé, adiante de Quebrados, onde residiram posteriormente Boanerges Borges Silveira e sua esposa Maria do Carmo Silveira, conhecida como Biluca, pais dos governadores Roberto e Badger Silveira. 


Atualmente, trabalha na região onde residiram os avós paternos dos governadores.
 
 Segundo Jorge, "nasci, com meus 22 irmãos, na Fazenda São Tomé, de 'seu Boanerges'. Meus pais José Galdino de Souza e Amélia de Souza sempre elogiaram o pai de Roberto Silveira", salienta.


A respeito da casa de Quebrados, onde residiram Antônio Ignácio da Silveira e Maria Borges da Silveira, Jorge salienta: "Aqui, em Quebrados, havia uma casa alta com assoalho, mas parte dela desabou. Os tijolos e madeiras estão guardados na Casa do Moinho. Eu já morei durante 3 anos na parte que restou da casa e continuo morando na zona rural. Fui criado na roça e não aguento morar na cidade", salienta.



"A cozinha da antiga casa desabou, assim como ocorreu com outra parte da mesma. Resta, contudo, uma parte da casa onde residi por três anos", diz Jorge Souza Neves

A CASA DO MOINHO





A Casa do Moinho, localizada em frente à referida residência, é outro patrimônio histórico que, embora ameaçado, deve receber os esforços para ser preservado.


 




Carmozina Teixeira Borges, filha de Margarida Teixeira Borges e Acyr Alvarenga Borges, é, como a mãe, apaixonada pela história. 
  




   
De famílias tradicionais, seus avós maternos são Joaquim Teixeira Reis e Maria Tereza de Moraes Reis. Os avós paternos são Tertuliano Borges Ribeiro e Carmozina Alvarenga Borges.


 Apesar dos riscos que correm os imóveis históricos, Carmozina não perde a esperança em poder preservar esta parte significativa da história de Bom Jesus do Itabapoana.

  
Carmozina Teixeira Borges e a mãe Margarida Teixeira Borges lutam para preservar o patrimônio histórico

 

No dia 10 de agosto, durante o 2o. Passeio Cultural de Bom Jesus do Itabapoana, estes imóveis serão visitados, antes do lançamento da pedra fundamental do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira, que ocorrerá às 14h, no Sítio Rio Preto, em Calheiros, 2o. Distrito de Bom Jesus do Itabapoana, onde os governadores nasceram.




























































quarta-feira, 18 de junho de 2014



ANIVERSÁRIO DE JOSÉ ANTÔNIO BORGES ALVARENGA


 José Antônio Borges: uma liderança bonjesuense



Comemorou 56 anos de idade, no dia 14 de junho, José Antônio Borges, uma das lideranças de nosso município, atualmente radicado em Vitória (ES). A festa ocorreu no sítio de seu irmão, Paulinho, em Bom Jesus do Norte (ES).

Filho de Eloísio Borges Álvares e Maria do Carmo Borges Alvarenga, tem os irmãos Ronaldo, Paulinho, Teresa e Aloísio, assim como a lembrança saudosa de Rita.  

 
José Antônio, a esposa Elize e os filhos Luisa e Leonardo


José Antônio é casado com a capixaba Elizete, integra a Comissão dos Direitos do Consumidor da OAB/ES e divide escritório de advocacia com seus filhos Leonardo e Luísa em Vitória (ES).


 

Aposentado recentemente da Caixa Econômica Federal, José Antônio administra a EcoVila Macaco Barbado, localizada entre os municípios de Santa Teresa e Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo, um empreendimento que consiste em um condomínio rural entre 21 proprietários imbuídos de consciência ecológica, com a responsabilidade de gerir a reserva ecológica.

Tio-Ze-Antonio-23


Tio-Ze-Antonio-56


 
A festa foi permeada de um clima fraterno, característica singular do aniversariante.

Fraternidade marcou uma festa inesquecível


A beleza bonjesuense 


Nosso município sempre se destaca pela beleza de suas jovens. Uma delas, presente à festa, é Melissa Alvarenga de Oliveira, de 20 anos.

A bonjesuense Melissa Alvarenga de Oliveira
Estudante de Agronomia em Alegre (ES), pretendendo ser professora nessa área, a jovem é filha de Marcos do Carmo Oliveira, funcionário público, e Rosane Alvarenga, secretária da Uniodonto e prima do aniversariante.
Com seus olhos verdes e sua simpatia, Melissa integra a nova geração da mulher de Bom Jesus do Itabapoana, que é uma das mais belas do Brasil.

 Melissa: nova geração da beleza bonjesuense

Fotos do ABC Capixaba Portal e de O Norte Fluminense








 
 

terça-feira, 17 de junho de 2014


O CASARÃO CENTENÁRIO ONDE MORARAM OS AVÓS DOS GOVERNADORES ROBERTO E BADGER SILVEIRA





ANTÔNIO IGNÁCIO DA SILVEIRA e MARIA BORGES DA SILVEIRA, os avós paternos dos Governadores ROBERTO e BADGER SILVEIRA, residiram no casarão contíguo a este outro prédio centenário conhecido como Casa do Moinho.

ANTÔNIO IGNÁCIO DA SILVEIRA teve importante participação na 1a. emancipação de Bom Jesus do Itabapoana, ocorrida em 25 de dezembro de 1890.

Este prédio histórico será visitado pela comitiva do 2o. Passeio Cultural de Bom Jesus do Itabapoana no dia 10 de agosto, antes do lançamento da pedra fundamental do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira.