quinta-feira, 2 de julho de 2020

Campanha do Agasalho em Pirapetinga de Bom Jesus

O grupo Pirapetinga de  Coração - Resgatadores da Cultura - está lançando uma  campanha para arrecadar agasalhos em prol da comunidade de Pirapetinga, distrito de Bom Jesus -RJ, antiga Vargem Alegre. Colabore com a campanha!  Ajude a aquecer a vida de alguém!!!

Dia do Bombeiro Brasileiro, por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem.

Dia do Bombeiro Brasileiro.

O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho.

“Homenagem aos que dão a própria vida por muitas outras vidas.”

Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos etc.

Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade.

Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes.

Origem.

A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas.

Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do decreto-lei nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios.

Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

Essa semana de eventos tem como objetivos divulgar o trabalho do bombeiro militar, fortalecer o vínculo entre a instituição e a sociedade, ensinar alguns procedimentos simples para prevenção de acidentes, incentivar a prática do treinamento profissional pelos bombeiros militares e abrilhantar a imagem da corporação ao realizar uma série de eventos saudáveis, seguros e divertidos.

Os Corpos de Bombeiros Militares são corporações cuja principal missão consiste na execução de atividades de Defesa Civil, Prevenção e Combate a Incêndios, Buscas, Salvamentos e Socorros Públicos no âmbito de suas respectivas Unidades Federativas. Desde 1915 são considerados Força Auxiliar e Reserva do Exército Brasileiro, e integram o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Brasil.

Seus integrantes, assim como os membros das Polícias Militares, são denominados Militares dos Estados pela Constituição Federal de 1988, sendo, dessa forma, subordinados, quando em serviço, à Justiça Militar estadual. Diferente do que ocorre com os militares federais, que seriam os integrantes das três Forças Armadas (Marinha, Exército e Força Aérea), que são subordinados a Justiça Militar da União, na primeira instância e ao Superior Tribunal Militar na última.

Os primeiros bombeiros militares surgiram na Marinha, devido os riscos de incêndio nos antigos navios de madeira; porém, eles existiam apenas como uma especialidade, e não como Corporação. A denominação de bombeiros deveu-se a operarem principalmente bombas d’água, toscos dispositivos em madeira, ferro e couro.

Patrono Nacional dos CBMs.

Os Corpos de Bombeiros Militares têm por Patrono o Imperador D. Pedro II. A figura do Imperador representa uma grande nobreza de espírito e coração; tendo recebido excelente educação e disciplina, ficou conhecido como um Monarca humano, sábio, justo, honesto, pacifista e tolerante. Era admirador sincero da modernidade, e foi o criador do primeiro Corpo de Bombeiros do Brasil, em 2 de julho de 1856; data em que se passou a comemorar o Dia Nacional do Bombeiro e a Semana de Prevenção Contra Incêndios. A mais alta condecoração leva o seu nome, Medalha da Ordem do Mérito Imperador Dom Pedro II.

Hierarquia.
Os Corpos de Bombeiros possuem a mesma classificação hierárquica do Exército Brasileiro, com modelos diferenciados de insígnias. 

Telefones de Emergência.

Em todo o Brasil o número do telefone de emergência é único e gratuito.
Para solicitar o auxílio dos Corpos de Bombeiros basta discar 193 (UM (1), NOVE (9), TRÊS (3)).

Especializações.

Embora o Corpo de Bombeiro tenha a imagem tradicionalmente associada ao combate a incêndios, há muito tempo essa atividade deixou de ser sua única missão. Desde a década de trinta o CB executa uma ampla variedade de atendimentos especializados.

• Serviço de Guarda Vidas;
• Combate a incêndios florestais;
• Salvamento aquático;
• Resgate em altura;
• Resgate em montanha;
• Intervenção em incidentes com produtos perigosos; tais como: gases, inflamáveis, substâncias tóxicas, etc.;
• Vistorias técnicas das condições de segurança em edificações, estádios, ou qualquer outro local de grande concentração de público;
• Serviço de Atendimento Pré-Hospitalar.

“Diante de tantas histórias de lutas e vitórias, alegrias e tristezas, suor e muito trabalho, fica a homenagem aos bravos combatentes e guerreiros, sempre dispostos a vidas alheias e riquezas salvar!”

Fonte: Internet

Roger LX



QUEM NOS VÊ? por ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

Olá pessoa amiga e do bem. 

QUEM NOS VÊ?

Conta-se que, certa vez, um agricultor cujos campos não produziam, optou por roubar trigo dos seus vizinhos. Imaginou que se retirasse um pouco de trigo de cada campo, ninguém haveria de perceber. E ele teria com que se alimentar e à família. Quando a noite chegou, tomou da filha, uma menina de 10 anos e foi ao campo de trigo do vizinho mais próximo. Filha, – ele sussurrou – você fica de guarda. Se enxergar alguém, me avise logo. Mal iniciara a colheita, ouviu a garota gritar: Papai, alguém está vendo você! Assustado, ele olhou ao redor. Não viu ninguém. Amarrou rapidamente o trigo que recolhera e foi para o segundo campo. Logo a criança tornou a gritar: Papai, alguém está vendo você! Ele parou. Não havia ninguém à vista. Amarrou o trigo roubado e rumou para o terceiro campo. De imediato, a menina gritou: Papai, alguém está vendo você! Irritado, ele foi para junto da filha e falou: Por que você fica dizendo que alguém está me vendo? Não há ninguém por perto. Ninguém nos vê. Num murmúrio, como se temesse ser ouvida por mais alguém, a menina disse: Há sim, papai. Deus está vendo o que você faz. Ele tudo vê. Não importa seja noite escura, sem lua. Não importa que você faça escondido. Ele vê.
Quantas vezes, em nossas vidas, temos agido como o agricultor da história? Realizamos ações às ocultas dos olhares humanos e imaginamos que ninguém jamais saberá o que fizemos. Assim urdimos a calúnia, enganamos o próximo, armamos intrigas. E que dizer dos crimes contra a vida, cometidos em salas fechadas, em noites escuras? Aborto, eutanásia, violências no lar. Ainda somos daqueles que imaginamos que o mal não tem importância, desde que ninguém saiba que o cometemos. No entanto, embora possamos passar impunes pelas leis dos homens, que não nos descobrirão os feitos covardes, a Divina Justiça tudo vê e anota. Um dia, de consciência desperta, haveremos de responder perante a Lei Maior por tudo o que de errado fizemos. E a justiça da Lei determina que seja dado a cada um conforme as próprias obras. A chaga que abrimos na alma de alguém pode lhe ser luz e renovação. Mas para nós, os causadores da dor, será sempre chaga de aflição a nos pesar na vida. A injúria que lançamos aos semelhantes é chibata mental que nos chicoteia. Porque cada consciência vive dentro dos seus próprios reflexos, evitemos o mal, mesmo porque todo o mal que fizermos aos outros é mal para nós mesmos.
A fé raciocinada nos revela que nenhuma ação passa despercebida, que nada é desconsiderado na contabilidade divina.
Se acreditarmos nisso, com certeza agiremos melhor, para nossa própria felicidade.

Autor desc.

Roger LX

Professor doa relíquia ao Espaço Cultural Luciano Bastos



José Francisco Melo Laurindo, professor de História, que leciona no Colégio Estadual Euclides Feliciano Tardin e no Colégio Estadual Governador Roberto Silveira, doou ao Espaço Cultural Luciano Bastos uma relíquia: trata-se de uma flâmula do ex-governador Roberto Silveira, lançada após um ano de governo.

José Francisco tem se destacado, também, no resgate da história dos pracinhas bonjesuenses que lutaram na 2a. Guerra Mundial, assim como da história do Tiro de Guerra de nosso município.


Depoimento de um jovem empreendedor, por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem. 

Depoimento de um jovem empreendedor. 

Ganhei o primeiro dinheiro da minha vida engraxando sapatos aos 9 anos de idade em 1974, aos 14 já tinha emprego com carteira assinada.

Tenho muito orgulho de ter tomado conta de carros, engraxado sapatos, vendido pamonha, milho verde, curau e sorvetes.

E vocês ? Começaram a trabalhar com que idade ?

Roger LX


A MENSAGEM DE ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

Olá pessoa amiga e do bem. 

Bom dia! 

Te desejo muito mais que um simples bom dia! Te desejo Fé em Deus, Saúde, Paz, Amor, Tranquilidade, Paciência, Perseverança, Atitudes e muita Força para viver e vencer cada segundo deste dia, sem medo de ser feliz. 

"A pior decepção é aquela que vem de pessoas que moravam no seu coração, pessoas nas quais você faria qualquer coisa... pessoas que você achava que se importavam... mas a vida é assim, decepcionando e ensinando"

Roger LX


As cavalhadas

As cavalhadas são uma tradição secular da Ribeira Grande e um dos pontos altos das festas desta cidade da costa Norte da ilha de S.Miguel.
Inicia-se junto ao ao Solar de Mafoma e na frente vai o“rei” ladeado por dois lanceiros (vassalos), seguidos por duas alas com dezenas de cavaleiros.
Os homens que montam a cavalo, devidamente trajados, cumprem uma promessa que, segundo reza a tradição, são um agradecimento pelo facto da igreja de São Pedro, localizada na freguesia de Ribeira Seca e respetiva imagem do santo padroeiro, terem ficado intactas durante a erupção vulcânica ocorrida no Pico do Sapateiro.
O desfile termina junto à igreja de S.Pedro,onde o"rei" saúda a multidão.
Por Fernando A. Pimentel
( Fotos encontradas no google).


Enviado por Antonio Soares Borges
Nos momentos difíceis 
.......................................



    Joel Boechat - Cantinho 
     De esperança 

No altar do nosso coração 
Um desejo arfante  de paz 
De retorno à tranquilidade 
Tende Senhor, piedade ...

Rogativas  de ânimo para os momentos difíceis.
A paz de um mundo sem dor
Sem a  enfermidade 
Onde viceja Tua bondade  

Um mundo de felicidade 
De fé e,  para todos , as
Bênçãos da tranqüilidade 

Um mundo sem medo 
Sem castigo , sem degredo
Pulsando forte em nossas veias 
O ânimo e a fé nessas  horas de incerteza... 

Divina  estrela da paz !
Acessível a todos,  vemo-la em toda parte
Onde o amor  seja nossa
Melhor arte...

Onde se  cultive a caridade simples e  a bonomia.
A maravilhosa bênção da honestidade 

Para nossos ofensores  a 
clemência
Dos ensinos do Mestre a observância e obediência.

Divinal  Estrela !
Debruçando-se , pura , à maneira de aroma envolvente , sublime 
Anulando o veneno em que a treva da pandemia  se nutre...

Tudo vai passar ! 
Amanhã uma vida de paz todos nós aperfeiçoados  pela dor vamos  vivenciar ...

quarta-feira, 1 de julho de 2020

O centenário de Amália Rodrigues

Amália da Piedade Rebordão Rodrigues nasceu no dia 23 de Julho de 1920, no entanto festejava o seu aniversário, no dia 1 de Julho.
Por esse motivo, as celebrações do seu Centenário têm lugar a partir de hoje, podendo toda a programação ser seguida aqui:
http://centenarioamaliarodrigues.pt

Artista universal, Amália Rodrigues (1920-1999) é uma das personalidades mais importantes da história da música do Século XX.  

O seu legado permanece vivo, moderno e intemporal. No esplendor das suas metamorfoses e ciclos, o vasto património fonográfico de Amália Rodrigues afirmou-a, há muito, como uma das melhores cantoras dos nossos tempos.

O simbolismo do Fado na cultura portuguesa, aliado às qualidades artísticas da obra de Amália Rodrigues e aos contributos que deu para a difusão da cultura e da língua portuguesas em todo o mundo, de Paris a Tóquio, da União Soviética aos Estados Unidos, fizeram dela uma das mais reconhecidas embaixadoras de Portugal.

A singularidade da sua carreira assegurou-lhe, em 2001, um lugar no Panteão Nacional, onde repousam os seus restos mortais.

https://bit.ly/2VyAzJy


Enviado por Antonio Soares Borges

A NOVA MENSAGEM DE ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

Olá pessoa amiga e do bem.

Uma Senhora estava passando pelas ruas, quando deparou com um Senhor vendendo ovos.
Ela Perguntou:
"Por quanto você está vendendo os ovos?"
O Velho Vendedor Respondeu:
R$ 0,50 um ovo, Senhora".
Ela Disse:
"Vou levar 6 ovos por R$ 2.50 ou eu vou embora".
O Velho Vendedor Respondeu: "Venha levá-los ao preço que você deseja. Pode ser, este é um bom começo porque não consegui vender nem um único ovo hoje ".
Ela pegou os ovos e se afastou sentindo que ganhou.
Ela entrou em seu carro elegante e foi a um restaurante elegante com sua amiga. Lá, ela e sua amiga, pediram o que quiseram. Elas comeram um pouco e deixaram muito do que pediram. Então ela foi pagar a conta.
A conta ficou em R$ 310,00.
Ela deu R$ 350,00 e pediu ao proprietário do restaurante para ficar com o troco.... Este incidente pode ter parecido bastante normal ao proprietário, mas muito doloroso para o vendedor de ovos pobre.

O Objetivo é Saber:
Por que sempre mostramos que temos o poder quando compramos dos necessitados?
E por que ficamos generosos com aqueles que nem precisam de nossa generosidade?

Uma vez eu li em algum lugar:
"Meu pai costumava comprar bens simples de pessoas pobres a preços elevados, mesmo que ele não precisasse deles. Às vezes, ele costumava pagar mais por eles. Fiquei preocupado com este ato e perguntei-lhe por que ele faz isso? Então meu pai respondeu: "É uma caridade embrulhada com dignidade, meu filho."

Roger LX


O que destrói o ser humano?

Enviado por Wilma Martins Teixeira Coutinho

O Vaticano e a Chave

Enviado por Antonio Soares Borges

PARA ALÉM DA CURVA DA ESTRADA



Para além da curva da estrada 
Talvez haja um poço, e talvez um castelo, 
E talvez apenas a continuação da estrada. 
Não sei nem pergunto. 
Enquanto vou na estrada antes da curva 
Só olho para a estrada antes da curva, 
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva. 
De nada me serviria estar olhando para outro lado 
E para aquilo que não vejo. 
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos. 
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer. 
Se há alguém para além da curva da estrada, 
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada. 
Essa é que é a estrada para eles. 
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos. 
Por ora só sabemos que lá não estamos. 
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva 
Há a estrada sem curva nenhuma. 

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos" 
Heterónimo de Fernando Pessoa

Enviado por Antonio Soares Borges

Você sabe como surgiu a palavra "Bonde"? por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem. 

"Bonde"

Você sabe como surgiu a palavra  "Bonde"?

Em meados de 1872 surge a palavra bonde, originada pelo fato que naquela época as passagens custavam 200 réis, e não existiam moedas de prata cunhadas deste valor em circulação. Diante disso, a empresa emitiu pequenos cupons ou bilhetes em grupo de cinco, pelo preço de um mil réis, devido à grande quantidade de cédulas deste valor em circulação. Os bilhetes, ricamente ilustrados impressos nos EUA, eram conhecidos como “Bonds”, (bônus, ação). A própria empresa denominava bond tais cupons, por entender que representava o compromisso assumido de, em troca, transportar o portador em de seus veículos. Com o tempo o povo passou a denominar no próprio sistema carril de ferro urbano como bond, designação que mais tarde se consagrou com o neologismo “bonde”.

Autor desc. 

Roger LX


Hoje é o primeiro dia do mês de Julho, por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem. 

Bom Dia! 

Hoje é o primeiro dia do mês de  Julho.  

É um novo recomeço vamos mentalizar em nossos corações que esse segundo semestre,  venha com muita fé, esperança, saúde, paz,  amor, alegrias,  humildade e proteção.     Não se pode mudar o passado, mas somos livres para construirmos um novo recomeço a todo tempo. Que nesse segundo semestre, que se inicia hoje, nós possamos construir um recomeço bonito, da forma que quisermos. Que julho nos traga muita fé,  esperança,  para dias e recomeços incríveis! Gratidão sempre em nossas vidas!

Roger LX


A MENSAGEM DE ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

Olá pessoa amiga e do bem.

Bom dia com menos desamor...

A gente precisa continuar acreditando:
- Que vale apena ser honesto, 
- Que vale apena estudar, 
- Que vale apena trabalhar. 

QUE É PRECISO CONSTRUIR.
A vida, o futuro, o carácter, a família, as amizades e os amores.

Roger LX


terça-feira, 30 de junho de 2020

A casa de veraneio do Marquês da Praia e Monforte

Artigo no Diário dos Açores a 17/06/2020:



"A casa de veraneio do Marquês da Praia e Monforte

Em termos gerais as casas nobres são construções de cariz particular ou doméstico, exibindo o poder económico dos seus proprietários e representando da melhor forma, as tendências estilísticas dominantes através do emprego de materiais de melhor qualidade. 
A residência aristocrática deve ser entendida na dupla acepção de casa-residência e casa-instituição nobiliárquica, pois traduzia o poder económico e prestígio social daquela família. Aliás a mesma família podia possuir diversas residências: casas e quintas em locais diferentes. Aqui temos de ter em atenção que, nos Açores, uma residência nobre em seio urbano era designada como “casa” e em meio rural era denominada por “quinta”. 
A residência do Marquês da Praia e Monforte no Largo Bom Despacho, limite da freguesia de Arrifes e de São José, é um exemplo da abundante tendência da edificação de casas torreadas em meio urbano, neste caso, em local de transição entre a cidade de Ponta Delgada e a freguesia em estudo. O Morgado Câmara afirma que a casa era constituída por: “(…) um grande pátio todo murado, com duas casas de habitação, uma delas com torreão e varanda, e com as demais construções acessórias, como forno de pão, arrecadações, abegoarias, celeiros e lagares, tudo num local com óptimos ares e linda vista.”. 
O muro que delimita a propriedade exibe em pedra uma insinuação de pequenos canhões, virados a sul, que outrora serviam de proteção a fim de afastar os piratas e corsários. Esta tipologia permitia uma afirmação contra o isolamento pois tinha vista para o mar. Em redor das casas a propriedade dispõe de pomar, horta, laranjal, jardim, estufa, alpendre, piscina biológica e zonas de lazer. 
A casa torreada apresenta-se em três pisos com varanda corrida no andar nobre: (…) envolve os quatro lados da torre protegida por um varandim de ferro. Acima da cornija superior corre uma balaustrada de pedra apenas nas vertentes sul e poente. Os vãos são amplos, com caixilhos de dois batentes e molduras simples com lintel curvo e cornija saliente. Na fachada sul situava-se o acesso à torre através de uma escadaria semi-circular de três degraus decrescentes. Interiormente, uma escada encostada ao anglo sul/nascente atinge o último piso em lanços paralelos. No piso superior uma janela de sacada de maiores proporções e ladeada por duas pilastras de basalto assinala um eixo vertical que começa na porta de entrada. Existe um anexo, constituído por um único piso, com um compartimento e uma cozinha com caixa-do-lar, forno e chaminé alta de forma cónica (…). (ALBERGARIA, 2012: 229 e 230)
A casa principal apresenta dois pisos. A fachada virada a sul, antes das obras na década de oitenta do século XX, exibia no piso inferior uma escadaria lateral com porta e era ladeada por outras três. As recentes remodelações aumentaram a largura das escadas e criaram uma abertura em arco de volta inteira sobre a antiga porta. O piso nobre é constituído por cinco portas, quatro delas com varandim em ferro que se mantiveram. A fachada da lateral esquerda era constituída por três janelas no andar superior e duas portas no inferior. As remodelações rasgaram uma nova janela na extremidade norte do piso superior, por baixo uma porta e ainda uma abertura, no limite norte do piso inferior. A lateral direita apresenta janela e porta no andar superior e ainda escadaria com pequena abertura. As traseiras exibem diversas aberturas através de janelas e portas que estão viradas para um pequeno pátio. Possui varanda sem interrupção a delimitar o piso superior do inferior que culmina numa escadaria.
O interior possui cerca de vinte divisões, adaptadas à nova função turística com escritório, dez quartos de dormir, algumas casas de banho, quatro salas de estar, duas salas de jantar e duas cozinhas. Merecem destaque algumas peças de mobiliário e de pintura que se podem encontrar por todo o solar como a cama do marquês, baús, mesas, aparador, obras de Domingos Rebelo, entre outros.
Sobre a ermida de Nossa Senhora do Bom Despacho a informação é verdadeiramente escassa. Estava incorporada na propriedade e antecedê-la, ao longo do século XIX e XX, existiu um fontanário acompanhado por dois tanques que serviam de bebedouro pra os animais.
Gaspar de Medeiros e Sousa, Juiz do Mar e Provedor das Alfândegas, herdou o vínculo instituído por seu avô Gaspar Dias. Casou com Maria da Câmara Bettencourt em São José no ano de 1644. Faleceu em 1688 após realizar o seu testamento. Tendo sido confrontado com a acusação de possuir sangue judeu em 1606, por parte da avó materna, Maria Fernandes, natural de Sevilha, obteve alvarás de justificação de cristãos velhos e em função disto, escolheu o nome de “bom despacho” para designar o local onde residia. A “pureza de sangue” foi concedida por carta Real e assim, erigiu uma ermida que invocava o momento do “bom despacho” a seu favor.
A ermida provavelmente caiu em ruínas por abandono da família, no entanto, na década de cinquenta do século XX, acreditava-se que a imagem da padroeira se encontrava no oratório particular dos herdeiros da família.

Para mais informações note-se as obras: “A Casa Nobre na Ilha de S. Miguel: do Período Filipino ao Final do Antigo Regime” de Isabel Albergaria; “Apontamentos Histórico-Genealógicos sobre a Família Borges-Coutinho de Medeiros e Dias: Condes-Viscondes da Praia, Viscondes de Monforte, Marqueses da Praia e de Monforte” de A. Câmara e “Genealogias de São Miguel e Santa Maria” de Rodrigo Rodrigues.

Este texto não segue o novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa."


Enviado por Antonio Soares Borges
.             Águas da redenção
................................................





    Joel Boechat-Cantinho de
     Gratidão

No alto da Serra da Canastra
Com  bênçãos de São Roque  
E do bondoso  São Francisco
Em filetes d'água  onde o som
De amor rumoreja .
A esperança que se alastra ...
Que a fome e sede que nos
Agasta se acabe na região  Sertaneja 
Na graça de Deus, nosso Pai 
Assim seja.

Benditas águas que correm para 
O meu sofrido sertão. 
Enchendo de alegria e esperança Um caboré tristonho,  glórias e Sonhos,sertanejo a cantar .
Loas para as águas...
Águas de consolação .
Na vida,  esse sonho  dentro do Coração.

Mãos cansadas de desferir 
Na terra , pelo sol  rachada 
Duros golpes de enxada
Para enterrar as sementes de bonança , agora serão regadas.

Nossa fé de muita fartura
O inhame, o cará, a macaxeira 
O jerimum, canteiros de muitas Verduras

Foi a fé dos caboclos nas
Promessas do Senhor  ! 
Jamais passarão  fome ...
Terão os lavradores, águas
Dos rios  bravios que antes só
corriam para o mar
Dos sonhos,  a sua realização
Novos sonhos para sonhar...

Águas do São Francisco 
para saciar a sede .
Parar com a morte severina 
das raças equinas e bovinas 
Dos queridos filhos do sertão
O Obrigado Senhor 

Era tudo que eu precisava
Tudo que nossa gente sonhava 
As águas do vosso amor

Ao Pai dos céus, as rogativas de  Bênçãos  aos trabalhadores das Obras da transposição  e, 
do Nosso  peito,um forte grito 
de Eterna gratidão.

Todos os dias eu aprendo um pouco mais... , por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem. 

Todos os dias eu aprendo um pouco mais...

Como Belém já foi a "Paris N'America", muito provavelmente os cavalheiros mais abastados daqui, no finalzinho do seculo XIX e começo do século XX ,  importaram esse luxo e que foi chic no passado. 

Imagine a seguinte cena: um cavalheiro bem alinhado vai cortejar a donzela em sua casa, e de repente ele dá uma tossidinha, bota a mão no bolso,  tira esse objeto, abre a "escotilha" ,  escarra e cospe bem nesse orifício, fecha-a elegantemente e bota de volta ao bolso. Tudo isso sob o olhar da pretendente. 

Que tal não era chic e daria pra casar ?

Roger LX


Feliz hoje! por Rogério Loureiro Xavier

Olá pessoa amiga e do bem. 

Feliz hoje! 

Bom dia é a forma mais disfarçada de falar "Acordei e Pensei em Você."

Que as nossas palavras, nossos gestos e nossas ações, façam a diferença na vida das pessoas. Porque a vida só tem sentido se for realmente para fazer o bem. 

"Um dia a saudade deixa de ser dor e vira história para contar e guardar para sempre. Algumas pessoas são assim, eternas... dentro da gente!"

Roger LX


A MENSAGEM DE ROGÉRIO LOUREIRO XAVIER

Olá pessoa amiga e do bem.
 
Bom Dia! 

... E a vida pede passagem. 

Pra hoje muitos sorrisos, por favor! 
Nada de pesos. 
Nada de medos. 
Esqueça tudo que não deu certo ontem. 
Hoje é um novo dia! 
Algumas pessoas irão "amar" você apenas enquanto puderem te usar. 
A lealdade termina quando os benefícios acabam.
 
"Feliz é aquele que cultiva o próprio caminho, que gosta de tudo aquilo que já tem e não prejudica ninguém só para se dar bem."

Roger LX


segunda-feira, 29 de junho de 2020

Alaga o teu coração de esperanças


“Alaga o teu coração de esperanças… mas não deixes que ele se afogue nelas…”

Fernando Pessoa


Enviado por Antonio Soares Borges

Dia 29 de junho, Dia Internacional do Pequeno Príncipe


Dia 29 de junho, dia de São Pedro, Aniversário de Cachoeiro de Itapemirim/ES


SALVE OS 98 ANOS DA LIRA 14 DE JULHO!!!




Hoje, a Corporação Musical Lira 14 de Julho completa 98 anos de existência.

O jornal O Norte Fluminense saúda e parebeniza todos os músicos e dirigentes que prosseguem o ideal de Luís Tito de Almeida, Custódio Soares de Oliveira, Elpídio Sá Viana, Durval Tito de Almeida, Sebastião Magalhães e Elias Borges, que fundaram a entidade há 98 anos!

Fotos: André Luiz de Oliveira
Retreta ocorrida neste sábado, na sede da Lira 14 de Julho


















A Editora O Norte Fluminense lançou, no ano passado, ocasião do aniversário da Lira 14 de Julho, uma revista comemorativa sobre a história das Liras em nosso município, saudando também o aniversário da Lira Operária Bonjesuense, comemorado no dia 9 de julho, e os 2 anos da Lira Calheirense Maestro Áureo Fiori. Neste ano, se comemora, ainda, os 141 anos da Lira do Maestro Feliz, a primeira da nossa cidade.












Dia 14 de julho: 98 anos da Lira de Rosal



LIRA 14 DE JULHO COMEMORARÁ 98 ANOS DE EXISTÊNCIA!





A Corporação Musical Lira 14 de Julho, fundada em Rosal, em 1922, é um patrimônio cultural de nosso município, formado por músicos idealistas que prosseguem a tradição musical.

O maestro Lulu de Almeida (Luiz Tito de Almeida), foi um de seus fundadores e seu primeiro maestro. Cely Tinoco é compositor e o atual maestro da Lira 14 de Julho.

Ao aproximar a data magna da entidade, O Norte Fluminense saúda e parabeniza todos os membros da gloriosa corporação musical rosalense!


Cely Tinoco, maestro da Lira 14 de Julho: idealismo e paixão pela música


Cely Tinoco na sede da Lira 14 de Julho, em Rosal

             
Assistam aos vídeos postados no youtube por RosaldeSantana e José Tarcísio Roseira André.







Maestro Lulu de Almeida (Luiz Tito de Almeida) foi um dos fundadores da Lira 14 de Julho, em 1922, e seu primeiro maestro