quinta-feira, 25 de maio de 2017

Um grandioso poema de Elcio Xavier


Elcio Xavier: ícone da nossa literatura



POEMA DO DESALENTO


Elcio Xavier



Tu me pedias o silêncio
da flor que chora olhares,
e dei-te a solidão e mar.
Querias o frio e uivos nos vales
onde corações se perdem,
dei-te sombras andrajosas,
o velho mosteiro sem calor
e encruzilhadas fatídicas.

Agora me pedes a luz implume
com orvalho nos raios
e sons de amor na face.
Queres as ondas delicadas
onde se banham folhas
e perdidas aves matizam
suas asas de aventura.

Dar-te-ei apenas o crepúsculo 
de meus olhos envelhecidos.



(De ROSAQUARIUM, 2ª edição, 2017, Editora O Norte Fluminense)


"ROSAQUARIUM" foi lançado em sua 2ª edição, pela editora O Norte Fluminense

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Workshop Gratuito de Argila Medicinal em Cabo Frio







Da terra viemos e dela vivemos. Nossos antepassados sempre souberam utilizar os recursos que a terra fornecia. A argila medicinal é um laboratório de vida. Ela refresca, desinflama, descongestiona, purifica, cicatriza, absorve e acalma. Pode-se usar a argila medicinal em uso interno e externo. Aprender a utilizar esse potencial é voltar as nossas origens. A Terapeuta Holística Ana Thereza vai realizar o workshop gratuito de “Argila Medicinal” no espaço Cereall Gourmet, no dia 27 de maio, às 17 horas.
 
A argila absorve as impurezas e até substâncias tóxicas. No conteúdo do workshop: breve histórico da argila, propriedades curativas da argila, dicas para manter sua pele saudável e aplicação de máscara facial rejuvenescedora. Escritos antigos, anteriores a era cristã, mencionam o uso da terra de “Lemnos” para fins de cura. O naturalista romano Plínio consagrou um capítulo da sua “História Natural” ao tema.  Durante a 1ª Guerra Mundial, soldados russos recebiam dos seus comandantes 200gr de argila. Os nossos índios utilizam a argila como medicamento para picadas de cobra, o veneno sai, não incha e a dor é eliminada em poucos instantes. 

O workshop de “Argila Medicinal” é gratuito, mas pede-se a colaboração de um quilo de ração (para cão ou gato). Todo material arrecadado será doado para a Superintendência de Proteção dos Animais de Cabo Frio, que mantém diversos projetos sociais. O espaço de eventos do Cereall fica à Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio, telefone (22) 2629-6739.

terça-feira, 23 de maio de 2017

"Abelardo Luz deve ser visitado", diz bonjesuense




Gemima Pimentel


Abelardo Luz é um município localizado no oeste de Santa Catarina com  economia baseada na agroindústria.



Possui vastas plantações de soja, milho, trigo, contando com diversos frigoríficos de carnes e peixes.



O nome é uma homenagem a Abelardo Venceslau da Luz, descendente de Hercílio Luz, governador de Santa Catarina por três vezes. A região é de de muito frio, com temperatura que alcança números negativos. Já cheguei a pegar -3ºC.



Abelardo Luz é considerada a capital das sementes.


Diz-se que, em decorrência das plantações de trigo, lá aparecem OVNIs, que, inclusive, teriam deixado suas marcas com agróglifos, que são figuras geométricas ou grandes círculos, sem aparente explicação. 


Rica por suas belezas naturais e banhadas pelo rio Chapecó, conta com lindas quedas d'águas, sendo um local que deve ser visitado.





Gemima Pimentel é bonjesuense


segunda-feira, 22 de maio de 2017

LAJE DO MURIAÉ SEDIARÁ 1º CAMPEONATO REGIONAL DE BASQUETE






Laje do Muriaé foi privilegiada e será sede do 1º campeonato regional de basquete que acontecerá no dia 07 de Julho, na quadra coberta do antigo FAETEC, dentre as equipes confirmadas estão Laje do Muriaé, Itaperuna, e Miracema. Acontecerão também apresentações de capoeira e dança e mais novidades que estão por vir. No ambiente terá Wi-Fi liberado para atender a todos.


Atenciosamente, 
Maria Beatriz
​Diretora do CCMB (Centro Cultural Maria Beatriz)

domingo, 21 de maio de 2017

CIRCUITO CULTURAL FAZENDAS HISTÓRICAS




VINHO ENTRE ROSAS







O empreendimento "Bebidas & Cia", voltado especialmente para o vinho, foi estabelecido no acolhedor e próspero distrito de Rosal, a partir da segunda edição do tradicional Festival de Chorinho e Sanfona, em 2012.

Desde então, as portas do estabelecimento, situado em prédio histórico, na praça principal, se abriam apenas em épocas de festas.

O sucesso, contudo, fez com que a comunidade e visitantes possam contar todos os fins de semana com este aprazível espaço para seu deleite.



Marcele Nunes, funcionária da Bebidas & Cia














Vicentinos comemoram os 400 anos do carisma vicentino



Vicentinos dos municípios capixabas de Castelo, Alegre, Dores do Rio Preto e Guaçuí estiveram hoje no Santuário de Nossa Senhora de Natividade (RJ), comemorando os 400 anos do carisma vicentino. A próxima reunião comemorativa ocorrerá no final do mês, em Castelo.
Veja o texto emitido pela entidade, que reproduzimos abaixo, em
http://asvp.org.br/aniversario-de-400-anos-do-carisma-vicentino-sera-comemorado-com-reflexoes-em-apoio-aos-estrangeiros/


Comemora-se em 2017 o aniversário de 400 anos do carisma vicentino. A data será celebrada em todo mundo com reflexões em torno dos gestos de caridade empreendidos em favor dos estrangeiros. O padre Gregory Gay, Superior Geral da Congregação da Missão (ordem dos padres, fundada por São Vicente de Paulo), definiu que entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017 será o Ano da Acolhida ao Estrangeiro. O lançamento oficial deve ser feito no próximo dia 15 de maio, na Festa de Pentecostes.
A partir de 15 de maio, os líderes da Família Vicentina terão a responsabilidade de desenvolver um processo de reflexão e consulta no respectivo Ramo, trabalhando estreitamente com as equipes nacionais e regionais, sobre as seguintes perguntas: a) Quem são os estrangeiros ao nosso redor? b) Como estamos dando nosso apoio atualmente? c) Quais as novas necessidades que estão surgindo? d) Como podemos responder a estas necessidades? e) Somos nós os estrangeiros necessitados de acolhida?
As respostas a estas perguntas serão compiladas em outubro de 2016 e o resultado delas transformado em um plano de trabalho ao ano seguinte. Padre Gregory Gay dá pistas que podem orientar os trabalhos das pessoas que se dedicarão ao projeto, principalmente, elucidando o público-alvo da iniciativa. “São muitos: os refugiados que fogem da opressão e da pobreza; os desabrigados em suas cidades devido a guerras civis; os migrantes que buscam uma vida nova; os sem-teto; os enfermos físicos ou mentais; aqueles que sofrem discriminação por sua fé, raça ou cor; o jovem ou o ancião solitário e vulnerável. Muitas destas pessoas e situações já estão familiarizadas com o trabalho dos membros da Família Vicentina em nível global”.
O representante da Família Vicentina na Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) é o confrade Cristian Reis da Luz Bigão, vice-presidente do Conselho Nacional do Brasil (CNB). Ele pede que os vicentinos divulguem a carta do padre Gregory Gay (baixe aqui), que foi traduzida pelo padre Joelson Sotem (também da Congregação da Missão-CM). Ainda aconselha que os confrades e as consócias pensem em estratégias globais. “Lembremos sempre que o carisma tem que ter sua chama acesa… na Igreja, na sociedade. Mais do que um Ramo, devemos pensar na família, no carisma! Somos portanto, desafiados a viver intensamente nosso carisma, reconhecendo nossos ‘Mestres e Senhores’ e agindo eficazmente com caridade, ‘fazendo o que a justiça sozinha não saberia fazer’”.

400 ANOS DO CARISMA

O carisma vicentino foi iniciado em 1617, na Igreja de Chatillon, quando Vicente de Paulo exortou os fiéis a ajudarem uma família pobre da Paróquia. A família foi salva pela pronta resposta a este convite à ação e como resultado deste momento, Vicente compreendeu que a caridade para ser efetiva devia também estar bem organizada, um evento que tem mudado o mundo nos últimos 400 anos.
Lançamento de logomarca é uma das atividades em comemoração aos 400 anos do carisma vicentino
A Família Vicentina se prepara para comemorar os 400 anos de instituição do carisma dela inspirado em São Vicente de Paulo. Foi o santo que em 1617 fundou a instituição Damas da Caridade, o primeiro Ramo vicentino que, depois, abriu as portas para a criação de muitas outras entidades, a exemplo da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP). Para celebrar a data, foi lançada a logomarca oficial.
A imagem é composta por um círculo (que representa o mundo, a história, a vida) formado por várias linhas coloridas (simbolizando os Ramos da Família Vicentina). “Estas linhas ou raios simbolizam as Congregações, grupos, associações fundadas a partir do carisma vicentino. Eles também simbolizam a sociedade, com suas imperfeições e alegrias, esperanças e fraquezas”, explica o padre Alexis Trujillo Cerquera, que apresentou a arte nesta semana no site internacional da Família Vicentina.
Ainda de acordo com a explicação do padre, as estrelas da logomarca remetem aos dois lugares teológicos onde Vicente de Paulo viu os traços de Deus na vida dele e que iniciou as obras de caridade: Gannes-Folleville e Châtillon-les-Dombes, ambas na França.
Já a cruz que corta o desenho representa a ressurreição de Cristo e a festa de Pentecostes. “A cruz nos lembra que é sempre um sinal de um novo espírito que vive dentro de nós e nos convida a viver como Família Vicentina em nosso mundo”, completa o padre.
Logo dos 400 anos do Carisma Vicentino
O Pe. Alexis Cerquera Trujillo compartilha conosco o logotipo que desenhou para os 400 anos do Carisma Vicentino.
Explicação do logo:
Foi construído a partir de uma figura básica:
O círculo: (o mundo, a história, a vida, etc.). Este círculo está formado por diversas linhas, organizadas de uma maneira “radiante” em diferentes cores (roxo, verde, azul…).
Estas linhas ou raios simbolizam as congregações, os grupos, associações… fundadas desde o carisma vicentino. Também simbolizam a sociedade, com suas imperfeições e alegrias, esperanças e cansaços…
Este círculo ligam as duas estrelas, que recordam dois “lugares teológicos” onde Vicente de Paulo viu as pegadas de Deus em sua vida e que, por palavras, se tornaram acontecimentos importantes: Gannes-Folleville e Châtillon-les-Dombes.
As estrelas: sua localização nos recorda o território francês. Estão unidas por uma cruz de luz que recordam a Ressurreição e Pentecostes.
A cruz nos recorda que é sempre um sinal de um novo Espírito que nos habita e nos convida a viver como Família Vicentina, em nosso mundo, razão pela qual o rosto de Vicente se encontra na intersecção da cruz.















IL VOLO - LA LUNA HIZO ESTO




PAULO MOREIRA, O HERÓI DA 2ª GUERRA MUNDIAL QUE MORREU EM COMBATE (III)

José Francisco Melo Laurindo



Adicionar legenda



Quando o Brasil declarou guerra às forças do Eixo (aliança político-militar formada pela Alemanha Itália e Japão) em 1942, Paulo Moreira servia o Exército em Niterói- RJ. Ao observarmos as cartas de Paulo nesse período, percebemos sua preocupação com os familiares, principalmente com a sua mãe. Durante a guerra, o Expedicionário integrou o 1º Regimento de Infantaria (Regimento Sampaio) do Rio de Janeiro, que juntamente com o 6º Regimento de Infantaria, de Caçapava, São Paulo e o 11º Regimento de infantaria (atual Regimento Tiradentes) de São João del Rei, Minas Gerais, formavam a base da Infantaria da 1º DIE -Divisão de Infantaria Expedicionária. Em campo de batalha onde dor, desespero, sofrimento e morte andam de mãos dadas, Paulo Moreira atuava como enfermeiro ocupando a graduação de 3º Sargento.

No dia 04 de Janeiro de 1945, na região de Porreta Terme, na Itália, Paulo atendia alguns feridos quando o grupo em que ele estava foi surpreendido por um morteiro da artilharia alemã. Com a explosão, vários militares que se encontravam ali morreram na hora, inclusive Paulo que fora atingindo por estilhaços que seccionaram sua carótida. Nesse dia também, morreram o soldado Miguel Francisco Dias, do 6ª RI e o 3º Sargento Paulo Inácio de Araújo do 1ª RI. Em relação a esse episódio, o Sr. Nilo Escudino, em uma entrevista realizada em 2005,  forneceu-me as seguintes informações: “... morreu na porta do hospital, aí eu estava em Livorno, um amigo me ligou: ô Nilo, seu conterrâneo..., houve um acidente com ele...” . O Sr. Nilo Escudino também era combatente e residia em Bom Jesus  do Norte - ES.




(continua)

sábado, 20 de maio de 2017

NOITE HISTÓRICA EM HOMENAGEM A ELCIO XAVIER




                                       Fotos: Multieventus, Família Xavier, Anizia Maria e Gisele Magalhães



Elcio Xavier e os filhos Rogério Loureiro Xavier, Rita de Cássia Loureiro Xavier Kisukuri, Regina Loureiro Xavier e Rosete Loureiro Xavier Nascimento




O dia 6 de maio de 2017 constituiu-se em data histórica para nosso município.

Nesta data, foi comemorado no Auditório Dona Carmita, do ECLB (Espaço Cultural Luciano Bastos), o aniversário de Elcio Xavier, o maior poeta bonjesuense de todos os tempos, e um dos grandes vates do país, que completou 97 anos no dia 3 de maio. 




Para o evento festivo, aqui vieram, acompanhando seu pai, que reside em Guaratiba, no Rio de Janeiro,  os filhos Rogério Loureiro Xavier, Rita de Cássia Loureiro Xavier Kisukuri, Regina Loureiro Xavier e Rosete Loureiro Xavier Nascimento.





Na oportunidade, Elcio Xavier foi recepcionado calorosamente pelo público que lotou as dependências do ECLB. Em seguida, Gino Bastos saudou o mestre e leu para o público texto de Adonias Filho, membro da Academia Brasileira de Letras, que, em artigo intitulado "Poetas em Primavera", assinalou que o poeta bonjesuense "precisa ser lido no livro marcante que é O Véu da Manhã". Este texto está assentado no final desta postagem.




Os irmãos Gino e Claudia Bastos recepcionaram Elcio Xavier


Na noite festiva, ocorreu, ainda, o lançamento do livro ROSAQUARIUM, em segunda edição, outra obra de destaque de Elcio Xavier, patrocinado pela Editora O Norte Fluminense.


"ROSAQUARIUM" foi lançado em sua 2ª edição, pela editora O Norte Fluminense






Foram entregues, ainda, as premiações do concurso literário "Elcio Xavier e O Véu da Manhã", organizado pelo jornal O Norte Fluminense.

Colaboraram para o êxito do concurso a Academia Calçadense de Letras, através dos poetas Vera Maria Viana Borges, Edson Lobo e Maria Dolores Pimentel. Vera Viana, que é escritora, trovadora, sonetista e compositora bonjesuense, se fez presente, e, após declamar, com o brilho que lhe é peculiar, poesias em homenagem a Elcio Xavier, anunciou os premiados, que receberam do homenageado as medalhas e certificados. 

Vera Viana declamou e encantou Elcio Xavier


Elcio Xavier e Vera Maria Viana Borges: encontro histórico de dois grandes poetas bonjesuenses


Tereza Cristina de Lima Nazareth de Jesus, do Colégio Estadual Luiz Tito de Almeida, do distrito de Rosal, conquistou o 1º lugar com a poesia "Elcio Xavier - Além dos olhos"


Suelyr Reis da Silva alcançou o 2º lugar com a poesia "O Ecologista"



Abraham Novaes Alves, do Colégio Estadual Padre Mello, conquistou o 3º lugar com a poesia "O VÉU DO AMANHÃ"

Kasthiliane Aparecida Brambila Rabelo, do Colégio Estadual Governador Roberto Silveira, recebeu Menção Honrosa com a poesia "Elcio Xavier"


Elcio foi celebrado, também, pela Lira Operária Bonjesuense, comandada pelo Maestro Nilo de Souza, que levou os músicos para festejarem o aniversário do mestre.


Elcio Xavier e sua filha Rosete
 recepcionaram a Lira Operária Bonjesuense na chegada ao ECLB





Lira Operária Bonjesuense, comandada por Nilo de Souza, homenageou Elcio Xavier, no pátio do ECLB

A música e poesia se encontraram com Nilo Souza e Elcio Xavier



A Escola de Música JEMAJ, dirigida por Anizia Maria Pimentel, levou Elcio Xavier a emocionar-se diante da apresentação dos jovens músicos e da declamação da diretora da entidade.




Escola de Música JEMAJ homenageou e emocionou Elcio Xavier


Anizia Maria Pimentel, diretora da Escola de Música JEMAJ, declamou poesia de Elcio Xavier



Os filhos de Elcio Xavier aproveitaram o evento para homenagear o ECLB, com o discurso abaixo.



Família Xavier prestou homenagem ao ECLB


          Boa noite!

         Hoje, neste dia especial, em que nosso pai é homenageado com o lançamento da 2ª edição do seu livro “ROSAQUARIUM” pela Editora O NORTE FLUMINENSE, como também a premiação aos vencedores do concurso “ELCIO XAVIER e o VÉU DA MANHÔ,queremos agradecer ao ESPAÇO CULTURAL LUCIANO BASTOS.

Agradecer por sua existência, por este trabalho lindo que tem feito pelo Município de Bom Jesus do Itabapoana, resgatando a história e a cultura deste que é o berço de muitas histórias e personagens de grande valor.

         E como agradecer a tudo isso? Pedindo a Deus que continue abençoando a todos vocês, dando saúde e força para que continuem com essa obra magnífica que leva cultura a todos, bonjesuenses ou não, através de diversas atividades de alta qualidade, com suas exposições, concursos literários, recitais, saraus e tudo mais.

Agradecemos ao Dr. Gino, às suas irmãs Cláudia e Paula, e a todos os colaboradores, que têm dedicado seu tempo para homenagear o nosso pai, Elcio Xavier.

Homem simples, avesso a grandes homenagens, mas que não tenham dúvida, está muito emocionado com tudo que vocês têm feito por ele.

É uma honra para a nossa família estar aqui hoje.

         Obrigada!Obrigada pelo carinho com o papai!


Família Loureiro Xavier

Bom Jesus do Itabapoana, 06 de maio de 2017.

Elcio Xavier: ícone da nossa literatura





Elcio Xavier, emocionado, agradeceu a homenagem a todos, e leu o discurso que segue. 






                     DISCURSO DE ELCIO XAVIER





               Boa noite para todos!

            Faltam-me palavras para me expressar diante desta extraordinária acolhida em minha terra natal, quando me propus estar aqui apenas para lhes oferecer meu pequeno livro. Não sei proferir discursos vibrantes, eloquentes, mas um especial agradecimento, saído do coração de um idoso que escreve poesias, e se habituou na convivência singela com os amigos ao longo dos anos que o Criador lhe tem presenteado.

            Nesta oportunidade lembro-lhes que jamais quis ser o maior, mas apenas dar o melhor de mim naquilo que faço para usufruir do reconhecimento dos amigos.

           Emocionam-me profundamente os acordes de nossa veterana e querida Lira Operária.Sou membro de uma família de músicos de real valor. Tenho a música no sangue.

           Obrigado, amigo Nilo! Só posso lhe pagar esta alegria, aqui, agora, com um fraternal e apertado abraço.

        Aos membros da Escola de Música JEMAJ, belo exemplo de competência e bom gosto, com bela e impecável apresentação, meus agradecimentos e o abraço fraternal a cada um dos seus músicos.
                Queridos jovens poetas:
         Vocês me transportam à minha juventude, quando escrevi meus primeiros poemas.
              É o início de um belo caminho, via que raramente tem retorno e nunca terá fim, onde as flores estarão misturadas aos espinhos, mas conforta a alma.
               A poesia tem me alimentado e me afagado ao longo de minha vida.E sempre encheu meus momentos de graça ou de tédio, de forma silenciosa, íntima, fluindo sem a interferência do cérebro. Não sei viver sem ela, que transborda de minha alma.
           “A poesia acontece. ” – como disse João Gaspar Simões. Nós não a inventamos; ela é um estado de graça, que nos presenteia com o poema.
           Fico, realmente vaidoso ao ver que meu velho “O Véu da Manhã” serviu de tema para vocês se expressarem de forma tão brilhante. Aos premiados e todo o grupo, apresento meu mais caloroso voto de alegria por sentir que a poesia sobrevive apesar dos percalços que nos envolvem e das previsões sombrias do futuro.
         Escrevam, sem se preocupar com a crítica, que costuma ser ingrata, mas não seca os corações dos poetas. Leiam, leiam muito, posto que a leitura é o berço que embala nossos sentimentos.
           Recebam cada um de vocês meu fraternal abraço com os votos de que de seus corações sairão muitos poemas.
  Felicito os colegas acadêmicos calçadenses Maria Dolores Pimentel, Edson Lobo e Vera Maria Viana Borges, pelo resultado do difícil trabalho que é julgar poesias entre 19 concorrentes demonstrando especial sensibilidade poética.
         Felicito e louvo também o Norte Fluminense ao criar este concurso, forma pura e indiscutível de promover a cultura de nossa juventude. E homenageio este especial Centro de Cultura, de que deve se orgulhar nossa Bom Jesus, ao se igualar aos melhores polos do saber das grandes capitais.
         Muito obrigado a todos!

Elcio Xavier, 06/05/2017





Ao final, cantou-se parabéns para o vate, que soprou as velinhas do bolo.


Elcio Xavier soprou as velinhas do bolo

Vejam outras fotos do evento histórico.














Elcio Xavier e Maria Beatriz, diretora do Centro Cultural Maria Beatriz, de Laje do Muriaé (RJ)




Elcio Xavier, entre Anizio e Anizia



    
Três gerações saúdam o mestre: Gisele Magalhães, Ciléia Abreu e Beatriz de Fátima


Tereza Cristina de Lima Nazareth declama a poesia vencedora para Elcio Xavier




              






 Elcio Xavier




            POETAS EM PRIMAVERA

                                                 

                                    Adonias Filho 
                         (da Academia Brasileira de Letras)



Simples o ritmo e a linguagem , marinhista e com o olhar submerso em todas as cores, a poesia desse estreante - sem afetação, sem saltos imprevistos, sem paredes turvas - é, antes de tudo, uma afirmação pessoal. Não decompõe em alicerces de cimento, não quer ser um entendido, mas, de imagem a imagem, robustece a arquitetura da poesia de tal modo que impossível se torna duvidar da sua legitimidade. No conjunto, é uma confissão. Repercutem, em verdade, numa ternura humana cada vez mais ausente, as palavras que traduzem aspectos claros e refletem as manhãs sem violentá-las nas suas dimensões. Fiel ao panorama, incapaz de mutilar os sentidos para 'pensar a poesia', sua emoção criadora por isso mesmo se irradia, como diria Charles De Bos, e exprime o 'qui est proche de notre âme'.


Nos poemas de 'Velas na Bruma', abertos sobre o mar, o poeta Elcio Xavier, que não se impacienta e não se precipita, consegue quase sempre uma intensidade que, inutilmente, procuro nos seus companheiros de geração. A acuidade vibra acima da contemplação, erguendo os quadros numa gradação admirável. Mas o que verdadeiramente constitui na sua grande poesia o território constante, é a integração de si mesmo em um universo que a todos pertence. Esclarece muito, neste particular, o poema 'Auto-retrato'. E essa integração não se desfaz nem quando se realiza o 'Aparecimento de Ege' - o instante em que o tema eterno, a mulher, se incorpora à poesia.


 Este poeta que, insisto,  precisa ser lido no livro marcante que é 'O Véu da Manhã', não se projeta apenas no lirismo simples, na espontaneidade que denuncia em seus poemas como atos inevitáveis. É também um poeta que penetra na análise, sempre simples e humano, mas investiga aquele subsolo que caracteriza a poesia como uma descoberta. Extraordinário sem a menor dúvida, como se revela e se advinha, e se perdoa. No fundo de sua própria natureza, irmanado ao mundo, em seus poemas que do modernismo só utilizam o instrumental formal.


Elcio Xavier é um poeta à margem das escolas e dos grupos. Isolado, porém sua personalidade flagrantemente poderosa nesse livro de estreia, é um poeta que exige atenção".


O NORTE FLUMINENSE  FELICITA  ELCIO XAVIER, DESEJANDO-LHE MUITOS ANOS DE VIDA!