segunda-feira, 16 de abril de 2012

A 1a. PIANISTA DE BOM JESUS DO ITABAPOANA (RJ)

GEORGINA MEDINA DINIZ é o nome da 1a. pianista de Bom Jesus do Itabapoana e a 1a. a possuir um piano em nosso município.

É o que nos informa sua bisneta, GEORGINA MELLO TEIXEIRA, a dona NINA, atualmente com 87 anos de idade, que aprendeu a tocar o instrumento no piano alemão da matriarca, que também foi sua madrinha de Batismo.


Foto tirada em agosto de 1900.Atrás, da esquerda para direita: Ziata Diniz Quintela, Maria Diniz Mello, Carolino de Oliveira Mello, Carolina Diniz Freitas (tia Salica), Andrônico Medina Diniz e Odilon Diniz.Frente:Hamilton Diniz, Georgina Medina Diniz, Georgina Mediz Diniz e Virgílio Gonçalves Diniz


GEORGINA MEDINA era casada com VIRGÍLIO GONÇALVES DINIZ, que ocupava o cargo equivalente ao de coletor federal, e estabeleceu-se em nosso município no final do século XIX, tendo inspirado toda a família no amor ao piano. Em sua casa ocorriam concorridos saraus e dona NINA foi a quarta "GEORGINA" das família de pianistas. As outras duas "GEORGINAS" foram GEORGINA MEDINA DINIZ QUINTELA e GEORGINA FREITAS LIMA, todas igualmente exímias pianistas. "A 1a. pianista formada de Bom Jesus, contudo, foi IVETE SOARES DINIZ que colou grau na Escola de Música Nacional, na década de 1930", registra dona NINA.

Nos tempos de efervescência do estudo de piano em Bom Jesus, quando funcionava o Conservatório Brasileiro de Música, que foi sucedido respectivamente pelo Conservatório de Bom Jesus e pela Escola de Música Levy de Aquino Xavier, havia muitos pianos no município. Dona NINA pode nomear as residências que totalizariam cerca de, no mínimo, 62 pianos. "Contribuiu para isso, também, o fato de o Conservatório chegar a ter 200 alunos da região", lembra dona NINA.

                                               Dona Nina, a eletrola e os discos de vinil


Após a rápida entrevista na Sala de Visitas em sua aconchegante residência, dona NINA dirigiu-se à Sala do Piano, onde interpretou três músicas de seu vasto repertório. Em seguida, levou a reportagem de O Norte Fluminense para tomar um café na área dos fundos, ao som de vitrola do consagrado pianista Miguel Proença, que fez dedicatória à pianista bonjesuense em um disco de vinil por ocasião de uma apresentação no Colégio Zélia Gisner: "Para Nina com o melhor abraço e o carinho de Miguel Proença. 31-7-1990".

                                          Disco de vinil autografado por Miguel Proença


Uma informação curiosa que merece registro é que Miguel Proença, ao gravar referido disco com músicas de autoria de Ernesto Nazareth, incluiu uma cujo nome é "CORDOSINA". Seria Cordosina o nome de uma parenta? O nome de uma mulher por quem se apaixonara? A própria capa de disco esclarece a dúvida: o farmacêutico José Pinto Duarte havia encomendado ao compositor uma música para distribuí-la de brinde aos clientes. Ocorre que o projeto acabou esquecido, mas a bela música continuou com o nome "breguíssimo" de um "xarope contra tosse noturna".

                                                               Dona Nina ao piano


Pode-se dizer que a residência de dona NINA é mais que uma simples residência: constitui um verdadeiro altar onde a "sacerdotisa", a música e a cultura nos elevam imediatamente aos céus.


VOCÊ SABIA?

1. Miguel Proença é um pianista de renome internacional. Atuou em todo o mundo e é considerado um dos maiores intérpretes do compositor brasileiro Villa-Lobos.

2. Ernesto Nazareth, nascido no Rio de Janeiro em 1863, é pianista e compositor conhecido mundialmente, reproduzindo o ritmo do "choro" no piano, e estabelecendo um estilo único. Compôs 212 músicas.

3. O Chorinho é um ritmo instrumental oriundo das classes populares e nasceu por volta de 1870 no Rio de Janeiro. Foi assim chamado por sua musicalidade imbuída de lamento e de "choro".

Nenhum comentário:

Postar um comentário