quarta-feira, 1 de julho de 2015

A HISTÓRIA DA FAZENDA MATTINHOS







Quem nos conta sobre a história da Fazenda Mattinhos é Ivan Linhares, que foi administrador da mesma por cerca de 14 anos, quando o proprietário era Lauro da Silva Motta. Era a época áurea da propriedade, em que mais de 350 famílias residiam na região, produzindo cerca de 25 mil arrobas de café por ano. 

Ivan Linhares foi administrador da Fazenda Mattinhos, no seu período áureo

Antiga Fazenda Mattinhos (Acervo de Ana Maria Motta)



Ivan lembra que a fazenda foi  construída na época da escravatura e as primeiras referências sobre a Fazenda Mattinhos vem do "velho Mattos", que teria sido quem construiu a fazenda. Nesta fazenda, ele passou a produzir também o aguardente Mattinho, cujo nome está inscrito em uma das paredes do alambique.

O velha Mattos produzia o "Aguardente de Canna Mattinho"


A antiga sede da Fazenda Mattinhos

Segundo Ivan "o velho Mattos possuía um filho conhecido como Mattinhos. Daí o nome da Fazenda. Vendeu-a, posteriormente. A propriedade chegou a pertencer a Malvino Leite que, depois, vendeu-a a Pereira Nunes. Este, por sua vez, vendeu-a a Manoel Linhares Coutinho, meu tio. Este vendeu-a, finalmente, ao português Manoel da Silva Motta, que doou-a a seu filho Lauro Motta. Os herdeiros desta venderam-na, então, para Luciano de Souza Nunes, o atual proprietário".



Cana de açúcar também era cultivada na Fazenda Mattinhos (acervo de Ana Maria Motta)




A Fazenda Mattinhos contava com escola para os filhos dos colonos.

Escola da Fazenda Mattinhos (acervo de Ana Maria Motta)

A Fazenda Mattinhos contava também com o forte time de futebol, o União FC.

União FC em seu campo localizado na Fazenda Mattinhos (acervo de Ana Maria Motta)
 
Claudio Motta (2° da esquerda para a direita) e Antônio Manuel Motta (4°) integraram a equipe do União FC (acervo de Ana Maria Motta)


Alunas do Colégio Internato Nossa Senhora Auxiliadora, de Campos dos Goytacazes, onde estudava Ana Maria Motta, filha de Lauro Motta, costumavam fazer piquenique na Fazenda Mattinhos.



Alunas do Colégio Internato Nossa Senhora Auziliadora de Campos dos Goytacazes na Fazenda Mattinhos (acervo de Ana Maria Motta) 


Ana Maria Motta acompanhava suas colegas no piquenine na Fazenda Mattinhos  (acervo de Ana Maria Motta)





Em relação à memória do tempo dos escravos, Ivan se recorda que " o tronco ficava na parte inferior  da antiga residência". 


Vista ampla da antiga Fazenda Mattinhos (Acervo de Ana Maria Motta)
Segundo Ivan, "a senzala ficava onde está atualmente a tulha e os tonéis. Ramiro foi o último escravo que viveu e morreu na Fazenda Mattinhos".

Ivan Linhares aponta o local onde ficava o tronco dos escravos




Ana Maria Motta, filha de Lauro Motta, diz, que, quando era pequena, "costumava, à noite, ouvir barulhos como se fosse do empregado do seu Mattos, subindo as escadas da sede da fazenda para pegar as chaves e, depois, abrir a porta e ligar a caldeira do alambique. Eu e meus irmãos ficávamos arrepiados com esses barulhos. Além disso, um escravo se suicidou em uma das árvores da fazenda, conhecida como carrapeta, que ficava na estrada que vai para Boa Ventura. Este escravo teria sido espancado muito e, após puxar um arrastão, na estrada, resolveu se suicidar nesta árvore. Foi colocada uma cruz no local onde o escravo se enforcou, ao lado do pé da referida árvore. Todo o mês, as pessoas da fazenda, inclusive minha mãe, iam ao local rezar para a alma do escravo e acender velas".

Ana Maria Motta possui rico acervo sobre a Fazenda Mattinhos



Luciano de Souza Nunes, atual proprietário da antiga Fazenda Mattinhos, é também presidente da Câmara de Vereadores, exercendo o mandato há 7 legislaturas seguidas. Ele pertence a uma linhagem de políticos que remonta ao séulo XIX. Seu bisavô, o Coronel Elias Nunes da Silva, casado com Maria da Silveira Nunes, foi vereador (intendente) durante a 1ª emancipação de Bom Jesus ocorrida em 25 de dezembro de 1890. Posteriormente, quando Bom Jesus foi rebaixado à condição de distrito de Itaperuna (RJ), os bonjesuenses elegeram-no vereador por este município.

Deve-se registrar que Tito Nunes, que foi deputado estadual pelo PTB, e Mário Nunes, vereador  pelo PSD, foram filhos do Cel. Elias Nunes. Além disso, Delton de Mattos, neto de Tito Nunes, alcançou o alto posto de secretário de educação no Governo Raimundo Padilha e é um dos grandes escritores bonjesuenses.

Luciano Nunes, além de fortalecer a marca da Cachaça Velha Matinha, que faz alusão às suas origens e é reconhecida por sua qualidade, pretende produzir, na fazenda, açúcar mascavo e promover a bidestilação de aguardente para a confecção de drinks. Segundo Luciano, "faço questão de preservar este rico acervo histórico, conciliando-o com o desenvolvimento econômico".


Luciano de Souza Nunes, bisneto do intendente Elias Nunes da Silva, faz questão de conciliar história com desenvolvimento econômico

Cachaça Velha Matinha mantém a qualidade e a tradição do produto bonjesuense




                                                                    

Um comentário:

  1. DEU SAUDADES DE TUDO NA REPORTAGEM, INCLUSIVE DO IVAN FIGURA BACANA E AMIGA

    DESDE CRIANÇA MUITAS VEZES FUI A ESTA FAZENDA LEVADA PELO SEU NELSON MOTA

    FUI CRIADO COM A TURMA DELE E DOS FILHOS DO SEU LAURO MOTTA

    ERA MESMO UMA SENHOR A PROPRIEDADE NOS ÁUREOS TEMPOS

    VALEU

    SAÚDE E PAZ A TODA EQUIPE

    CLEBER ( por e-mail, do Distrito Federal)

    ResponderExcluir