segunda-feira, 6 de julho de 2015

FAZENDA BELA VISTA: UM EXTRAORDINÁRIO EXEMPLO DE PRESERVAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO

 


Em 28 de abril de 1892, o Coronel Balbino Rodrigues França adquiriu por 60 contos de réis a Fazenda Bela Vista, localizada na zona rural de Natividade, então distrito de Itaperuna (RJ).





 
Cinco anos depois, italianos chegaram da Europa para trabalharem na plantação de café da fazenda que conta atualmente com cerca de 600 alqueires.

 Entre os italianos estavam Ângelo Rodolphi e Antônia Delceti, que se estabeleceram inicialmente na região conhecida como Paraíso. Posteriormente, residiram nas imediações da sede da fazenda. Em seguida, fixaram-se definitivamente em Varre-Sai (RJ), o município mais italiano do Estado do Rio de Janeiro.



Cangas das antigas tropas

Em 1975, um texto existente em uma parede da secretaria da fazenda assinalava: "O café é o soldado permanente da batalha econômica do Brasil". Hoje, são poucas as mudas de café plantadas na fazenda, que se dedica à criação de gado de corte.


A Fazenda Bela Vista tem sido cuidada com carinho pelos sucessivos herdeiros, passando por Francelino França e, atualmente, por seu filho Luís França.

Capela da Fazenda Bela Vista


Os imóveis da Fazenda Bela Vista impressionam pela conservação, evocando uma época que parece estar sempre presente.






Na área reservada à serraria, um lembrete avisa: "O tempo gasto em conversa é roubado ao trabalho". Na área da sede da fazenda, consta outro lembrete: "Tem o direito de criticar o que tem coragem de ajudar",






Uma placa, mais adiante, presta homenagem a uma pessoa querida: "Abrigo Yeda França".

A Fazenda Bela Vista constitui uma prova inequívoca de que é possível preservar o passado e avançar firme no futuro, desde que haja sensibilidade e consciência de que o nosso presente e futuro são o resultado da luta e do sacrifício dos antepassados.






















Nenhum comentário:

Postar um comentário