segunda-feira, 1 de setembro de 2014

OZÉAS DE GODOY COMPLETARÁ 78 ANOS DE IDADE


Da Série Entrevistas de O Norte Fluminense

A GRATIDÃO A BOANERGES BORGES DA SILVEIRA

Ozeas de Godoy: só agradecimentos


Oséas de Godoy nasceu no dia 03/09/1936 em Bom Jesus do Itabapoana. Filho de Pedro Gomes Godoy e Dalvina Rezende Godoy, tem como avós paternos Paulina Germana de Jesus e José Higino de Godoy, originária de Sacramento, e como avós maternos Raul Estêvão de Paula e Delminda de Paula.

Casado com Nilda Rocha Godoy, em 8 de novembro de 1956, possui os filhos Nisia Rocha Godoy, Osni de Rocha Godoy e Ozeas Godoy. "Houve, também, uma natimorta", assinala.

Oséas de Godoy ladeado pela esposa Nilda e os filhos Nísea, Oséas Godoy Júnior e Osni, em 28/03/1997, por ocasião do aniversário de Osni


Estudou no Colégio Estadual Pereira Passos, no Colégio Estadual Antonio Honório, em Bom Jesus do Norte (ES), e no Colégio Zélia Gisner. 

Trabalhou na alfaiataria de Francisco Godoy, seu tio, por 13 anos. Conta Ozéas que "na época havia 9 alfaiatarias, mas que não conseguiram competir com as indústrias. Quatro conseguiram resistir mais tempo: a do Homero Moitim, conhecido como Tijolo,  do Elias Chalhoub, do meu tio e do José Cordeiro, de Bom Jesus do Norte".

Ozeas tem história para contar e muito o que agradecer. E o sentimento de agradecimento que o acompanha durante a vida se dá em relação a Boanerges Borges da Silveira, pais dos governadores Roberto e Badger Silveira.




Boanerges Borges da  Silveira em 1932. Foto de A Voz do Povo


Deixemos que Oséas conte essa história: "Tornei-me funcionário público graças ao dr. Boanerges Borges da Silveira, que costumava usar uma piteira grande. Certa vez, fui à sua casa, que estava localizada onde hoje funciona o Varejão, nas imediações da Praça Governador Portela, e lhe pedi um emprego. 

 
Casa de Boanerges Borges da Silveira, em 1960


Dr Boanerges me disse: 'Arranja a vaga que eu consigo o serviço para você'. Na época, Roberto Silveira já era governador. Fui aos Correios e a Déia me disse que haviam 5 vagas para carteiros. Dirigi-me então a Boanerges que me respondeu: 'essas eu não posso, porque o Amaral Peixoto ficou de indicá-las'. Fui, então, à CEDAE e verifiquei que havia uma vaga. Boanerges me disse: essa vaga terá uma pessoa indicada também por Amaral Peixoto'. Minha última esperança era o SAPS (Serviço de Alimentação da Previdência Social), que funcionava no local onde, hoje, está estabelecido o jornal A Voz do Povo, na Praça Governador Portela. Lá, me deram a dica: ' O filho de Jorge Assis vai sair do órgão no final do mês'. Mantive, então, contato com o dr. Boanerges, que falou: ' Não pode, porque tem gente demais'. Respondi: ' mas o filho de Jorge Assis vai sair do órgão'. Dr. Boanerges respondeu: 'Se ele sair, a vaga é sua". 


Título de eleitor da esposa de Oséas de Godoy assinado por Boaneges Borges da Silveira e Tito Nunes



Em pé: Roberto SIlveira, Dinah, Badger, Dora e José Teixeira. Sentados: Boanerges Borges da Silveira e Biluca. (Foto do livro ROBERTO SILVEIRA, A PEDRA E O FOGO, de José Sérgio Rocha)

Os dias se passaram e, ao encontrar o dr. Boanerges ele me disse: 'Suas chances são de 50%'. Em outro dia, ele se encontrou comigo e afirmou: 'Suas chances são de 70%'. Na última vez que estive com o dr. Boanerges, ele, com a piteira na boca, colocou a mão nos meus ombros, e atravessou a Praça Governador Portela comigo até o escritório do SAPS. 

A casa de Boanerges e a via da Praça Governador Portela


No órgão, estava Ivo Elias dos Santos, subdelegado de polícia de Carabuçu. Dr. Boanerges se dirigiu a ele e disse: ' Ivo, seu filho é solteiro. Godoy é casado. Vou colocá-lo aí e arranjar um serviço para seu filho no DER', o que realmente aconteceu. Posteriormente, com a extinção do SAPS fui trabalhar na COBAL (Companhia Brasileira de Alimentos). Com o fim deste órgão, fui trabalhar no Ministério do Trabalho, onde me aposentei como agente administrativo". 

Ozeas Godoy, antes da entrevista, tinha enviado a seguinte carta à redação de O Norte Fluminense, por conta do lançamento da pedra fundamental do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira.

Ao Dr. Gino Bastos,

Dr Gino, aquela tarde do domingo dia 10 de Agosto de 2014 em São Tomé na casa do Neneco foi muito emocionante para mim. Quero felicitá-lo pela grande iniciativa. Eu tive a oportunidade de beber água na bica em que Roberto e Badger beberam. Hoje eu sou aposentado como Agente Administrativo do Ministério do Trabalho e foi justamente o pai de Roberto e Badger Silveira, Dr. Boanerges Silveira, que conseguiu o serviço para mim.

Oséas de Godoy esteve na solenidade do lançamento da pedra fundamental do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira



Aproveito para enviar-lhe algumas fotos históricas que estavam em meu poder. Em uma, aparece a dona Alzira, esposa do Sr. Merhige, no casamento de sua filha Mariam. Esta senhora idosa, que aparece na foto, está sendo conduzida pelo meu cunhado Jorge, garçom do palácio do Ingá. Ela se chama Rosa Theobaldo, minha sogra, que criou a minha esposa Nilda Rocha Godoy. Ela foi a lavadeira que lavou as roupas dos governadores Roberto e Badger.
Casamento de Mariam, filha de Merhige Hanna Saad, Alzira Saad e Rosa Theobaldo



A outra foto é da minha cunhada Tilda Rocha Celestino dos Reis, que foi a passadeira das roupas de Roberto Silveira. 

Tilda Rocha Celestino dos Reis, passadeira das roupas de Roberto Silveira

A Dona Rosa e Tilda moravam numa casa que ficava onde é  hoje o conjunto residencial dos Vicentinos, no bairro Pimentel Marques, cedida graciosamente por dona Alzira. Foram levadas ao Palácio do Ingá pela confiança que tinham com dona Alzira.

Outras fotos que envio são: uma tirada com o ex-governador Badger Silveira e Luciano Bastos, na Praça Governador Portela, e outra com Luciano Bastos, na Câmara dos Vereadores.

São muitas recordações que jamais esquecerei.

Parabéns. Atenciosamente, Oséas de Godoy.

13-08-2014



Ozeas Godoy afirmou  que "nunca pensei em ser político, mas não resisti ao pedido de Carlos Borges Garcia. Fui eleito em 1972, quando Noé Vargas se elegeu como prefeito, em 1976, com Jorge Assis, com mandato de 6 anos, e em 1982, com Paulo Portugal, com mandato de 6 anos. Por motivo de saúde, resolvei deixar a política, uma vez que tenho problema de pressão alta e, na política, há muita emoção", assinalou.

Luciano Bastos, ex-governador Badger Silveira e Oséas de Godoy, na Praça Governador Portela

Luciano Bastos e Oséas de Godoy na Câmara dos Vereadores

Conta ele que "fui batizado na 1a. Igreja Batista quando tinha 13 anos de idade, sendo membro da mesma por cerca de 50 anos. Saí, com 70 membros, para organizar a 5a. Igreja Batista na Volta D'Areia, onde sou diácono há cerca de 14 anos".

No dia 3 de setembro, Oséas de Godoy completará 78 anos de idade, rodeado do carinho de familiares e amigos. 

Sua  mensagem final é de mais agradecimento. Diz ele: " Sou agradecido ao povo de Bom Jesus do Itabapoana por tudo, e, em especial, por ter me confiado o voto durante o período em que fui vereador", finaliza.

Encontro da Família Godoy em 1970, no Acampamento Batista, em São José do Calçado (ES)




























Um comentário:

  1. Olá, me chamo Getúlia Adriana R. Dos Santos Marins, nasci em Bom Jesus do Norte e sou filha de Ivo Elias dos Santos. Fico feliz pelo Senhor Oseás, ter mencinado o nome do meu pai: Ivo Elias dos Santos, em sua história. Sou professora e escritora. Abraços aos meus conterrâneos e familiares do Espírito Santo.

    ResponderExcluir