segunda-feira, 1 de setembro de 2014



SÍNTESE DA HISTÓRIA DAS FAMÍLIAS VERDAN-SUHETT (final)


                                                                                 Francisco Verdan  Corrêa Neto



Na década de 1860, em Cantagalo, houve 4 casamentos entre Verdan e Suhett, tornando as familias uma só, unidas pelos casamentos. Claudio Suhett com Luiza Maria Verdan, Pedro Suhett com Mathilde Maria Verdan, João Narciso Verdan com Rosa Francisca Suhett, Maria Balma Suhett com o primo Antônio Verdan Suhett. Em alguns ramos houve até 3 gerações de Verdan e Suhett. Ainda há 3 pessoas assinando VERDAN SUETE em Colatina (ES). A sobrevivência ao sobrenome VERDAN ou SUHETT dependeu de quem era o marido em tais casamentos. E de lá até hoje já identificamos uns 30 casamentos dentro do grupo.


Uma década depois, os Verdan Suhett já estão no noroeste fluminense (Monte Verde, São Fidélis, São João do Paraíso, São José de Ubá, Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana e sul do Espírito Santo, acompanhando a marcha do café). Hoje foram localizados de Santa Catarina ao Nordeste, daqui a Rondônia, passando por todo ES. Grande Rio, Grande São Paulo, Grande Vitória, todo o Paraná, Grande Belo Horizonte, Brasília, Goiás, etc.


Em Nova Friburgo, ainda há a fazenda Verdan nas nascentes do Rio Macaé de Cima, sediada num belo chalé (poderia ser diferente?!) à direita da confluência do gélido riacho Verdan com o Rio Macaé. É área de preservação ecológica, o rincão mais belo do Município. Zona montanhosa, clima boníssimo, belas casa de vilegiatura, a uns 20 km da cidade, acessível por estradinha de terra para quem tem automóvel ou lá for em excursão.


Vale a pena conhecer. Fazemos parte da História e da Geografia.


ATENÇÃO: - Se você já não assina VERDAN ou SUHETT, você deve requerer ao Juiz da sua Comarca, através de um advogado (pode ser pela justiça gratuita), a retificação do seu sobrenome para incluir, no fim, o nome VERDAN SUHETT ou VERDAN SUETH para que não se perca mais. Se você ainda tem Verdan ou Suhett, não precisa fazer nada, apenas se cuidar para que este nome de raiz não se perca. Precisamos ter orgulho das nossas raízes.


A retificação do nome pode ser feita em qualquer idade, mas é mais fácil no ato do casamento, no registro dos filhos ao nascerem ou dos filhos ainda menores, pois não há outros documentos a serem alterados.



Francisco  Verdan Corrêa Neto é professor e historiador


Um comentário:

  1. meu bisavô veio de Itaperuna - RJ para o espirito santo... aqui tem muito Verdan....o nome dele era JOSÉ VERDAN DA COSTA

    ResponderExcluir