domingo, 12 de junho de 2016



Da Série Entrevistas de O Norte Fluminense

PROFESSORA JUDITH  ARANTES: A MESTRA DA VIDA





Judith da Aparecida Arantes Tavares foi o nome dado pelos pais Floripes Bastos Arantes e João Esteves Arantes, ao bebê que nasceu no dia 11/06/1926, em Dores do Macabu, distrito de Campos dos Goytacazes (RJ). O segundo nome foi dado em honra à Nossa Senhora de Aparecida.  Segundo dona Judith, "minha mãe sugeriu o nome de Judith, inspirada em um romance, enquanto minha avó paterna, Umbelina, desejava que a madrinha fosse Nossa Senhora Aparecida. Era, aliás, um costume da época. Assim, meu pai resolveu atender a vontade de ambas". 


Primeira fila: avós maternos Umbelina com Aristóteles no colo, Euclides Moreira Bastos e bisavô paterno. Segunda fila: Laudelina (a tia Dina), Melchiedes, Isolina, Ari Moreira Bastos (que foi prefeito de Itaperuna-RJ), e Floripes, mãe de Judith. Foto de 1895, na Fazenda do Desengano,  em Retiro de Muriaé, distrito de Itaperuna (RJ)

Segundo Judith, "Minha mãe nasceu em Retiro de Muriaé (RJ), e meu pai em Ubá (MG). Quando eu tinha menos de um ano de idade, meu pai foi trabalhar no posto de linha férrea, em Ponte do Itabapoana (ES). Poucos meses depois, quando eu tinha cerca de um ano de idade, meus pais se mudaram para Bom Jesus do Itabapoana, uma vez que meu pai veio ser agente da estação de trem, tendo como chefe Olívio Bastos. Meu pai trabalhou também com Esio Bastos, filho de Olívio. Eu estudei com Luciano Bastos no Colégio Rio Branco. Quando fiz o exame de admissão, tirei o 1o. lugar juntamente com ele. Por este motivo, ganhei uma bolsa para estudar no educandário.", lembra Judith.

Dona Judith teve dois irmãos: Maria Luíza, que faleceu quando era criança, e João César.

"Para minha prezada irmã Judith, com toda a amizade de seu irmão César. 25/9/1956": dedicatória no verso da foto


Judith se recorda que " quando mudamos para Bom Jesus, meu pai adquiriu uma chácara do engenheiro Clark, que tinha vindo a Bom Jesus construir a ponte de cimento. Ocorre que a esposa dele não se adaptou em Bom Jesus, o que permitiu que meu pai adquirisse a propriedade. Quando minha pequena irmã, Maria Luíza, contudo, faleceu por intoxicação, meus pais resolveram mudar de residência. Fomos então morar em Bom Jesus do Norte (ES), em casa localizada em frente à residência do libanês Abdo", registra.


 Posteriormente, Judith foi estudar em Macaé (RJ): "Estudei no Ginásio Macaense, que era um internato, e cujo diretor era o bonjesuense José Barbosa. Em seguida, fui estudar no Rio de Janeiro, e formei-me em Educação Física, pela Universidade do Brasil. Pela conclusão do curso, recebemos, como prêmio, uma viagem a Porto Alegre, com acompanhamento de uma professora", salientou.


Judith (E) e amigas ganharam uma passagem de avião para Porto Alegre, pela conclusão do curso de Educação Física, no Rio de Janeiro.


Judith e seus pais João Esteves e Floripes Bastos, após a missa realizada na Urca, no Rio de Janeiro, por motivo de sua formatura em Educação Física



Judith no campo do Ordem e Progresso F.C., em foto da década de 1960

Judith lembra que "em 1950, quando o Colégio Padre Mello foi fundado, o dr. Nísio Mattar foi indicado diretor interino. Em seguida, assumiu como primeiro diretor do estabelecimento o dr. José Marques. Posteriormente, por indicação do próprio dr. José Marques, eu assumi a direção, sendo, portanto, a 2a. diretora da história do educandário. Depois, fui professora de Biologia e Educação Física no Colégio Rio Branco, no Colégio Técnico Agrícola, no Colégio Zélia Gisner, e no Ginásio Mercês Garcia Vieira, de São José do Calçado, após a aposentadoria do dr. Aristides Rezende. Fui também chefe do sub-núcleo Regional de Educação no Espírito Santo".

Judith diz que, "certa vez, minha família resolveu mudar de residência, para uma casa localizada na conhecida como Rua do Calçado. Há 10 anos,contudo, resido no edifício Galiano Pimentel, na Praça Astolpho Lobo", salienta.

 Quando comemorou 80 anos, amigos e familiares de Dona Judith realizaram uma grande festa de comemoração, que ocorreu na sede do Rotary Club. Seguem fotos do evento.

Comunidade marcou presença na sede do Rotary Club para a comemoração dos 80 anos de Judith

Epaminondas, Ivonildes, Judith e Therezinha Juliana: amigos de São José do Calçado (ES)


Judith diz gostar muito de São José do Calçado (ES): " Ali eu tenho muitos amigos. Eu pertenço à Academia Calçadense de Letras e não perco uma reunião", registra. Na festa de 80 anos, marcaram presença seus amigos Epaminondas, Ivonildes e Therezinha Juliana.


Elisa, Maria das Graças, Judith, Enid e Aparecida



Judith entre as irmãs Conceição e Maria Izabel  Fragoso


Parentes do sobrinho Paulo César estiveram presentes às festividades

Segundo dona Judith, "vivo a vida recordando os grande momentos de vida que tive no passado e fico feliz quando fico sabendo que ex-alunos fizeram sucesso na vida. Orgulho-me quando meus ex-alunos brilham", finaliza dona Judith emocionada.

Ex-aluno Gino Martins Borges Bastos e a alegria do reencontro com a mestra na Ótica Avenida: "Dona Judith, além de magnífica professora de Biologia, dava orientação de vida a todos os alunos. Isso é um tesouro que levamos sempre em nossos corações. Obrigado por tudo, querida mestra!"

2 comentários:

  1. https://www.palcomp3.com/ademirfdesouza/meus-caminhos-isrc-br-d7d-07-00009-ademir-de-souza/

    HISTÓRICO DO AUTOR:
    Ademir francisco de Souza (Ademir de Souza)

    Cheguei a São Gonçalo RJ. aos três anos de idade vindo de Bom Jesus de Itabapoana RJ. minha cidade natal, meus familiares encontravan-se nos fins de semana em reuniões musicais. Todos participavam cantando ou tocando algum instrumento ou dançando, na cozinha a anfitriã caprichava no pastelzinho e na batida de limão, vários quitutes e aperitivos. Ali já começava a despertar meu dom para a música a arte e a poesia, mais aos (12) doze anos de idade vi essa trajetória ser interrompida, minha mãe sem condições de nos manter na escola eu e meu irmão, teve que aceitar a nossa ida para o colégio interno, Aprendizado Agrícola de Sacra Família no município de Paulo de Frontin RJ. onde fiquei até os (18) dezoito anos de idade, dali tive que cuidar da minha vida e da minha família, minha primeira oportunidade de trabalho foi como servente de pedreiro, mais com grande aptidão para o aprendizado, tornei-me um profissional em pouco tempo, e já aos (23) vinte e três anos trabalhava por conta própria, ainda menino com pouco acesso as revistas e rádio assimilava as melodias das músicas de sucesso e criava letras intercalando com as originais sem me dar conta de que assim estava compondo, ao aprender tirar alguns acordes do violão comecei a compor pra valer e participar das rodas de samba, daí para as casas noturnas foi rápido, do violão ao cavaquinho a participação em grupos de pagodes até que assumi com meu amigo Dodinha o grupo Magia nos anos 80 obtendo grande sucesso nas reuniões de fundo de quintal, casas noturnas e clubes da cidade de São Gonçalo e Niterói RJ. Nos bairros de Itaúna, Trindade, Alcântara, Mutondo, Barreto etc. Já nos anos 90 conheci Chiquinho do Pandeiro exímio cantor de forró sendo convidado para participar do seu grupo tocando contrabaixo, assim adquirindo aprendizado nesse estilo. Ainda nos anos 90, Fiz minha incursão no mundo do samba de enredo participando no G.R.E.S. Unidos do Valéria do bairro onde eu morava Itaúna SG. RJ. Também nos anos 90 ao descobrir o talento do meu filho Fabiano e seu amigo e parceiro Leonardo lhes dei apoio para gravar um CD demo assim eles conseguiram apoio empresarial para o lançamento do CD Universo de Prazer LENE & LÉO levando-os para divulgar o trabalho ambientei-me com o mundo das rádios, TV (s), jornais etc. com a experiência adquirida no meio profissional da música comecei a desenvolver o meu trabalho gravei o CD Meus Caminhos com a colaboração de músicos e parceiros que tocam na noite a princípio era um trabalho sem grandes pretensões, mais a idéia foi amadurecendo e o incentivo dos amigos e Principalmente a parceria com João R. Romão da qual resultou na fundação da empresa Eventos Musicais Amantes do Samba LTDA.
    E.M.A.S. Produções e edições musicais.
    “Artista autodidata formado na lida”
    “Nunca e tarde para se eternizar um sonho”
    Ademir Francisco de Souza, Ademir de Souza.

    ResponderExcluir
  2. Por mais histórias como esta da Judith, que tanto nos encanta e nos leva a reconhecer as valorosas personalidades que entre nós vivem. Obrigada!!!

    ResponderExcluir