sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

SÍNTESE DA HISTÓRIA DA FAMÍLIA VERDAN-SUHETT (I)




Francisco Verdan Corrêa Neto


No início do século 19 a Suíça passava fome, causas:


1)    Na Suíça havia milhares de refugiados da Revolução Francesa, sem trabalho;

2)    Havia batalhões suíços em todos os exércitos da Europa, de Portugal à Rússia.Com o fim das guerras napoleônicas essas tropas foram desmobilizadas e retornaram  à Suíça, que não tinha trabalho a lhes oferecer.


3)    A Revolução Francesa e as guerras napoleônicas haviam deixado a França falida. Sem a França como seu principal comprador, a produção caiu e o desemprego cresceu na Suíça. 


4)    A erupção do vulcão Tambora, na Indonésia, causara resfriamento na Europa e na Nova Inglaterra (EUA) com perda das colheitas em 1815 e 1816, provocando a emigração milhares de suíços e de outros povos europeus (alemães, escoceses, húngaros, ingleses, irlandeses, italianos, poloneses, russos, russos brancos, ucranianos, etc.)



Terras mais procuradas pelos emigrantes: EUA, Brasil, Argentina, África do Sul, Austrália, principalmente.


A princípio, VERDAN e SUHETT eram duas famílias diferentes que se uniram pelos casamentos. 


Os VERDAN eram naturais de Gruyeres (terra do melhor queijo do mundo, o original – não as imitações), Cantão de Fribourg, Suíça. Viajaram no trágico navio Urânia, que perdeu 25% da população dos seus passageiros ao mar. Chegaram a 30-11-1819. Os DESSOIES (leia: dessuai, nome  original antes da corruptela para Suhett, Sueth, etc.) eram de Bulle. Cantão de Fribourg. Emigraram a bordo do navio Deux Catherine, que perdeu a entrada da Baia da Guanabara, foi até o Rio da Prata, só chegando de retornar a 04-02-1820.


Eram 7 navios, que transportaram cerca de 2 mil imigrantes suíços cofundadores de Nova Friburgo (RJ), mais um bagageiro.


Os Dessois moraram no barracão nº 20. Os Verdan residiram no barracão nº 6 do núcleo inicial da fatura Nova Friburgo. Todos os 30 Barracões abrigavam de 5 a 7 famílias, conforme o número de seus membros, parentesco, língua comum (a maioria era de língua francesa mas havia um grupo de suíços de língua alemã) além da religião (a maioria era católica mas havia um grupo protestante Calvinista.



Francisco Verdan Corrêa Neto é historiador e professor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário