domingo, 13 de março de 2016

Entusiasmo nas obras do Memorial



As obras para a construção do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira continuaram com entusiasmo, na semana que passou.

Foi necessária uma retroescavadeira para retirar várias pedras que obstaculizavam a escavação. Com isso, o cronograma das obra foi alterado, assim como elevou-se o gasto inicialmente previsto. 



A partir de amanhã, as 14 (catorze) perfurações devem ser finalizadas, dando início, então, à preparação das ferragens.

Na outra semana, será necessária a contratação de mais um ajudante de pedreiro, para agilizar as obras. 

A Associação dos Amigos do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira conta com o apoio da comunidade e dos incentivadores, especialmente, na colaboração com material de construção, para que se viabilize a inauguração do prédio, prevista para o dia 7 de agosto, a partir das 12h.




No dia 02 de abril, ocorrerá o 1º Festival do Pastel e do Quibe, no Sítio Rio Preto, em favor das obras do Memorial. O valor do ingresso é de R$8,00. 




Na oportunidade, Tião Cosme, com 97 anos, fará um show de sanfona. Ele trabalhou na Fazenda São Tomé por cerca de 45 anos.

Tião Cosme: 45 anos de trabalho na Fazenda São Tomé

Nesta fazenda, moraram Boanerges Borges da Silveira e sua esposa Biluca, assim como seus filhos Roberto, Badger, Zequinha, Dinah e Maria da Penha, que nasceram no Sítio Rio Preto, contíguo à referida fazenda.



 Fazenda São Tomé, contígua ao Sítio Rio Preto, onde residiram Boanerges Borges da Silveira e Biluca, assim como seus filhos Roberto, Badger, Zequinha, Dinah e Maria da Penha Silveira


Posteriormente, devido a uma disputa judicial, Chichico das Areias assumiu a propriedade da fazenda. Com a ida do casal Boanerges-Biluca para a cidade de Bom Jesus do Itabapoana, posteriormente, mudaram para Niterói, onde Roberto Silveira se destacou, de forma meteórica,  na política, tornando-se governador, e se preparando para ser presidente do país. Após sua morte em 1961, que sustentamos ter sido ocasionada por um atentado, Roberto foi sucedido, por seu irmão Badger, que, por sua vez, foi cassado pela ditadura militar em 1964.

O Memorial visa preservar a história da família Silveira.



Apoios e contato para informações com Cintia de Oliveira Santos Nunes, diretora do Memorial. As contribuições financeiras devem ser informadas por e-mail, para identificação do colaborador e para fins de registro do nome em placa que será fixada por ocasião da inauguração do Memorial.

(cinttianunes@gmail.com e 022-999989395)

Conta Corrente:
Ag:0178
CC:24328-8
Caixa Econômica Federal



FAÇA PARTE DESTA HISTÓRIA!

COLABORE COM UM DOS ITENS ABAIXO PARA A EDIFICAÇÃO DA PARTE BAIXA DO MEMORIAL


a)     84 vergalhão 4.2

b)    420 vergalhão ¼

c)     100 vergalhão 3/8

d)    24 vergalhão  ½

e)     10 vergalhão 5/8

f)      20 kg arame 18

g)     10 kg prego 18/30

h)    150 taipá

i)       350 sacos de cimento

j)       5.000 lajotas

k)    40 m3 areia lavada

l)       40m3  brita







           A PLANTA DO MEMORIAL



A planta do Memorial Governadores Roberto e Badger Silveira

Um comentário:

  1. Quantas casinhas populares seriam construídas com este material.

    ResponderExcluir