terça-feira, 7 de agosto de 2018

O PEQUENO LÍBANO NO NOROESTE FLUMINENSE





Descendentes de libaneses fizeram o plantio de uma muda do Cedro-do-Líbano, na Praça Governador Portela, em memória das famílias libanesas pioneiras de Bom Jesus do Itabapoana




No dia 4 de agosto, ocorreu o plantio de uma muda do Cedro-do-Líbano, em homenagem às famílias libanesas pioneiras em nosso município.

A cedrus libani é árvore majestosa, nativa das montanhas da região mediterrânica no Líbano, da qual é símbolo nacional, expressão de força e eternidade.

Adquirida pelo jornal O Norte Fluminense, como contribuição para o resgate de nossa história e cultura, a muda foi trasladada do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro, por avião, graças ao imprescindível apoio do bonjesuense Gustavo de Souza do Nascimento e do empresário gaúcho Guilherme Rizzoto. Árvore rara, foi localizada através de investigação realizada por Lucília Stanzani.

Segundo pesquisa do Desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu, no seu livro "A colonização do Sudeste", vieram para nosso município as seguintes famílias libanesas: Abdalah, Adib, Alli, Antonio, Aride, Assad, Bomeny, Bussad, Chaloub, Chebe, Chicle, Couze, Crissaff, Curi, Cury, Daruich, Aud, Eid, Elias, Elkik, Faial, Farid, Felício, Felippe, Felix, Feres, Gazem, Habib, Hette, Hobaica, Jabour, João, Jorge, Kalil, Karim, Kastor, Lahud, Mansur, Maron, Melhim, Miguel, Mouzi, Naciff, Nagib, Namen, Nassar, Ourique, Paulo, Kiffer, Quirino, Rachid, Saad, Said, Saleme, Salim, Salomão, Tabet, Tannus, Tebet, Tuffi, Turques e Ximenes.


Após o plantio, ocorreu outro momento de emoção: o histórico Sarau Libanês organizado pela família Sauma Saad, no palacete do saudoso casal Merhige Hanna Saad e Alzira Sauma. Na oportunidade, foi apresentado ao público o piano alemão F.L. Neumann, construído no ano de 1890, e que foi tocado pela primeira vez após 50 anos. A restauração foi custeada pelo jornal O Norte Fluminense, como mais uma contribuição para o resgate de nossa história e cultura.

Marian Sauma Saad, emocionada, deu início ao Sarau, saudando a todos os presentes, sendo seguida por sua sobrinha Dora Silveira, filha de Ismélia Silveira, nossa Eterna e Única Primeira Dama, e do saudoso Roberto Silveira, que deu as boas-vindas aos convidados.

Posteriormente, pianistas das três escolas de música de nosso município, JEMAJ, Cristo Rei e Musicarte se apresentaram, seguidos das pianistas Martha Salim, Ana Maria Baptista e Regina Bastos, que encantaram o público presente. Serviram-se, na oportunidade, diversos itens da culinária libanesa, incluindo a famosa bebida Arak.

Foram momentos marcantes que assinalaram de modo notável o início do resgate da história da imigração libanesa em nosso município.











































































































































Um comentário: